02:24 26 Junho 2017
Ouvir Rádio
    Dmitry Peskov, assessor de imprensa do presidente russo

    Kremlin: forças independentistas de Donbass não são fantoches da Rússia

    © Sputnik/
    Mundo
    URL curta
    Ucrânia em foco da política internacional (289)
    0 991193

    A influência de Moscou sobre as forças de autodefesa das autoproclamadas Repúblicas Populares de Donetsk e Lugansk (RPD e RPL) é limitada, ao contrário do que prega a opinião popular no Ocidente, declarou o porta-voz presidencial da Rússia, Dmitry Peskov, em uma entrevista publicada nesta segunda-feira (23) no jornal norueguês Dagbladet.

    "Ao contrário do que a OTAN e os países europeus dizem, as forças de autodefesa em Donbass não são nossos fantoches", disse Peskov. "O presidente Putin tem alguma influência sobre eles, porque eles o respeitam, mas ele não pode ordená-los a depor as armas", ressaltou o secretário de imprensa.

    Apesar de existirem algumas dificuldades nas relações entre os países ocidentais e a Rússia, isso não significa que "a Europa perdeu a Rússia, nem que a Rússia perdeu a Europa", disse Peskov.

    O secretário de imprensa observou que a opinião pública ocidental costuma "demonizar Putin e o culpar por tudo." De acordo com Peskov, não importa o que a Rússia faça, 'há pessoas que não querem' ouvi-la.

    Ainda sobre a questão da crise ucraniana, o porta-voz disse que o golpe de Estado na Ucrânia, que se seguiu aos acontecimentos em Kiev em janeiro e fevereiro de 2014, recebeu uma cobertura insuficiente e unilateral na maioria dos meios de comunicação ocidentais.

    "Um golpe orquestrado a partir do estrangeiro aconteceu no centro da Europa", disse ele. "É perigoso para todos nós… [O ex-presidente da Ucrânia Viktor] Yanukovych era talvez ruim, talvez até muito ruim. No entanto, posso dizer com cem por cento de certeza que ele era um presidente eleito. Alguém decidiu tirá-lo do poder, e isso é absolutamente inaceitável", acrescentou.

    Peskov também comentou o "misterioso desaparecimento" de Vladimir Putin, tema amplamente discutido na mídia na semana passada.

    "Essa história deu muitos motivos para piadas", disse o secretário de imprensa. "Putin estava trabalhando em sua residência na região de Moscou. Às vezes as pessoas pensam que ele fica em casa e não faz nada, se não é mostrado na TV. Eu fui até ele e disse: 'Senhor presidente, descobri que você se encontra em uma situação muito difícil. Um grupo de generais sequestrou e levou você para a Suíça, onde vários de seus filhos nasceram todos de uma vez. Deixe-me felicitá-lo, senhor presidente", brincou o porta-voz de Putin.


    Tema:
    Ucrânia em foco da política internacional (289)

    Mais:

    Poroshenko assina lei sobre status especial de Donbass e viola os acordos de Minsk
    Milícias de Donbass pedem a Hollande e Merkel que pressionem Kiev
    Putin: Rússia pronta para ajudar Ucrânia a superar crise
    Tags:
    Dmitry Peskov, Vladimir Putin, Donbass, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik