23:14 30 Abril 2017
Ouvir Rádio
    Gasoduto em Beregdaroc, Hungria, um dos pontos de passagem do gás russo à UE

    Reunião da Rússia, Ucrânia e UE sobre gás: garantia de fornecimento, mas sem acordo

    © REUTERS/ Laszlo Balogh
    Mundo
    URL curta
    0 623122

    Rússia, Ucrânia e Comissão Europeia não chegaram a um acordo final sobre gás russo durante a reunião trilateral realizada nesta sexta-feira, em Bruxelas. No entanto, ficaram claras as condições para a manutenção da estabilidade do fornecimento do recurso para a Europa: descontos russos e financiamento europeu para Ucrânia.

    Kiev deseja prolongar o desconto nos preços de gás, oferecido no âmbito do “pacote de inverno. Moscou, por outro lado, se recusa a avaliar esse tema sem uma solicitação oficial por parte de Kiev. A atitude da Rússia pode ser explicada pelo processo judicial, em andamento em Estocolmo, envolvendo uma dívida bilionária da ucraniana Naftogaz à russa Gazprom. Moscou teme alterações contratuais, pois podem ser utilizadas pela Ucrânia nos tribunais.  

    O resultado da reunião trilateral foi inconclusivo, porém claro. Rússia avaliará a possibilidade de descontos nos preços de gás para a Ucrânia, num formato semestral. Ucrânia deverá comprar volumes suficientes de gás para garantir um trânsito estável para a Europa. Já a Comissão Europeia empreenderá esforços para providenciar ajuda financeira à Ucrânia, para que o país possa comprar gás russo.   

    As partes concordaram em organizar um grupo de trabalho para acertar os detalhes e apresentar um projeto do documento final durante o próximo encontro trilateral a ser realizado em Berlim, no mês de abril. O ministro da Energia da Ucrânia, Vladimir Demchishin, disse que o encontro será nos dias 13 e 14 do mês que vem. O ministro da Energia russo, Aleksandr Novak, entretanto, afirmou que as datas ainda não foram confirmadas.  

    “Realizamos uma reunião construtiva sobre os próximos passos após o fim do “pacote de inverno”. Estou feliz pelas partes terem chegado a um consenso sobre as próximas medidas a serem tomadas. Com base nisso, podemos trabalhar para atingir um acordo intermediário, até a decisão final do tribunal de Estocolmo. Além disso, recebi garantias de que o fluxo do trânsito de gás para a UE continuará inalterado”, disse o vice-presidente da Comissão Europeia, Marosh Shefchovich, após a reunião.

    Tags:
    energia, gás, Comissão Europeia, Marosh Shefchovich, Vladimir Demchishin, Aleksandr Novak, União Europeia, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik