00:52 29 Junho 2017
Ouvir Rádio
    Ambulância leva corpos de vítimas do ataque de terroristas no museu nacional de Túnism na Tunisia.

    Ataque terrorista na Tunísia mata 21 pessoas, sendo 17 turistas europeus

    © REUTERS/ Zoubeir Souissi
    Mundo
    URL curta
    0 64802

    O primeiro-ministro do país, Habib Essid, informou que cidadãos de Itália, Espanha, Alemanha e Polônia estão entre os mortos.

    Homens armados fizeram um ataque ao maior museu de Túnis, capital da Tunísia, nesta quarta-feira, matando 21 pessoas — 17 eram turistas. Um grande número de pessoas ficaram feridas no ataque, incluindo três poloneses e dois italianos. O ministério de Relações Exteriores da Itália informou que cem italianos foram levados para um local seguro.

    Cerca de 200 turistas estavam visitando o Museu Nacional do Bardo, localizado próximo ao Parlamento, no centro da capital. Além dos 17 turistas, uma funcionária do museu, um policial e dois atiradores foram mortos.

    De acordo com a rádio local, cidadãos de Inglaterra, Itália, França, Espanha e Polônia foram tomados como reféns durante o ataque. Forças de segurança retomaram o controle do museu, mas dois ou três atiradores conseguiram fugir, informou o ministério do Interior. Todos os reféns foram libertados.

    O primeiro-ministro da França, Manuel Valls, disse que condena "veementemente o ataque terrorista". O porta-voz do Ministério do Interior, Mohamed Ali, falou a jornalistas que o ataque envolvia "dois ou mais terroristas armados com Kalashnikovs." Nenhum grupo assumiu o ataque até o momento.

    fonte: Estadão Conteudo

    Mais:

    Ataque terrorista em Copenhague deixa um morto e três feridos
    Kiev declarada como zona de ameaça terrorista intensificada
    Putin institui cargo de vice-chanceler para combate ao terrorismo
    Tony Abbott anuncia novas medidas na luta contra o terrorismo islâmico
    ONU pretende criar plano de combate ao terrorismo até o final de 2015
    Tags:
    mortes, terrorismo, ataque, Tunísia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik