07:17 24 Março 2017
Ouvir Rádio
    Bandeiras da Rússia e da União Europeia

    Viena se opõe à extensão antecipada das sanções contra a Rússia

    © Sputnik/ Vladimir Sergeev
    Mundo
    URL curta
    0 703100

    O ministro das Relações Exteriores da Áustria, Sebastian Kurz, disse que não apoia a ideia de antecipar o prolongamento das sanções econômicas contra a Rússia e acredita que a decisão deve ser amarrada ao desenrolar da situação na Ucrânia.

    "Acredito não haver qualquer necessidade de tomar esta decisão agora. As atuais sanções irão vigorar até a metade do ano e, portanto, teremos bastante tempo para pensar. A questão, no entanto, será debatida de forma mais clara por chefes de Estados e governos no final desta semana" – declarou Kurz ao responder a questão sobre a necessidade de prolongar as sanções econômicas aplicadas à Moscou, e que expiram no final de julho de 2015.

    Mais cedo, nesta segunda-feira, o vice-chefe do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Aleksei Meshkov, declarou que diversos países da União Europeia estão contendo seus parceiros em impor novas sanções à Moscou.

    Ao mesmo tempo, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, acredita que as sanções devem continuar em vigor para motivar o cumprimento dos acordos de Minsk e apoiar as relações entre os Estados Unidos e a União Europeia.

    Bandeiras da Rússia e União Europeia
    © Sputnik/ Vladimir Sergeyev
    Na sexta-feira, 13, uma fonte diplomática de um dos países líderes do bloco europeu, revelou que a questão do prolongamento de sanções contra determinados setores da economia russa poderá ser decidida apenas durante o próxima reunião de cúpula da União Europeia, em junho deste ano.

    Antes disso, na quarta-feira da semana passada o vice-presidente da Comissão Europeia, Franz Timmermans, declarou no Parlamento Europeu que restrições em relação à Moscou devem continuar sendo parte da estratégia da União Europeia.

    Tags:
    sanções, União Europeia, Sebastian Kurz, Áustria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik