21:43 24 Julho 2017
Ouvir Rádio
    Serguei Kirienko, diretor geral da corporação estatal russa Rosatom

    Comissão Europeia nega bloqueio a acordo nuclear entre Rússia e Hungria

    © Sputnik/ Vladimir Astapkovich
    Mundo
    URL curta
    0 1134171

    A Comissão Europeia nega os relatos da mídia de que teria bloqueado um projeto de cooperação nuclear entre a Rússia e a Hungria no valor de 12 bilhões de euros, segundo informou a porta-voz europeia Anna-Kaisa Itkonen nesta sexta-feira (13).

    Na quinta-feira (12), o jornal Financial Times havia dito que a União Europeia bloqueara o acordo, segundo o qual a companhia russa Rosatom deve construir dois reatores na cidade húngara de Paks, a 100 km de Budapeste.

    Um porta-voz da Rosatom esclareceu que o projeto foi originalmente aprovado pela Comissão Europeia e pelo governo húngaro, e disse que não tinha "nada a acrescentar à posição dos representantes do governo da Hungria, que estão exigindo que o Financial Times corrija suas informações".

    O jornal citou fontes anônimas para afirmar que a Comissão Europeia havia apoiado a resolução da Euratom, empresa que regula o mercado europeu de combustível nuclear, que teria discordado da intenção húngara de "importar combustível exclusivamente da Rússia". Segundo o Financial Times, a Comissão Europeia aprovou a decisão da reguladora, pondo em risco o contrato entre os dois países.

    Moscou e Budapeste assinaram documentos em janeiro de 2014 para a construção de dois novos blocos na usina atômica de Paks, a única da Hungria construída com base em um projeto soviético. Atualmente, a central responde por mais de 42% da energia consumida no país.

    Mais:

    Mídia: UE bloqueia acordo nuclear de 12 bilhões de euros entre Rússia e Hungria
    Desastre nuclear de Fukushima põe em questão segurança de Usina de Angra.
    UE avaliou de modo positivo as reuniões sobre o programa nuclear iraniano em Montreux
    Tags:
    energia nuclear, programa nuclear, Rosatom, Hungria, União Europeia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik