07:18 24 Março 2017
Ouvir Rádio
    Yukio Hatoyama

    Ex-premiê japonês: vida na Crimeia difere do que nos diz a mídia ocidental

    © AFP 2017/ POOL/LEE JAE-WON
    Mundo
    URL curta
    0 2359380

    É melhor ver uma vez a vida na Crimeia do que ouvir cem vezes sobre ela na mídia, declarou o ex-primeiro-ministro do Japão Yukio Hatoyama durante seu encontro com o presidente do parlamento russo Sergei Naryshkin.

    A delegação do Japão, chefiada por Yukio Hatoyama, efetuou uma visita de três dias à Crimeia. Durante sua visita Hatoyama confessou que ele foi testemunha da unanimidade da população local em relação à reunificação com a Rússia.

    Comentando a viagem de Hatoyama, as autoridades japonesas declaram que a visita é contrária à posição do país e pode causar "incompreensão da comunidade mundial". Eles também enfatizaram que o Japão não reconhece a anexação da Criméia para a Rússia.

    Hatoyama disse que o Japão, sendo uma democracia, devia saudar o referendo na Crimeia em março de 2014 e se o Japão não tivesse optado pelas sanções, poderia ajudar na revitalização do potencial industrial da Crimeia.

    “Por exemplo, o abastecimento de água para a península, o fornecimento de energia elétrica. Além disso, tenho recebido várias ofertas do embaixador russo no Japão. Se trata da construção de uma ponte sobre o estreito de Kerch, e há possibilidade de cooperação nesta área. Se não houvesse sanções, claro que essa cooperação seria organizada instantaneamente”, disse Hatoyama.

    Ele acrescentou que Tóquio, no futuro próximo, não irá abandonar as sanções contra a Rússia.

    O ex-primeiro-ministro também contou que ficou impressionado com a paisagem da Criméia. Além disso, ele achou que a promotora da Crimeia Natalia Poklonskaya é muito encantadora.

    Mais:

    Ex-premiê japonês: Japão deve anular sanções antirrussas e reconhecer referendo na Crimeia
    Ex-premiê do Japão visitará Crimeia, apesar dos conselhos em contrário
    Japão censura viagem de ex-premiê à Rússia
    Tags:
    mídia, Yukio Hatoyama, Crimeia, Japão, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik