17:48 22 Julho 2017
Ouvir Rádio
    Peritos holandeses trabalham no lugar da queda do Boeing malaio no leste da Ucrânia

    Mídia ucraniana afirma falsamente que Holanda acusou Rússia de abater voo MH17

    © Sputnik/ Aleksei Kudenko
    Mundo
    URL curta
    0 916110

    A mídia ucraniana unanimemente falsifica as palavras da Procuradoria holandesa. Segundo os jornalistas ucranianos, eles (procuradores holandeses) acusaram a Rússia pelo acidente do Boeing da Malaysia Airlines no leste da Ucrânia em julho do ano passado.

    Reportagens da mídia ucraniana afirmaram nesta quinta-feira (5) que peritos holandeses determinaram que o Boeing malaio teria sido abatido por um míssil superfície-ar Buk, da Federação da Rússia. Na verdade os peritos holandeses não afirmavam isto. 

    “Posso afirmar com toda a certeza que não são corretas [as informações]”, disse ao canal RT o porta-voz do Serviço Público Holandês de Procuradoria (OM), Wim de Bruin.

    “Ainda não estamos prontos a tirar qualquer conclusão”, acrescentou.     

    As reportagens ucranianas, inclusive as do canal televisivo TSN ou jornal popular Segodnya aparentemente tem origem do Uainfo, um site na Internet com o slogan “toda a verdade da blogosfera” que agrega relatos que encontra em vários sites da mídia social. Cita uma reportagem do canal de TV holandês Nederlandse Omroep Stichting (NOS) sobre o estado da investigação. 

    A reportagem escrita pelo editor do NOS Robert Bas afirma que a investigação sofre da má comunicação da Polícia holandesa e dos procuradores com o Serviço Nacional de Inteligência (AIVD) que, segundo o NOS, retém qualquer informação relacionada à investigação.

    O NOS menciona, na verdade, a hipótese de que o voo MH17 teria sido abatido por um míssil Buk, mas não afirma que a investigação holandesa a confirmou. Em vez disso, cita vídeos como fonte da alegação. A reportagem acrescenta que peritos holandeses falaram com as testemunhas, mas não revela o conteúdo destas conversações.  

    No seu site a Procuradoria holandesa nega qualquer obstrução na investigação da queda do avião por parte do Serviço Nacional de Inteligência da Holanda. 

    Em setembro 2014 Holanda publicou um relato prévio, mas só confirmou que o avião malaio se desintegrou durante o voo “por causa de danos estruturais provocados pela ação externa de numerosos objetos de alto potencial energético” mas não especificou a fonte destes objetos, deixando espaço para especulação sobre a arma usada para abater a aeronave. Um relato completo pode ser publicado em outubro deste ano.

    O avião, que fazia a rota entre Amsterdã e Kuala Lumpur, caiu em 17 de julho, na região de Donetsk. A bordo do avião seguiam 298 pessoas, incluindo 43 cidadãos da Malásia. Todas elas morreram.

    Tags:
    peritos, Boeing, acidente, avião, Holanda, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik