06:46 25 Março 2017
Ouvir Rádio
    Militantes do Estado Islâmico na Síria

    Extremistas do Estado Islâmico podem ter alimentado mulher com a carne do filho

    © AFP 2017/ ARIS MESSINIS
    Mundo
    URL curta
    0 96414

    A crueldade dos integrantes do Estado Islâmico parece não ter limites. Franceses são a favor de uma ação militar contra o EI na Síria.

    O jornal britânico The Sun publicou um depoimento estarrecedor de Yasir Abdulla, um militar da Grã-Bretanha que está lutando contra os extremistas. Segundo ele, a mãe de um jovem capturado e mantido preso na cidade de Mosul pela organização jihadista pode ter sido alimentada com a carne do próprio filho.

    Segundo relatou Abdulla ao The Sun, ela pediu aos extremistas para ao menos ver seu filho. Os militantes teriam concedido, mas disseram que precisaria se alimentar bem e descansar porque a jornada seria longa. Os militantes serviram, então, um prato com carne, arroz e sopa, além de chá. Depois da refeição, a mãe cobrou a promessa de se encontrar com o filho. Neste momento, os terroristas teriam dito: "você acabou de comê-lo".

    A reportagem salienta que não há informações sobre o paradeiro da mulher e destaca que Abdulla disse que os extremistas são bons a assustar pessoas.

    O jornal francês Le Journal du Dimanche publicou no domingo, 1 de março, uma pesquisa do Instituto Francês de Opinião Pública mostrando que os cidadãos do país são a favor de uma intervenção militar na Síria contra o Estado Islâmico. O levantamento apontou que 58% dos franceses apoiam um ataque à organização jihadista.

    O levantamento também constatou que 61% dos pesquisados foram contrários à visita oficial de quatro parlamentares do país a Damasco, na semana passada. O fato aumentou a polêmica sobre a retomada das relações com o presidente sírio, Bashar Assad, rompidas desde março de 2012 quando a França fechou sua embaixada no país.

    A visita dos parlamentares franceses aconteceu sob a alegação de que o Estado Islâmico é uma ameaça tanto à França quanto à Síria. Porém, 56% dos entrevistados na pesquisa do Instituto Francês de Opinião Pública não querem voltar a dialogar com Assad, enquanto 44% são a favor.

    Tags:
    terrorismo, Estado Islâmico, Iraque, Síria, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik