23:13 12 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Gasoduto na região de Donetsk

    Ucrânia: fornecimento de gás russo a Donbass deve ser acordado

    © Sputnik/ Mikhail Voskresensky
    Mundo
    URL curta
    Ucrânia: campo de batalha (286)
    0 61

    Segundo o chefe do Ministério da Energia da Ucrânia, Vladimir Demchishin, o lado ucraniano não pode confirmar o volume de gás russo fornecido à região de Donbass.

    Os fornecimentos de gás à região de Donbass devem ser realizados de acordo com a empresa de energia ucraniana Naftogaz, declarou Demchishin aos jornalistas após a reunião trilateral em Bruxelas (Rússia-Ucrânia-União Europeia).

    “Não podemos confirmar se a Gazprom fornece ou declara que fornece o seu gás ao território de Donbass, e não sabemos que volume é fornecido porque o fornecimento é efetuado atravéz de gasodutos aos quais o lado ucraniano não tem acesso. Nós não podemos confirmar o volume de gás, mas os russos afirmam que fornecem para esta área através de um procedimento específico.  Eles declaram que a Donbasstransgaz confirma este fato”, declarou Demchishin.

    Segundo ele, o fornecimento de gás é realizado sem ter sido acordado com o lado ucraniano, mas “o acordo entre as empresas Naftogaz e Gazprom prevê um  procedimento claro de acordo com o qual o fornecimento deve ser realizado, bem como o modo como é efetuado o pedido de volumes, que gasodutos são usados e como são suportados”.

    O ministro também declarou que Naftogaz tenta fornecer gás para os territórios das autoproclamadas Repúblicas Populares de Donetsk e Lugansk (Donbass).

    “Ucrânia fornece gás para os territórios de regiões de Donetsk e Lugansk. Existem /nesta zona/ territórios para os quais a Ucrânia forneceu… No momento a Naftogaz na realidade tenta fornecer gás para este território”, declarou o ministro da Energia ucraniano.

    Tema:
    Ucrânia: campo de batalha (286)
    Tags:
    gás, Naftogaz, Gazprom, Lugansk, União Europeia, Donetsk, Donbass, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik