13:56 17 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Prisioneiros do exército da Ucrânia

    Kiev e Donbass se preparam para libertar todos os prisioneiros

    © Sputnik/ Guenadi Dubovoi
    Mundo
    URL curta
    Ucrânia: campo de batalha (286)
    0 21

    Kiev está em negociações com as autoproclamadas Repúblicas Populares de Donetsk e Lugansk para efetuar a troca de todos os prisioneiros do conflito ucraniano no próximo sábado (21), segundo informou um representante do Ministério da Defesa ucraniano nesta sexta-feira (20).

    "Estamos nos preparando para a libertação desses prisioneiros e, no momento, estamos acordando as listas, que nos levaram 12 dias a preparar”, disse Yuriy Tandit, encarregado do ministério ucraniano para a supervisão das trocas de prisioneiros, em entrevista ao canal de televisão 112 Ukraina. Segundo o funcionário, ambos os lados estão finalizando suas listas, mas “apenas Deus”, em suas palavras, “sabe se vai haver ou não uma troca de fato”.

    A decisão de libertar todos os prisioneiros de ambos os lados mediante uma troca obedece às medidas acordadas este mês, em Minsk, pelos líderes da Rússia, da Ucrânia, da Alemanha e da França, para pôr fim ao conflito no Sudeste ucraniano. 

    As forças de Kiev e os partidários da independência na região de Donbass realizaram sua última troca de prisioneiros no final de dezembro, quando mais de 350 pessoas foram soltas.

    Na quinta-feira (19), o vice-comandante militar da autoproclamada República Popular de Donetsk (RPD), Eduard Basurin, convidou monitores da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) para supervisionarem a próxima troca de prisioneiros com Kiev.

    Tema:
    Ucrânia: campo de batalha (286)

    Mais:

    Ajuda humanitária russa chega às regiões mais devastadas do leste ucraniano
    Lugansk e Donetsk agradecem à Rússia por fornecimento de gás
    OSCE: cessar-fogo na Ucrânia não pode começar imediatamente
    Tags:
    prisioneiros, Kiev, Donbass, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik