19:36 09 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0 503
    Nos siga no

    A OTAN faz todo o possível para entrar no conflito ucraniano, escreve o colunista do jornal francês Le Point Pierre Beylau.

    "Os dirigentes da OTAN… agitam regularmente um trapo vermelho, incham o peito e fazem afirmações que fomentam hostilidade. Eles farão um grande favor ao mundo se ficarem calados”, acredita o jornalista.

    O colapso da URSS, do ponto de viste de Beylau, provocou suores frios aos generais e burocratas civis da OTAN, que prosperam somente à conta de um inimigo. Naquela altura, sublinha o colunista, a Aliança “devia ser jogada para o despejadouro insondável da História”. Porém, segundo Beylau, a OTAN aparentemente decidiu fixar a sua posição estratégica convidando novos membros e “expandindo a geografia da sua influência potencial sobre o planeta inteiro”.

    Beylau escreve que a Aliança “encontrou um novo osso para cravar os dentes”, e esse osso é a Ucrânia.

    No início a Rússia reagiu de maneira bastante calma à expansão da OTAN, mas a ideia de adesão da Geórgia e da Ucrânia à OTAN “ultrapassaram a linha vermelha para Moscou”. Isto foi uma provocação por parte da OTAN, diz o artigo.

    Mais:

    Comandante da OTAN na Europa não exclui solução militar da crise ucraniana
    Tags:
    crise, OTAN, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar