03:46 27 Março 2017
Ouvir Rádio
    Veículos armados das forças ucranianas perto de Artemivsk, no leste da Ucrânia

    Confrontos na Ucrânia matam 25 pessoas antes do início do cessar-fogo

    © REUTERS/ Gleb Garanich
    Mundo
    URL curta
    Ucrânia: campo de batalha (286)
    0 66530

    Os combates no leste da Ucrânia se intensificaram nesta sexta-feira, durante uma ofensiva organizada pelos rebeldes, que pretendem dominar um entroncamento ferroviário estratégico antes do início do cessar-fogo, marcado para ter início neste fim de semana. Ao menos 25 pessoas morreram na região.

    Apesar do acordo de paz assinado pelos líderes de Rússia, Ucrânia, Alemanha e França nesta quinta-feira em Minsk, os confrontos têm aumentado. A chanceler alemã, Angela Merkel, descreveu o cessar-fogo, que entra em vigor no domingo, como uma "luz de esperança". Entretanto, o acordo parece ter desencadeado uma guerra de última hora por território. A data marcada para os dois lados deterem as hostilidades é domingo, à 0h (horário de Kiev).

    De acordo com militares da Ucrânia, a cidade ferroviária de Debaltseve, em poder do governo, recebeu dezenas de armas e foguetes em um período de 24 horas após a reunião em Minsk.

    Andriy Lysenko, porta-voz da força militar da Ucrânia, afirmou que 11 soldados foram mortos e 40 feridos na quinta-feira, no leste do país. Autoridades regionais leais a Kiev confirmaram ao menos sete mortes de civis, enquanto os rebeldes disseram que outras sete pessoas foram mortas em ataques de artilharia nas cidades de Lugansk e Horlivka, sob domínio separatista.

    Segundo repórteres da Associated Press, havia bombardeio intenso ao longo da estrada ao norte de Debaltseve. A cidade é a última ainda conectada ao resto do território controlado pelo governo. De acordo com a agência de notícias ucraniana Interfax, o vice-ministro da defesa, Petro Mekhed, afirmou que as forças rebeldes irão hastear suas bandeiras em Debaltseve e Mariupol no domingo. Recentemente, os separatistas cercaram as forças ucranianas em quase todo o entorno de Debaltseve. A maioria dos cidadãos da cidade já fugiu por conta dos confrontos.

    Para a Ucrânia, Debaltseve deve permanecer sob controle do governo, segundo os termos de um acordo assinado em setembro do ano passado. Uma cópia do acordo vazou para a imprensa ucraniana e mostra a cidade do lado de dentro da linha de divisão assinada por rebeldes e membros do governo. Entretanto, Vladimir Putin, presidente da Rússia, e Pyotr Poroshenko, presidente da Ucrânia, discordaram sobre o futuro de Debaltseve no encontro em Minsk de quinta-feira.

    O cessar-fogo será monitorado pela Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE). Lamberto Zannier, secretário-geral da organização, espera que com o acordo, os confrontos sejam interrompidos. Para ele, os combatentes terão de se esforçar para permitir que a missão de paz, que usa câmeras instaladas em drones, seja bem-sucedida. "Nossos materiais foram alvo de ataques diversas vezes, funcionários foram capturados. Precisamos de uma mudança de atitude", comentou.

    Após o cessar-fogo, o próximo passo é a formação de uma zona de segurança entre as forças ucranianas e os rebeldes. Cada lado deve retirar sua artilharia pesada da linha do front, criando uma área de 50 a 140 quilômetros de distância. A ação tem início marcado para a próxima segunda-feira e deve ser finalizada em duas semanas.

    fonte: Estadão Conteudo

    Tema:
    Ucrânia: campo de batalha (286)

    Mais:

    Poroshenko adota "otimismo moderado" após acordo em Minsk
    Acordo de Minsk prevê retirada de tropas e reforma constitucional
    RPD: Retirada de armas da zona de conflito na Ucrânia pode levar três dias
    Tags:
    cessar-fogo, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik