01:14 23 Março 2017
Ouvir Rádio
    A presidente da Argentina Cristina Fernández de Kirchner e o presidente da China Xi Jinping

    Aproximação Pequim-Buenos Aires deve acentuar queda na vendas do Mercosul para a Argentina

    © AFP 2017/ ROLEX DELA PENA / POOL / AFP
    Mundo
    URL curta
    0 297 0 0

    A aproximação entre Argentina e China pode se refletir negativamente no comércio exterior brasileiro.

    O Brasil é responsável por 90% das exportações do Mercosul para o mercado argentino e os recentes acordos entre Buenos Aires e Pequim, em áreas como agricultura, telecomunicações, infraestrutura e tecnologia espacial, devem acentuar a queda já registrada no ano passado.

    O bloco foi responsável pela maioria das compras de bens de capital da Argentina em 2013, mas as importações do país oriundas do Mercosul caíram 34% em 2014. Ao mesmo tempo, a China vendeu mais 13% deste tipo de bem para o mercado argentino. Registro semelhante se deu entre nos bens intermediários, com o Mercosul perdendo espaço na Argentina ao registrar queda de 9% nas vendas. Por sua vez, a China exportou 9% a mais para o país sul-americano.

    O quadro é ainda pior se considerarmos a análise global das importações da Argentina. O Mercosul vendeu para o mercado argentino US$ 2,09 bilhões no ano passado, sendo ultrapassado pelo Nafta, bloco formado por EUA, Canadá e México, com US$ 2,95 bilhões e pela União Europeia, com US$ 2,93 bilhões.

    Mais:

    Brasil está preocupado com aproximação da Argentina com a China
    Relação entre Brasil e Argentina é "a mais estratégica de todas as relações"
    Cristina Kirchner apresenta oportunidades econômicas da Argentina a empresas chinesas
    Exportação de carne argentina para a Rússia aumentou 38% em 2014
    Tags:
    Mercosul, Xi Jinping, Cristina Fernández de Kirchner, China, Argentina, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik