07:55 25 Julho 2017
Ouvir Rádio
    Qadri Jamil, líder do partido de oposição esquerdista na Síria Vontade Popular

    Caos no Oriente Médio é parte da estratégia antirrussa e antichinesa dos EUA

    © AP Photo/ AP Photo/Hassan Ammar
    Mundo
    URL curta
    0 135850

    O líder do partido de oposição de esquerda na Síria Vontade Popular, Qadri Jamil, disse à agência Sputnik que os conflitos armados no Oriente Médio são parte da estratégia de longo prazo dos EUA contra a Rússia e a China a fim de segurar seu domínio econômico.

    “O verdadeiro plano dos EUA no Oriente Médio inclui a criação de um caos construtivo apoiando guerras e conflitos locais”, disse Jamil adicionando que as “intenções reais de Wahington são pôr obstáculos à Rússia e à China para proteger a hegemonia do dólar”. 

    O político participou de reuniões recentes entre representantes do governo sírio e da oposição realizadas em Moscou. 

    “A Rússia é um ‘pedaço saboroso’ para os estadunidenses por causa dos seus recursos naturais”, acredita Jamil acrescentando que a estratégia dos EUA pode incluir a fragmentação da Rússia. 

    Segundo o político, a tática de dividir para reinar  dos EUA “pode ser implementada organizando a desestabilização junto com uma presença militar elevada perto das fronteiras russas”. 

    O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg,  declarou na quinta-feira, 5 de Fevereiro, que a Aliança tem a intenção de aumentar a sua Força de Reação Rápida de 13.000 para 30.000 homens.

    O secretário-geral também disse que espera que os ministros decidam sobre a criação de seis unidades de comando e controle, a serem localizadas em Bulgária, Estônia, Letônia, Lituânia, Polônia e Romênia, servindo como ligação entre a defesa nacional dos países e as forças da OTAN.

    Mais:

    Putin: crise na Ucrânia é resultado de tentativas dos EUA de impor a sua vontade
    Comandante da OTAN na Europa não exclui solução militar da crise ucraniana
    Tags:
    conflito, guerra, Síria, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik