18:20 04 Dezembro 2016
Ouvir Rádio
    Presidente dos EUA Barack Obama

    Chancelaria russa espera "novas revelações" depois da declaração de Obama

    © Sputnik/ Vladimir Astapkovich
    Mundo
    URL curta
    0 1263327

    Durante muito tempo, os Estados Unidos alegaram que não estiveram envolvidos nos acontecimentos na Ucrânia, mas agora declaram o contrário, disse a vice-chefe do departamento de imprensa do Ministério russo das Relações Exteriores, Mariya Zakharova.

    “Os EUA não pensaram na Europa”, disse Zakharova. Este foi o seu comentário sobre a entrevista do presidente Barack Obama à CNN, na qual ele disse que os Estados Unidos "atuaram como mediadores na transição de poder na Ucrânia".

    Segundo Zakharova, por muito tempo os Estados Unidos alegaram que não estavam envolvidos nos acontecimentos na Ucrânia. 

    "Por mais de um ano a diplomacia norte-americana tentou provar, como podia, a não implicação do seu país no Maidan de 2013 [nos acontecimentos na praça da Independência]  e golpe de Estado em 2014. Por mais de um ano estavam culpando e linchando a Rússia, que ‘provocou os eventos ucranianos’, ‘zumbificou a população com a propaganda’ e  ‘planejou e realizou o cenário da Crimeia’’, escreveu Zakharova na sua página em Facebook.

    No entanto, ela lembrou que foi a Rússia que o mundo tentou isolar.

    De acordo com ela, os EUA não pensaram na Europa quando faziam tal declaração. 

    "Vocês pensaram na Europa? Como podem eles agora explicar aos seus produtores por que razão as laranjas foram dadas aos porcos, que também foram alimentados em desacordo com o plano? Mas os Estados Unidos, para colocar isso de uma maneira diplomática, respeitam a Europa é já há muito tempo que não acham necessário incomodá-la com cerimônias excessivas”.

    Ela também notou que está a espera de “novas revelações”.

    “Gostaria de ouvir os oradores falar nos temas anteriormente abafados. Por exemplo, sobre o Boeing malaio”.

    Tags:
    Facebook, Barack Obama, Europa, Ucrânia, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik

    Em foco