Torcedores do grupo Segue o Hexa perto do seu motorhome, em Kazan, em 4 de julho de 2018

'Faz dança do russo agora, faz dança do hexa': conheça torcida que ajudará Brasil a ganhar

© Sputnik / Ekaterina Nenakhova
Kazan
URL curta
Ekaterina Nenakhova
222

Nessa Copa do Mundo, o Brasil se destaca não apenas por suas jogadas incríveis, mas evidentemente também pelo apoio fantástico dos seus torcedores. Em uma viagem para Kazan, onde o time canarinho enfrentará a Bélgica nessa sexta-feira (6), encontramos-nos com o "coração" da galera "brazuca" na Rússia – o grupo "Segue o Hexa".

Um torneio como este, claro, reúne todos os tipos de aventureiros, sendo muitos deles menos inclinados a simplesmente viajar de avião, como geralmente as pessoas fazem. Disso, surge toda um espécie de histórias de indivíduos andando por continentes inteiros de bicicletas, motos, vans e kombis. Mas a história do grupo "Segue o Hexa", de São Paulo, parece mais do que especial.

Encontrados por acaso, havia um pessoal junto a uma enfeitada van estacionada perto da estrada, ouvindo o som do harmonioso funk brasileiro. Já depois, os amigos estacionaram sua "casa de rodas", ou, como eles próprios o chamam de "motorhome", em frente ao hotel onde chegaria a Seleção Brasileira dentro de algumas horas.

Os nove amigos, que chegaram à Rússia para acompanhar sua equipe predileta na segunda fase do campeonato, tendo viajado de Moscou a Samara e depois para Kazan, apresentaram uma música que virou "hino" para todo o mês da Copa. O funk "Dança do Russo", que até recebeu uma coreografia especial, começou a viralizar nas redes e, segundo sonha a própria galera do "Segue o Hexa", talvez seja até ouvido e celebrado pelos craques brasileiros após a esperada vitória em campo.

© Sputnik . Ekaterina Nenakhova
Dança do Russo

A preparação parece ter sido minuciosa, os torcedores até mesmo criaram um belo design de seu próprio slogan, que colocam em todos os lugares — desde camisetas até celulares e copos de cerveja, mesmo que as camisas do pessoal mencionem a palavra "vodka".

Lele, um dos torcedores do grupo Segue o Hexa, perto do motorhome, em Kazan, em 4 de julho de 2018
© Sputnik / Ekaterina Nenakhova
Lele, um dos torcedores do grupo "Segue o Hexa", perto do motorhome, em Kazan, em 4 de julho de 2018

Além disso, cada um dos amigos tem seu apelido e até seu papel particular no grupo. Um deles, por exemplo, chama-se "Bruxo" e nunca mostra seu rosto, andando escondido debaixo de uma máscara verde e amarela.

© Sputnik . Ekaterina Nenakhova
Torcedores comentam calor na Rússia

Seria mais do que justa a pergunta: quem é que dirige, se a torcida passa o dia todo festejando?

"A gente tem dois motoristas oficiais", responde o líder do grupo, Adriano Soncini. "Cada um tem sua função dentro do grupo dos nove […] Então, quando tem que viajar, eles se revezam", acrescenta.

"[Temos uma divisão de funções] total. Por exemplo, o Jetlove é o nosso coreógrafo. Qualquer dança, qualquer música — ele dança para você. Tem um cara que tem que comprar cerveja… Se acabou — ele vai comprar. Tem o cara que é o mais bonito, ele só faz cara bonita", conta o brasileiro, zombando.

Aliás, os amigos também não esqueceram da torcida de outros países, inclusive da russa. Além de tirar inúmeros selfies e vídeos com transeuntes, que são muitos, e ensiná-los a dançar ao som de sua música, eles também trouxeram presentinhos.

Camisetas da equipe brasileira perto do motorhome do grupo de torcida Segue o Hexa, em Kazan, em 4 de julho de 2018
© Sputnik / Ekaterina Nenakhova
Camisetas da equipe brasileira perto do motorhome do grupo de torcida "Segue o Hexa", em Kazan, em 4 de julho de 2018

"Trouxemos também 60 camisetas oficiais do Brasil para trocar com o pessoal daqui. Para levar muita coisa, muita lembrança da Rússia e de outros países para o Brasil. Então […] tem um varal extendido aqui na frente do motorhome", narra Adriano.

O líder da torcida revela, que houve um "monte de histórias" ao longo da viagem do grupo. Uma vez, por exemplo, ao estar ao lado do Movimento Verde e Amarelo e fazer uma festa com a nova música do pessoal, Adriano confessa ter tido preocupação em relação à polícia russa que estava por perto. Porém, adianta ele, não fizeram nada, senão pedir para pegar uma camiseta da Seleção.

© Sputnik . Ekaterina Nenakhova
Adriano, líder da torcida "Segue o Hexa"

"Eles [policiais] ficaram curiosos ao ver o motorhome cheio de bandeiras do Brasil. De onde vieram esses caras? Eles queriam entender por curiosidade mesmo. E o interessante é que não pediram carteira de motorista ou passaporte. Só Fan ID", acrescenta.

  • Torcedores do grupo Segue o Hexa perto do seu motorhome, em Kazan, em 4 de julho de 2018
    Torcedores do grupo "Segue o Hexa" perto do seu motorhome, em Kazan, em 4 de julho de 2018
    © Sputnik / Ekaterina Nenakhova
  • Torcedores do grupo Segue o Hexa perto do seu motorhome, em Kazan, em 4 de julho de 2018
    Torcedores do grupo "Segue o Hexa" perto do seu motorhome, em Kazan, em 4 de julho de 2018
    © Sputnik / Ekaterina Nenakhova
  • Torcedor do grupo Segue o Hexa perto do motorhome, em Kazan, em 4 de julho de 2018
    Torcedor do grupo "Segue o Hexa" perto do motorhome, em Kazan, em 4 de julho de 2018
    © Sputnik / Ekaterina Nenakhova
  • Motorhome do grupo de torcida Segue o Hexa em Kazan, em 4 de julho de 2018
    Motorhome do grupo de torcida "Segue o Hexa" em Kazan, em 4 de julho de 2018
    © Sputnik / Ekaterina Nenakhova
  • Torcedores do grupo Segue o Hexa perto do seu motorhome, em Kazan, em 4 de julho de 2018
    Torcedores do grupo "Segue o Hexa" perto do seu motorhome, em Kazan, em 4 de julho de 2018
    © Sputnik / Ekaterina Nenakhova
  • Torcedores do grupo Segue o Hexa perto do seu motorhome, em Kazan, em 4 de julho de 2018
    Torcedores do grupo "Segue o Hexa" perto do seu motorhome, em Kazan, em 4 de julho de 2018
    © Sputnik / Ekaterina Nenakhova
  • Torcedores do grupo Segue o Hexa perto do seu motorhome, em Kazan, em 4 de julho de 2018
    Torcedores do grupo "Segue o Hexa" perto do seu motorhome, em Kazan, em 4 de julho de 2018
    © Sputnik / Ekaterina Nenakhova
  • Segue o Hexa chega a Kazan de seu motorhome, em 4 de julho de 2018
    "Segue o Hexa" chega a Kazan de seu motorhome, em 4 de julho de 2018
    © Sputnik / Ekaterina Nenakhova
  • Torcedores do grupo Segue o Hexa perto do seu motorhome, em Kazan, em 4 de julho de 2018
    Torcedores do grupo "Segue o Hexa" perto do seu motorhome, em Kazan, em 4 de julho de 2018
    © Sputnik / Ekaterina Nenakhova
  • Torcedores do grupo Segue o Hexa no motorhome, em Kazan, em 4 de julho de 2018
    Torcedores do grupo "Segue o Hexa" no motorhome, em Kazan, em 4 de julho de 2018
    © Sputnik / Ekaterina Nenakhova
  • Logo go Segue o Hexa aparece na capa do celular de um dos torcedores
    Logo go "Segue o Hexa" aparece na capa do celular de um dos torcedores
    © Sputnik / Ekaterina Nenakhova
  • Torcedores do grupo Segue o Hexa no motorhome, em Kazan, em 4 de julho de 2018
    Torcedores do grupo "Segue o Hexa" no motorhome, em Kazan, em 4 de julho de 2018
    © Sputnik / Ekaterina Nenakhova
  • Torcedores do grupo Segue o Hexa perto do seu motorhome, em Kazan, em 4 de julho de 2018
    Torcedores do grupo "Segue o Hexa" perto do seu motorhome, em Kazan, em 4 de julho de 2018
    © Sputnik / Ekaterina Nenakhova
  • Torcedores do grupo Segue o Hexa jogam bola em Kazan, em 4 de julho de 2018
    Torcedores do grupo "Segue o Hexa" jogam bola em Kazan, em 4 de julho de 2018
    © Sputnik / Ekaterina Nenakhova
1 / 14
© Sputnik / Ekaterina Nenakhova
Torcedores do grupo "Segue o Hexa" perto do seu motorhome, em Kazan, em 4 de julho de 2018

Quanto às questões de comodidades, Adriano diz que na verdade não gosta de hotéis, pois esses reduzem sua mobilidade e só te fazem "fazer e desfazer mala", enquanto o predileto motorhome, mesmo sendo inicialmente destinado a sete pessoas no máximo, garante oportunidades muito mais vastas.

Torcedores do grupo Segue o Hexa jogam bola em Kazan, em 4 de julho de 2018
© Sputnik / Ekaterina Nenakhova
Torcedores do grupo "Segue o Hexa" jogam bola em Kazan, em 4 de julho de 2018

Além do mais, o grupo ainda faz de tudo para manifestar carinho à Seleção, por exemplo, na chegada do time a Kazan, planejam entregar um colchão especial para Marcelo, que tinha sentido dores nas costas durante a partida contra a Sérvia. A história hilariante foi logo divulgada pelas mídias e redes sociais brasileiras.

Mais uma história incrível em relação ao concurso que a galera organizou ainda estando no Brasil, foi a competição de melhor interpretação da "Dança do Russo". O vencedor, que fez a dança em pleno momento de pular de paraquedas em Dubai, veio junto com a torcida para a Rússia.

Após uma viagem "gigante" de 18 horas desde Samara a Kazan, os aventureiros esperam ir a São Petersburgo, onde a equipe canarinha jogará, caso ganhe o jogo contra a Bélgica. Contudo, com uma torcida dessas, o Brasil não tem nenhuma chance de perder!

Mais:

Alegria e reverência dão a cara da torcida brasileira nas oitavas da Copa
Alô, portugas! Será que ausência da torcida lusa em Sochi definiu a derrota de Portugal?
Torcida lusa se impressiona com comida russa e sonha com final Rússia-Portugal
'Incidentes de discriminação na Copa foram reduzidos a quase zero', diz inspetor russo
Metrô de São Paulo exibe 'Prontidão Máxima!' da Rússia para Copa do Mundo de 2018
Alemanha repete tabu e Brasil se classifica em primeiro em mais um dia de Copa do Mundo
Tags:
motorhome, futebol, funk, torcida, Copa 2018, Seleção Brasileira, Neymar, Kazan, Brasil, Rússia
Padrões da comunidadeDiscussão
Comentar no FacebookComentar na Sputnik