14:35 23 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    0250
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil está acompanhando as matérias mais relevantes desta quinta-feira (2), marcada pelos resultados do encontro entre os presidentes americano e ucraniano, pela abertura do Fórum Econômico do Oriente na cidade russa de Vladivostok e pelo tiroteio em escola da Carolina do Norte.

    COVID-19: SP não priorizará Pfizer para dose de reforço; ministro do STF Nunes Marques testa positivo

    Nesta quarta-feira (1º), o governo de São Paulo manteve a decisão de não priorizar a vacina Pfizer para dose de reforço contra o coronavírus, apesar da orientação do Ministério da Saúde e da opinião de cientistas. O governo do estado confirmou que a dose adicional será aplicada a partir da segunda-feira que vem (6) com "a vacina que estiver disponível no posto de saúde no momento". Além disso, a gestão João Doria disse que exclusão do imunizante CoronaVac pela pasta como dose de reforço foi uma decisão política. Além disso, ontem (1º), o ministro Nunes Marques do Supremo Tribunal Federal testou positivo para a COVID-19. Mesmo assim, conforme a assessoria de imprensa, o ministro não se afastará de suas atividades e continuará trabalhando de forma remota, informa o portal UOL. O ministro foi vacinado contra o coronavírus há algum tempo. Agora, ele está bem e assintomático. Entretanto, o Brasil confirmou mais 703 mortes e 25.805 casos de COVID-19, totalizando 581.228 óbitos e 20.803.672 diagnósticos da doença, informou o consórcio entre secretarias estaduais de saúde e veículos de imprensa.

    O ministro do STF, Kássio Nunes Marques
    © Folhapress / Pedro Ladeira
    O ministro do STF, Kássio Nunes Marques

    Câmara aprova texto-base da reforma do Imposto de Renda

    Nesta quarta-feira (1º), o plenário da Câmara dos Deputados aprovou o texto-base do projeto que altera o Imposto de Renda de pessoas físicas, empresas e investimentos. A proposta foi aprovada por 398 votos a 77 e seguirá para o Senado. O governo federal tinha enviado o projeto ao Congresso em junho como parte da reforma tributária. A proposta prevê o reajuste na tabela do Imposto de Renda e ampliação da faixa de isenção. Além da tributação de dividendos, o texto-base aprovado reduz o Imposto de Renda para Pessoa Jurídica (IRPJ), dos atuais 25% para 18%, em vez de 12,5% na proposta inicial. Conforme o relator da matéria, deputado Celso Sabino, a reforma beneficiará por volta de 16 milhões de contribuintes isentos da tributação do Imposto de Renda para Pessoa Física. "A correção na faixa de isenção da tabela do Imposto de Renda será a maior desde o Plano Real", informou Sabino. "Não haverá uma só empresa ou pessoa que não seja beneficiada por essa reforma", acrescentou, citado pelo Correio Braziliense.

    O presidente da câmara dos deputados Arthur Lira chega à Câmara dos Deputados
    © Folhapress / Pedro Ladeira
    O presidente da câmara dos deputados Arthur Lira chega à Câmara dos Deputados

    Resultados do encontro entre os presidentes norte-americano e ucraniano

    Em resultado da reunião entre o presidente ucraniano Vladimir Zelensky e o presidente americano Joe Biden, os dois líderes assinaram ontem (1º) um comunicado conjunto sobre a Parceria Estratégica EUA-Ucrânia. Zelensky está em Washington em visita de trabalho. Conforme o documento, os Estados Unidos confirmam que vão continuar o treinamento das Forças Armadas ucranianas em conformidade com o status da Ucrânia como Parceiro de Oportunidades Reforçadas da OTAN. De acordo com o comunicado, os EUA saúdam o progresso da Ucrânia nas reformas da indústria de defesa e das Forças Armadas, incluindo a adoção de uma nova estratégia para a indústria de defesa. "Os Estados Unidos apoiam o direito da Ucrânia de decidir seu próprio rumo de política externa, livre de interferências externas, incluindo no que diz respeito às aspirações da Ucrânia de se juntar à OTAN", continuou. Além do encontro com Biden, o presidente ucraniano teve uma reunião com representantes de empresas dos EUA e exortou-os a investir na Ucrânia. A reunião envolveu empresas financeiras e de energia, companhias que operam no setor agrícola, infraestrutura e defesa. Zelensky relatou aos empresários norte-americanos o plano da transformação de seu país, destinado a atrair cerca de US$ 300 bilhões (R$ 1,5 trilhão) à economia ucraniana. Segundo escreveu o jornal The New York Times, "a decisão de permitir que o senhor Zelensky fosse o segundo líder europeu a visitar a Casa Branca desde a posse de Biden enviou um sinal forte de que a Ucrânia permanece uma prioridade para a administração [dos EUA]".

    Presidente dos EUA Joe Biden durante encontro com o presidente ucraniano Vladimir Zelensky na Casa Branca, EUA, 1º de setembro de 2021
    © REUTERS / Jonathan Ernst
    Presidente dos EUA Joe Biden durante encontro com o presidente ucraniano Vladimir Zelensky na Casa Branca, EUA, 1º de setembro de 2021

    Talibã se prepara para revelar novo governo afegão em meio à turbulência econômica

    Os líderes do Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) se preparam para revelar hoje (2) seu novo governo, enquanto a economia do Afeganistão está oscilando à beira do colapso mais de duas semanas após militantes islamistas terem capturado o poder em Cabul. Um alto funcionário do movimento, Ahmadullah Muttaqi, disse nas redes sociais que a cerimônia está sendo preparada no palácio presidencial na capital afegã, enquanto a emissora Tolo News informa que o anúncio do novo governo está iminente. Está previsto que o líder supremo do Talibã, Haibatullah Akhundzada, encabece um conselho governamental, com um presidente abaixo dele, disse uma personalidade oficial à Reuters no mês passado. A legitimidade do novo governo aos olhos dos doadores e investidores internacionais será crucial para a economia do país centro-asiático, que, segundo analistas, pode entrar em colapso após o regresso dos talibãs ao poder. Segundo a Reuters, o Talibã tenta "apresentar um rosto mais moderado para o mundo" desde que derrotou o governo apoiado pelos EUA, prometendo proteger os direitos humanos e se abster de represálias contra velhos inimigos. Mas os Estados Unidos e a União Europeia, entre outros, têm lançado dúvidas sobre tais garantias, dizendo que o reconhecimento formal do novo governo e a ajuda económica que daí resultaria depende das suas ações. "Nós não vamos acreditar na palavra deles, vamos acreditar nos atos deles", disse durante um briefing a vice-secretária de Estado americana Victoria Nuland.

    Apoiadores do Talibã celebram a retirada completa de tropas americanas do Afeganistão, Kandahar, 1º de setembro de 2021
    © AFP 2021 / JAVED TANVEER
    Apoiadores do Talibã celebram a retirada completa de tropas americanas do Afeganistão, Kandahar, 1º de setembro de 2021

    Fórum Econômico do Oriente abre em Vladivostok, na Rússia

    A cidade russa de Vladivostok, no Extremo Oriente do país, acolhe hoje (2) o Fórum Econômico do Oriente (FEO). Realizado anualmente a partir de 2015, o fórum foi cancelado em 2020 devido à pandemia. Neste ano, o encontro vai durar de 2 a 4 de setembro e é dedicado às novas oportunidades para a região do Extremo Oriente no mundo em mudança. O evento, destinado a desenvolver laços empresariais e atrair investidores nacionais e internacionais para o Extremo Oriente russo, ocorrerá em formato misto. Embora o fórum seja sobre negócios e assinatura de contratos, haverá também uma exposição. O primeiro carro de luxo movido a hidrogênio da Rússia, Aurus, será apresentado no fórum. O presidente russo Vladimir Putin fará uma visita oficial a Vladivostok e deverá participar do evento. Hoje (2), o líder russo vai realizar uma videoconferência sobre o desenvolvimento socioeconômico da região, e amanhã (3) deve fazer o discurso na sessão plenária do FEO, com presença remota dos líderes do Cazaquistão, Mongólia, Argentina, China, Índia e Tailândia. O presidente da China, Xi Jinping, também fará pronunciamento no fórum na sexta-feira (3) em formato televisivo, conforme informou a chancelaria chinesa.

    Participantes do Fórum Econômico do Oriente em Vladivostok, Rússia, 2 de setembro de 2021
    © Sputnik / Grigory Sysoev
    Participantes do Fórum Econômico do Oriente em Vladivostok, Rússia, 2 de setembro de 2021

    Tiroteio em escola no estado da Carolina do Norte deixa 1 estudante morto

    Um estudante foi morto na sequência de um tiroteio em uma escola de Winston-Salem, Carolina do Norte, disse a chefe da polícia da cidade, Catrina Thimpson, durante coletiva de imprensa na quarta-feira (1º). "Um estudante foi localizado com um ferimento de bala. Socorristas começaram a salvar vidas e o estudante ferido foi transportado para o Centro de Saúde da Universidade Baptista Wake Forest, onde não resistiu aos ferimentos", contou ela. A chefe da polícia adicionou que o atirador fugiu da escola após o incidente e ainda não foi detido pelas autoridades, que estão investigando ativamente o caso. O autor do ataque possivelmente teria sido outro estudante da escola secundária onde o incidente ocorreu. Os policiais falaram com a mãe da vítima e prometeram que vão fazer tudo o possível para achar o responsável. Esta é já a segunda escola do estado onde ocorre um ataque a tiros nos últimos três dias. Algumas escolas foram fechadas no distrito durante várias horas após o incidente.

    Mais:

    Portugal reabre para turistas vindos do Brasil: 'Tendência é de um brutal aumento de brasileiros'
    Marinha dos EUA lança ao mar 3º e último destróier Zumwalt (FOTOS)
    'China não é a União Soviética': embaixador chinês critica a mentalidade da Guerra Fria dos EUA
    Tags:
    Brasil, Vladimir Putin, Vladimir Zelensky, Ucrânia, EUA, Joe Biden, tiroteio, Carolina do Norte, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar