04:44 03 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    1320
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil está acompanhando as matérias mais relevantes desta quinta-feira (17), marcada pela flexibilização da Lei de Improbidade Administrativa no Brasil, pelos comentários de Trump sobre a cúpula Putin-Biden e pela vacinação obrigatória em Moscou.

    Brasil receberá novas entregas de vacinas Pfizer e Sputnik V

    Nesta quarta-feira (16), o Ministério da Saúde anunciou a chegada de 15 milhões de doses da vacina Pfizer contra o novo coronavírus já em junho. De acordo com o ministério, a entrega de sete milhões deste lote foi antecipada. Além disso, no dia anterior (15), a Anvisa autorizou a importação excepcional de 592 mil doses da vacina russa Sputnik V pelos estados Rio Grande do Norte, Mato Grosso, Rondônia, Pará, Amapá, Paraíba e Goiás. O primeiro lote é previsto para chegar ao Brasil no início de julho. Enquanto isso, mais de 24 milhões de pessoas no país completaram o curso de vacinação recebendo ambas as doses de imunizante, o que corresponde a 11,40% da população. O Brasil confirmou mais 2.673 mortes e 85.861 casos de COVID-19, totalizando 493.837 óbitos e 17.629.714 diagnósticos da doença, informou o consórcio entre secretarias estaduais de saúde e veículos de imprensa.

    Estudantes brasileiros aguardam para tomar dose da vacina Pfizer/BioNTech, durante vacinação de adolescentes em escola pública em Betim, Minas Gerais, 16 de junho de 2021
    © REUTERS / WASHINGTON ALVES
    Estudantes brasileiros aguardam para tomar dose da vacina Pfizer/BioNTech, durante vacinação de adolescentes em escola pública em Betim, Minas Gerais, 16 de junho de 2021

    Câmara aprova modificações na Lei de Improbidade Administrativa

    Nesta quarta-feira (16), a Câmara dos Deputados aprovou o projeto que altera a Lei de Improbidade Administrativa. A modificação da lei foi votada com 408 votos a favor e 67 contra. O objetivo principal do documento é evitar distorções e excessos na gestão administrativa, de acordo com o presidente da Câmara, deputado Arthur Lira. "Agora vamos separar o joio do trigo. Somente será punido por improbidade quem agir para lesar efetivamente o Estado", disse, citado pelo Correio Brasiliense. O texto prevê punição para funcionários públicos que ajam com fins ilícitos. A principal mudança do documento, segundo o portal UOL, é a limitação de possibilidade de punir agentes públicos, os quais serão sancionados apenas se for comprovada a intenção de cometer a ilegalidade. O relator da proposta, o deputado Carlos Zarattini, acredita que assim os administradores vão exercer suas funções sem receios de serem punidos por tudo.

    O presidente da Câmara, deputado Arthur Lira
    © Folhapress / Pedro Ladeira
    O presidente da Câmara, deputado Arthur Lira

    'Dia bom para a Rússia', disse Trump sobre a cúpula Biden-Putin

    Nesta quinta-feira (17), o ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, comentou o encontro entre os presidentes da Rússia e dos EUA, Vladimir Putin e Joe Biden, em entrevista ao Fox News. "Penso que foi um bom dia para a Rússia. Não vejo o que ganhamos com isso", afirmou o republicano, adicionando que "demos um grande palco à Rússia e não conseguimos nada com isso". Ele também disse que as relações russo-americanas poderiam ter sido "incríveis". A cúpula Rússia-EUA ocorreu ontem (16) em Genebra, Suíça. Putin e Biden, após 4,5 horas de conversações, acordaram em iniciar consultas sobre estabilidade estratégica mundial e expressaram sua aderência ao princípio de que a guerra nuclear não deve ser desencadeada, entre outros assuntos. Além disso, o presidente russo confirmou que os embaixadores dos dois países "retornam às suas funções permanentes" e que a data exata de seu regresso "é uma questão puramente técnica".

     Presidente russo Vladimir Putin (à esquerda) aperta a mão de seu homólogo norte-americano Joe Biden durante cúpula EUA-Rússia em Genebra, Suíça, 16 de junho de 2021
    © AP Photo / Aleksandr Zemlyanichenko
    Presidente russo Vladimir Putin (à esquerda) aperta a mão de seu homólogo norte-americano Joe Biden durante cúpula EUA-Rússia em Genebra, Suíça, 16 de junho de 2021

    UE levanta restrições da COVID-19 enquanto Moscou introduz vacinação obrigatória

    Nesta quarta-feira (16), os países da União Europeia acordaram em suspender as restrições do coronavírus para viajantes dos EUA. Os Estados Unidos são assim adicionados a uma lista de países aos quais deverão ser canceladas as restrições às viagens não essenciais. A lista também inclui a Macedônia do Norte, Albânia, Sérvia, Líbano e Taiwan e deve ser aprovada amanhã (18). Entretanto, as autoridades sanitárias de Moscou e de província homônima fizeram obrigatória a vacinação contra a COVID-19 para certos setores. A medida atinge ao menos 60% dos empregados nos setores do comércio, serviços, restaurantes, transporte, saúde, educação, cultura e serviços comunitários. Assim, até 15 de agosto, cerca de dois milhões de moscovitas devem ser vacinados. Prefeito de Moscou, Sergei Sobyanin, anunciou novas restrições devido ao aumento do número diário de casos da COVID-19 na capital russa.

    Pessoas em restaurante em meio à pandemia do coronavírus em Moscou, Rússia, 15 de junho de 2021
    © Sputnik / Mikhail Voskresensky
    Pessoas em restaurante em meio à pandemia do coronavírus em Moscou, Rússia, 15 de junho de 2021

    China lança com sucesso sua 1ª missão espacial tripulada em quase 5 anos

    Nesta quarta-feira (16), a China lançou uma missão tripulada ao espaço, a sétima desde 2003 e a primeira em quase cinco anos. A nave Shenzhou-12, com três astronautas a bordo, foi lançada às 22h22, horário de Brasília, com ajuda de foguete Grande Marcha-2F, da base espacial situada no deserto de Gobi, no noroeste da China. A Agência de Voos Espaciais Tripulados da China (CMSA, na sigla em inglês) já qualificou este lançamento como um sucesso. Os astronautas Nie Haisheng, Liu Boming e Tang Hongbo passarão três meses em órbita, o que marcará um novo recorde de duração para as missões tripuladas do país asiático. O anterior, de 33 dias, foi estabelecido em 2016. Durante a missão, os tripulantes devem realizar dois passeios espaciais e uma série de experiências científicas.

    Mulher passa na frente de tela de televisão mostrando a transmissão ao vivo do lançamento do foguete chinês Grande Marcha-2F com nova tripulação, Pequim, 17 de junho de 2021
    © AFP 2021 / Andy Wong
    Mulher passa na frente de tela de televisão mostrando a transmissão ao vivo do lançamento do foguete chinês Grande Marcha-2F com nova tripulação, Pequim, 17 de junho de 2021

    Congresso dos EUA aprova novo feriado federal

    Nesta quarta-feira (16), o Congresso dos Estados Unidos decidiu declarar o dia 19 de junho novo feriado federal. A iniciativa, ligada à abolição da escravidão, foi aprovada com 415 votos a favor e 14 contra e será enviada ao presidente Joe Biden. O dia 19 de junho comemora o dia em que os últimos escravos afro-americanos souberam que eram livres. Nesse dia, em 1865, os soldados norte-americanos da União anunciaram a notícia da liberdade em Galveston, estado do Texas, EUA. Será o primeiro novo feriado federal desde a criação do Dia de Martin Luther King em 1983. A autora da iniciativa, Sheila Jackson Lee, explicou a proposta pelo desejo de comemorar o fim do sistema da escravidão nos EUA.

    Mais:

    FOTO incrível mostra o quão rápido Estação Espacial Internacional está se movendo
    Assédio sexual: MP-RJ processa colégio católico e pede afastamento de diretores por omissão; entenda
    Wilson Witzel, sua esposa e mais 10 viram réus na Justiça Federal por organização criminosa
    Tags:
    Joe Biden, Vladimir Putin, Brasil, cúpula, Genebra, espaçonave, China, Moscou, Donald Trump
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar