06:20 10 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    1214
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil acompanha os destaques desta quinta-feira (15), marcada pela interrupção da vacinação contra a COVID-19 em quatro capitais brasileiras, pelo julgamento do caso Lula no STF, pelo anúncio de Biden sobre retirada dos EUA do Afeganistão e pelas novas sanções de Washington contra a dívida pública russa.

    Capitais suspendem campanha de vacinação por falta de doses

    Nesta quarta-feira (14), as cidades de Salvador, Curitiba, João Pessoa e Rio Branco suspenderam a campanha de vacinação contra a COVID-19 por falta de imunizantes. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) anunciou a entrega de cinco milhões de vacinas ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) até a próxima sexta-feira (23). A propagação das variantes brasileiras do novo coronavírus segue em ritmo acelerado, com cerca de 22 países impondo restrições à entrada de pessoas provenientes do Brasil em seus territórios, segundo levantamento do jornal Folha de São Paulo. Alemanha, Argentina, Arábia Saudita, França, Irã, Itália e Japão são alguns dos países que tentam evitar a chegada das variantes P.1 e P.2. O Brasil confirmou mais 3.462 mortes e 75.998 casos de COVID-19, totalizando 362.180 óbitos e 13.677.564 casos da doença, segundo consórcio entre secretarias estaduais de saúde e veículos de imprensa.

    Pessoas recebem alimentos doados pelo grupo G10 Favelas, que reúne empresários oriundos de comunidades, em Heliópolis, São Paulo, 14 de abril de 2021
    © REUTERS / Carla Carniel
    Pessoas recebem alimentos doados pelo grupo G10 Favelas, que reúne empresários oriundos de comunidades, em Heliópolis, São Paulo, 14 de abril de 2021

    STF julga anulação das condenações de Lula

    Nesta quinta-feira (15), o Supremo Tribunal Federal (STF) deve julgar em plenário a manutenção da decisão do ministro, Edson Fachin, sobre a anulação das condenações do ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, no âmbito da operação Lava Jato. A decisão garante a elegibilidade de Lula, que poderá concorrer à presidência em 2022. Os ministros devem analisar recurso apresentado pela Procuradoria-Geral da República (PGR), que pede a derrubada da decisão de Fachin. Além disso, o Tribunal de Contas da União (TCU) inocentou, a ex-presidente, Dilma Rousseff, no caso da compra da refinaria de Pasadena, nesta quarta-feira (14). Dilma ocupava cadeira no conselho de administração da Petrobras na época da aquisição. O tribunal considerou que não houve dolo ou má-fé por parte da ex-presidente.

    Apoiadores do ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, protestam em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília, 14 de abril de 2021
    © REUTERS / Adriano Machado
    Apoiadores do ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, protestam em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília, 14 de abril de 2021

    Biden anuncia retirada de tropas dos EUA do Afeganistão

    Nesta quarta-feira (14), o presidente dos EUA, Joe Biden, anunciou a retirada de tropas do Afeganistão, dizendo ter chegado "a hora de acabar" com a guerra mais longa travada pelos EUA. "Eu acredito que a nossa presença no Afeganistão deve ser focada na razão pela qual nós entramos no país inicialmente: garantir que o Afeganistão não seja usado como uma base a partir da qual ataques seriam realizados contra nossa pátria. Nós fizemos isso. Nós atingimos esse objetivo", disse Biden. Para ele, os EUA nunca tiveram a intenção de "unificar" o Afeganistão, garantindo um acordo entre o grupo Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e demais países) e o governo em Cabul. O presidente norte-americano anunciou que os EUA devem iniciar o cronograma de retirada de suas 2.500 tropas do Afeganistão no dia 1º de maio e terminar o processo em 11 de setembro, durante o aniversário dos atentados terroristas que motivaram a invasão.

    Presidente dos EUA, Joe Biden, se emociona durante discurso no cemitério militar de Arlington, Virginia, EUA, 14 de abril de 2021
    © REUTERS / Tom Brenner
    Presidente dos EUA, Joe Biden, se emociona durante discurso no cemitério militar de Arlington, Virginia, EUA, 14 de abril de 2021

    Policial acusada de matar jovem negro é presa nos EUA

    Nesta quarta-feira (14), a policial Kimberly Potter foi presa, acusada de homicídio culposo, após atirar fatalmente em jovem negro de 20 anos durante operação de rotina de blitz de trânsito na cidade de Minneapolis, no estado norte-americano de Minnesota. Daunte Wright teria sido retido pela polícia por estar com os documentos de seu carro vencidos. A policial alega que a morte foi acidental, uma vez que ela confundiu sua arma de eletrochoque com sua arma de fogo e atirou no jovem. A morte gerou onda de protestos no estado, que aguarda o resultado do julgamento do ex-policial, Derek Chauvin, acusado de matar George Floyd em maio de 2020. 

    Manifestante tem seu rosto lavado após a polícia utilizar agentes químicos para dispersar ato contra a morte de Daunte Wright, em Brooklyn Center, Minnesota, EUA, 14 de abril de 2021
    © REUTERS / Leah Millis
    Manifestante tem seu rosto lavado após a polícia utilizar agentes químicos para dispersar ato contra a morte de Daunte Wright, em Brooklyn Center, Minnesota, EUA, 14 de abril de 2021

    Kerry se reúne com autoridades chinesas para debater meio ambiente

    Nesta quinta-feira (15), o enviado norte-americano para assuntos do Clima, John Kerry, deve se reunir com autoridades chinesas em Xangai, na primeira visita oficial de membro do alto escalão da administração Biden à China. Kerry tenta alçar os EUA à liderança nos assuntos sobre meio ambiente e climáticos, apesar do legado controverso deixado pela administração Trump nesta seara. A China anunciou plano ambicioso para tornar-se uma economia neutra em emissões de carbono até 2060. A administração Biden, por sua vez, retornou os EUA ao Acordo de Paris sobre o clima e colocou o meio ambiente no topo de sua agenda política. Apesar das dificuldades no relacionamento bilateral, representantes da China e dos EUA devem debater possibilidades de cooperação nesta área, reportou a AFP.

    Delegação do enviado especial dos EUA para assuntos do Clima, John Kerry, é transportada para hotel em Xangai, China, 14 de abril de 2021
    © REUTERS / Aly Song
    Delegação do enviado especial dos EUA para assuntos do Clima, John Kerry, é transportada para hotel em Xangai, China, 14 de abril de 2021

    Novas sanções dos EUA devem atingir títulos da dívida pública russa, diz mídia

    Nesta quinta-feira (15), o jornal norte-americano The New York Times reportou que novas sanções dos EUA contra Moscou devem atingir títulos da dívida pública russa. Sanções à compra de títulos da dívida soberana de um país restringem a sua capacidade de adquirir moeda forte e geram incerteza em investidores, que passam a temer serem excluídos do mercado financeiro dos EUA. De acordo com o jornal, Washington usa estratégias semelhantes contra o Irã. Além das novas sanções, os EUA devem expulsar cerca de dez diplomatas russos dos EUA. Nesta quarta-feira (14), o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que não há pressa em organizar uma possível reunião entre os presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e seu homólogo norte-americano, Joe Biden.

    Mais:

    Após conversa de Biden e Putin, embaixador dos EUA é convocado para receber aviso da Rússia
    Moscou usará outras alternativas se for desconectada do SWIFT, diz vice-chanceler russo
    EUA continuarão enviando armas e instrutores militares à Ucrânia, diz Pentágono
    Tags:
    Black Lives Matter, clima, Afeganistão, pandemia, vacinação, COVID-19, Lula, EUA, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar