21:52 11 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    2311
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil acompanha as notícias mais relevantes desta quarta-feira (31), marcada pela conclusão do lote-piloto da vacina Sputnik V produzida no Brasil, pela demissão dos comandantes das Forças Armadas e pela tragédia "sem fim" enfrentada pelos brasileiros.

    Recorde após recorde, Brasil vive tragédia 'sem fim'

    Em novo recorde, o Brasil registrou 3.668 mortes por COVID-19 nas últimas 24 horas, atingindo, na terça-feira (30), um total de 317.936 óbitos pela doença. A média móvel de mortes no país dos últimos sete dias chegou a 2.728, pior marca neste quesito pelo quinto dia consecutivo. Em comparação com a média de 14 dias atrás, a variação é superior em 34%, o que indica uma tendência de alta nos óbitos pela doença. Ao todo, 17 estados e o Distrito Federal estão com alta na quantidade de mortes: ES, MG, RJ, SP, DF, GO, MS, MT, AP, TO, AL, CE, MA, PB, PE, PI, RN e SE.

    Um paciente que testou positivo para COVID-19 aguarda no corredor para ser transferido à UTI em hospital de Bauru, São Paulo, 23 de março de 2021
    © REUTERS / Leonardo Benassatto
    Um paciente que testou positivo para COVID-19 aguarda no corredor para ser transferido à UTI em hospital de Bauru, São Paulo, 23 de março de 2021

    União Química conclui lote-piloto da vacina russa Sputnik V produzido no Brasil

    A farmacêutica União Química anunciou a conclusão do primeiro lote da vacina russa Sputnik V contra COVID-19 produzido totalmente no Brasil, graças à transferência tecnológica do Ingrediente Farmacêutico Ativo da Rússia para a empresa brasileira. O primeiro lote será enviado a Moscou para certificação. Em janeiro, a União Química havia solicitado o uso emergencial da vacina que foi negada pela Anvisa. A falta de aprovação da vacina russa pela reguladora brasileira coloca em risco o cronograma de imunização divulgado pelo Ministério da Saúde.

    • Vivendo um caos nacional, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, realizou duas reuniões com representantes dos EUA, para tentar receber ajuda e "acelerar" a vacinação brasileira. O ministro quer a antecipação de 20 milhões de doses da vacina da Pfizer, comprometendo-se a devolver aos norte-americanos futuramente. Além disso, barganhou por insumos, medicamentos e oxigênio.
    • A Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão na casa de uma suspeita de participar de uma vacinação clandestina contra a COVID-19. A suspeita estaria comercializando ilegalmente as vacinas. Agora, as autoridades vão investigar se as vacinas eram falsas ou se foram desviadas do Ministério da Saúde. Caso a ação seja confirmada, a suspeita, Mônica Pinheiro Torres de Freitas, poderá ser condenada a até 15 anos de prisão.
    Vacina Sputnik V produzida no Brasil, pela União Química
    Vacina Sputnik V produzida no Brasil, pela União Química

    Em reunião tensa, líderes das Forças Armadas são demitidos

    A reunião tensa entre os comandantes das Forças Armadas do Brasil e o novo ministro da Defesa, Walter Braga Netto, foi marcada por frases duras e tapas na mesa, terminando com os três comandantes demitidos devido a atrito com o presidente Jair Bolsonaro. Os comandantes Edson Leal Pujol (Exército), Ilques Barbosa Júnior (Marinha) e Antônio Carlos Bermudez (Força Aérea) discordaram da politização das Forças Armadas. Bolsonaro, inclusive, é muito criticado pela Marinha, onde os militares consideram inadmissíveis a falta de compostura do presidente brasileiro no cargo e seus erros na crise da COVID-19.

    Militares do Exército Brasileiro patrulham Floresta Amazônica para combater o desmatamento ilegal na região
    © REUTERS / Exército do Brasil
    Militares do Exército Brasileiro patrulham Floresta Amazônica para combater o desmatamento ilegal na região

    Brasil pode mudar abordagem com China

    Com o novo chanceler, o Brasil pode mudar sua abordagem com relação à China, mas sem abandonar o conservadorismo nos costumes, ou seja, provavelmente manterá a agenda conservadora do bolsonarismo em sua pauta, segundo pessoas próximas ao novo ministro Carlos França, citadas pelo jornal Folha. Além disso, o chanceler deve priorizar a relação comercial com os chineses e uma aproximação com os EUA. Contudo, Carlos França deverá seguir a ideologia do governo, já que o deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, deve manter a influência sobre a chancelaria.

    Presidentes da China, Xi Jinping, e do Brasil, Jair Bolsonaro, se cumprimentam durante cúpula dos BRICS em Brasília, em 2019
    © AP Photo / Eraldo Peres
    Presidentes da China, Xi Jinping, e do Brasil, Jair Bolsonaro, se cumprimentam durante cúpula dos BRICS em Brasília, em 2019

    Rússia está pronta para restaurar interação com UE

    O presidente russo, Vladimir Putin, disse à chanceler alemã, Angela Merkel, e ao presidente francês, Emmanuel Macron, que a Rússia está pronta para restaurar a interação normal e despolitizada com a União Europeia, se houver um interesse recíproco. Ainda de acordo com o Kremlin, as negociações entre os líderes foram realizadas em uma atmosfera profissional e franca, tendo sido acordado continuar o trabalho em toda a agenda atual.

    Presidente da Rússia, Vladimir Putin durante videoconferência com o Conselho de Relações Exteriores, 30 de março de 2021
    © Sputnik / Aleksei Druzhinin
    Presidente da Rússia, Vladimir Putin durante videoconferência com o Conselho de Relações Exteriores, 30 de março de 2021

    EUA ordenam saída de diplomas não essenciais de Mianmar

    Na terça-feira (30), o Departamento de Estado dos EUA informou ter ordenado a saída de diplomatas não essenciais de Mianmar, em meio ao aumento da repressão contra manifestantes contrários ao golpe militar no país asiático. De acordo com a Associação de Assistência para os Presos Políticos (AAPP) de Mianmar, o número de civis mortos na repressão já ultrapassou 520 desde o golpe militar de 1º de fevereiro. Os manifestantes exigem a restauração do governo civil eleito nas urnas e a libertação de sua principal figura política, a ex-conselheira de Estado Aung San Suu Kyi. As autoridades militares do país asiático, por sua vez, têm reprimido os protestos com gás lacrimogêneo, balas de borracha e, inclusive, munição real.

    Pessoas protestam contra o golpe militar na cidade de Launglon, Mianmar, 30 de março de 2021
    © REUTERS / Dawei Watch
    Pessoas protestam contra o golpe militar na cidade de Launglon, Mianmar, 30 de março de 2021

    Mais:

    Brasil acumula 312.206 mortes provocadas pela COVID-19
    ONU se diz chocada com violência em repressão a protestos em Mianmar (FOTOS, VÍDEO)
    Mais de 500 civis já foram mortos após golpe militar em Mianmar, diz ONG
    Presidente do Cazaquistão pede a Putin para garantir entregas extras da Sputnik V
    OMS conclui que COVID-19 saltou de morcegos para humanos através de outro animal
    Pesquisa mostra que 26% dos franceses gostariam de tomar vacina russa Sputnik V
    Maduro oferece petróleo em troca de vacinas contra a COVID-19 (VÍDEO)
    Tags:
    Sputnik V, militares, vacinação, vacina, COVID-19, novo coronavírus, China, Rússia, eua, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar