11:10 13 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    3254
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil acompanha os destaques desta terça-feira (30), marcada pelo novo recorde de mortes no Brasil, pelo apelo brasileiro ao uso "racional" de oxigênio, pela suspensão portuguesa de voos do Brasil, e pela pressão dos EUA ao desmatamento ilegal no Brasil.

    Sem rumo, Brasil bate novo recorde de mortes por COVID-19

    O Brasil contabilizou 1.969 mortes por COVID-19, nesta segunda-feira (29), chegando a um total de 314.268 óbitos desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes no país nos últimos sete dias subiu para 2.655, sendo um novo recorde. O novo número é 34% maior que a média de óbitos de 14 dias atrás, o que indica uma tendência de alta nas mortes pela doença. Ao todo, 18 estados e o Distrito Federal estão com alta na quantidade de mortes: Paraná, Santa Catarina, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Amapá, Rondônia, Tocantins, Alagoas, Ceará, Maranhão, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe.

    Coveiros carregam caixão de José Roberto Inácio, de 63 anos, vítima da COVID-19, em Piratininga, São Paulo, 24 de março de 2021
    © REUTERS / Leonardo Benassatto
    Coveiros carregam caixão de José Roberto Inácio, de 63 anos, vítima da COVID-19, em Piratininga, São Paulo, 24 de março de 2021

    Brasil teme e pode apelar ao uso 'racional' de oxigênio

    O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, pretende fazer uma campanha para o uso "racional" de oxigênio nos hospitais. Queiroga não vê necessidade de colocar o oxigênio nasal em todos os pacientes com COVID-19 que chegam aos hospitais. Com isso, um plano de abastecimento de oxigênio medicinal, que prevê que o oxigênio seja usado de maneira organizada e por critérios de urgência, logística, necessidade, estoque, transporte, e local de envase previstos em leis, para as redes de saúde locais durante a pandemia, deverá ser apresentado nos próximos dez dias.

    • De acordo com o novo ministro da Saúde, o "teto" da capacidade do sistema público de saúde em aplicar vacinas é de 2,4 milhões de doses por dia, contudo, para isso, terá de vencer a falta de doses.
    Familiares de pacientes hospitalizados com COVID-19 em torno de tanques de oxigênio vazios em Manaus
    © AP Photo / Edmar Barros
    Familiares de pacientes hospitalizados com COVID-19 em torno de tanques de oxigênio vazios em Manaus

    Governo Bolsonaro promove maior série de trocas de ministros

    Nesta segunda-feira (29), o presidente Jair Bolsonaro oficializou seis trocas no governo. Bolsonaro confirmou as demissões do ministro da Defesa, Fernando Azevedo, e da Advocacia-Geral da União, José Levi, bem como de Ernesto Araújo, ministro das Relações Exteriores. As mudanças envolveram o Ministério da Defesa, Ministério das Relações Exteriores, Ministério da Justiça, Casa Civil, Advocacia Geral da União (AGU) e Secretaria de Governo. A mudança de ministros que agitou a vida política brasileira no começo desta semana sugere o início do limite da governabilidade de Bolsonaro e das relações do bolsonarismo com outras instituições e poderes, afirmou o cientista político Danilo Bragança em entrevista à Sputnik Brasil.

    Presidente Jair Bolsonaro conversa com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, após encontro com líderes do Congresso Nacional, Corte Suprema e governantes, em Brasília, 24 de março de 2021
    © REUTERS / Ueslei Marcelino
    Presidente Jair Bolsonaro conversa com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, após encontro com líderes do Congresso Nacional, Corte Suprema e governantes, em Brasília, 24 de março de 2021

    Portugal prorroga suspensão de voos do Brasil

    Nesta segunda-feira (29), Portugal anunciou a prorrogação da suspensão de voos do Brasil e do Reino Unido até pelo menos 15 de abril, em uma tentativa de conter a propagação das cepas brasileira e britânica do coronavírus em solo luso. Voos humanitários e de repatriação serão permitidos mediante a apresentação de teste negativo feito até 72 horas antes da partida, além disso, os passageiros destes voos deverão cumprir a quarentena de 14 dias em Portugal. O país já registrou mais de 820 mil casos e 16 mil mortes por COVID-19.

    Avião da companhia aérea portuguesa TAP decola do Aeroporto de Dublin, na Irlanda, 26 de março de 2021
    © REUTERS / Clodagh Kilcoyne
    Avião da companhia aérea portuguesa TAP decola do Aeroporto de Dublin, na Irlanda, 26 de março de 2021

    EUA não descartam sanções ao Brasil por desmatamento ilegal

    O governo Biden realizou uma forte pressão sobre o Brasil, cobrando um compromisso claro no combate ao desmatamento ilegal em solo tupiniquim. Os norte-americanos pedem que o Brasil zere a prática até 2030, através de fiscalizações e punições ambientais rígidas. Além disso, os diplomatas dos EUA deixaram claro que querem ver resultados ainda neste ano, e não descartaram impor sanções ao Brasil caso as exigências não sejam cumpridas. O governo norte-americano também afirmou que o Brasil não receberá dinheiro enquanto não reduzir o desmatamento ilegal.

    Presidente dos EUA, Joe Biden responde a questões em sua primeira coletiva de imprensa formal na Casa Branca, 25 de março de 2021
    © REUTERS / Leah Millis
    Presidente dos EUA, Joe Biden responde a questões em sua primeira coletiva de imprensa formal na Casa Branca, 25 de março de 2021

    China aprova reforma radical do sistema eleitoral de Hong Kong

    Nesta terça-feira (30), a China aprovou uma reforma radical do sistema eleitoral de Hong Kong, incluindo a redução do número de parlamentares eleitos diretamente e prevendo que um comitê examinasse e selecionasse a maioria dos legisladores. Com isso, o número de representantes eleitos diretamente seria reduzido de 35 para 20, enquanto a legislatura aumentaria dos 70 para 90. Além disso, o número de membros do comitê eleitoral responsável pela seleção do chefe do Executivo subiu para 1.500.

    Membros da equipe durante hasteamento das bandeiras da China e Hong Kong no Conselho Legislativo em Hong Kong, 30 de março de 2021
    © REUTERS / Lam Yik
    Membros da equipe durante hasteamento das bandeiras da China e Hong Kong no Conselho Legislativo em Hong Kong, 30 de março de 2021

    Vacina da AstraZeneca muda nome e vira Vaxzevria

    No dia 25 de março, a vacina anglo-sueca contra COVID-19, da AstraZeneca, recebeu um novo nome, e passou a se chamar Vaxzevria, segundo a Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês). A agência informou que não houve qualquer outra alteração na vacina, além do nome, contudo os especialistas devem saber sobre a renomeação, e que as informações sobre o produto, sua marca e embalagem podem sofrer alterações. Acompanhe o avanço da vacinação contra a COVID-19 com a da AstraZeneca e outras vacinas em torno do mundo.

    Vacina da AstraZeneca vista durante processo de vacinação em Pristina, Kosovo, 29 de março de 2021
    © REUTERS / Laura Hasani
    Vacina da AstraZeneca vista durante processo de vacinação em Pristina, Kosovo, 29 de março de 2021

    Mais:

    Brasil registra 1.969 mortes por COVID-19, e média móvel passa de 2.600 por dia
    Acadêmico americano sugere maneira 'correta' em como Biden deveria lidar com seus adversários
    Queda de ministros indica 'limite da governabilidade' do bolsonarismo, diz especialista
    COVID-19: por que a crise em São Paulo é tão preocupante?
    Biden teria sugerido alternativa 'democrática' à iniciativa chinesa Um Cinturão, Uma Rota
    Tags:
    COVID-19, novo coronavírus, Portugal, sanção, Desmatamento Zero, desmatamento, vacinação, vacina, ministros, Jair Bolsonaro, Joe Biden, EUA, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar