11:03 23 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    2322
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil está de olho nas notícias mais importantes desta quarta-feira (24), marcada pela lamentável marca de três mil mortos de COVID-19 em 24 horas no Brasil, pela promessa de Bolsonaro de fazer de 2021 "o ano da vacinação" e pela suspeição do ex-juiz Sergio Moro.

    Bolsonaro se reúne com lideranças conforme Brasil atinge 3 mil mortos diários

    Nesta quarta-feira (24), o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, deve se reunir com lideranças federais e estaduais para debater o combate à pandemia de COVID-19. O presidente tenta modificar a postura do governo diante da pandemia, após o país atingir a lamentável marca de três mil mortes diárias. Em discurso transmitido em rede nacional, Bolsonaro se comprometeu a fazer de 2021 "o ano da vacinação dos brasileiros". Anteriormente, o Ministério da Saúde havia reduzido a previsão de doses de vacinas disponíveis para o mês de abril pela sexta vez consecutiva.

    A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) aponta para a necessidade de restrição de atividades não essenciais em todos os estados e municípios em "alerta crítico", isto é, com taxas preocupantes de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Todos os estados da federação, menos Amazonas e Roraima, encontram-se nesta classificação. O estado de São Paulo passa por situação grave, com remédios do "kit intubação" previstos para se esgotarem em uma semana. O Brasil confirmou mais 3.158 mortes e 84.996 casos de COVID-19, totalizando 298.843 óbitos e 12.136.615 diagnósticos da doença, informou consórcio entre secretarias estaduais de saúde e veículos de imprensa.

    Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, usa máscara durante cerimônia no Palácio do Planalto, Brasília, 22 de março de 2021
    © REUTERS / Ueslei Marcelino
    Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, usa máscara durante cerimônia no Palácio do Planalto, Brasília, 22 de março de 2021

    Supremo confirma suspeição de Moro em caso do triplex do Guarujá

    Nesta terça-feira (23), a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) declarou que o ex-juiz, Sergio Moro, foi parcial durante o julgamento do ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, no caso do triplex do Guarujá. A maioria foi formada após a ministra, Cármen Lúcia, votar a favor do pedido da defesa de Lula. "Todo mundo tem direito a um julgamento justo, por um juiz imparcial, por um tribunal independente", disse Cármen Lúcia. Anteriormente, o ministro recém-empossado, Kassio Nunes, havia votado contra a suspeição de Moro. O voto gerou forte reação de seu colega, Gilmar Mendes, que classificou o ato como "covardia". Nunes retrucou, dizendo "não se inibir" ou temer nenhum colega do STF.

    Ex-ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, faz ato a favor de Lula na frente do Supremo Tribunal Federal, Brasília, 23 de março de 2021
    © REUTERS / Ueslei Marcelino
    Ex-ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, faz ato a favor de Lula na frente do Supremo Tribunal Federal, Brasília, 23 de março de 2021

    Biden pede restrição ao acesso a armas após atentado em Boulder 

    Nesta terça-feira (23), o presidente dos EUA, Joe Biden, pediu o banimento da venda de armas semiautomáticas nos EUA. "Isto não deve ser uma questão partidária, mas uma questão americana. Isso salvaria vidas", declarou Biden. As declarações foram feitas após atirador deixar dez mortos na cidade norte-americana de Boulder, no Colorado, no segundo atentado à arma em menos de uma semana no país. O atirador seria um jovem de 21 anos chamado Ahmad Alissa. Ele teria utilizado um fuzil AR-15 potencializado pelo uso de braçadeira estabilizadora. O irmão do atirador, Ali Aliwi, disse à CNN que seu irmão sofria com transtornos mentais e problemas de socialização desde a infância.

    Pessoas consolam funcionária de supermercado alvo de atentado em Boulder, Colorado, EUA, 22 de março de 2021
    © REUTERS / Michael Ciaglo
    Pessoas consolam funcionária de supermercado alvo de atentado em Boulder, Colorado, EUA, 22 de março de 2021

    Cerca de 8 milhões de australianos aguardam ajuda após enchentes

    Nesta quarta-feira (24), equipes de resgate devem enviar ajuda a cerca de oito milhões de australianos afetados pelas enchentes que assolam o estado mais populoso do país, Nova Gales do Sul. Apesar de a chuva ter dado trégua nesta manhã (24), muitas propriedades seguem imersas e comunidades inteiras estão isoladas, de acordo com a polícia local. Tropas do Exército devem ser mobilizadas para auxiliar nos esforços, "facilitando a vida daqueles que vão passar por esse processo de reconstrução", disse o ministro de Gerenciamento de Emergências, David Littleproud. O primeiro-ministro do país, Scott Morrison, anunciou uma "força tarefa de limpeza massiva" e pagamento de ajuda emergencial a cerca de dez mil famílias atingidas.

    Família recebe atendimento médico após ser resgatada de enchentes, nos subúrbios da cidade de Sydney, Austrália, 23 de março de 2021
    © REUTERS / Loren Elliott
    Família recebe atendimento médico após ser resgatada de enchentes, nos subúrbios da cidade de Sydney, Austrália, 23 de março de 2021

    Primeiro-ministro da Etiópia admite presença de tropas da Eritreia em Tigré

    Nesta terça-feira (23), o primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed, admitiu pela primeira vez em meses que tropas do país vizinho, Eritreia, foram mobilizadas durante a guerra contra partido político etíope da região de Tigré. "O povo e o governo eritreu fizeram um favor duradouro aos nossos soldados durante o conflito em Tigré", disse o primeiro-ministro. "No entanto, se após a entrada do Exército Eritreu […] qualquer abuso tenha sido cometido contra o nosso povo, isso é inaceitável", acrescentou, conforme reportou a AFP. "Não seriam aceitáveis [...] também se tivessem sido cometidos pelos nossos soldados". O reconhecimento da participação da Eritreia no conflito de Tigré foi feito após entidades internacionais denunciarem abusos cometidos pelo Exército Eritreu contra a população local.

    Tropas da Eritreia vistas na cidade de Adigrat, Etiópia, 14 de março de 2021
    © REUTERS / Baz Ratner
    Tropas da Eritreia vistas na cidade de Adigrat, Etiópia, 14 de março de 2021

    Coreia do Norte realiza 1º teste de mísseis desde a posse de Biden 

    A Coreia do Norte realizou testes com dois mísseis de curto alcance, poucos dias após visita de altos funcionários da administração Biden à Coreia do Sul e ao Japão. "Detectamos dois projéteis que presumimos ser dois mísseis de cruzeiros", informou o Estado-Maior sul-coreano em nota obtida pela agência Yonhap. Os testes, realizados a partir deste domingo (21), teriam sido os primeiros efetuados por Pyongyang desde a posse do presidente norte-americano, Joe Biden. Autoridades norte-americanas minimizaram o impacto dos testes, classificando-os como "comuns" e fora das limitações impostas por resoluções do Conselho de Segurança da ONU.

    Mais:

    Líder norte-coreano responde a mensagem do presidente chinês
    Gestão Guedes-Bolsonaro está 'sufocando a população brasileira', diz cientista político
    Base militar dos EUA na Síria é alvo de ataque com foguetes, há feridos reportados, diz mídia
    Tags:
    Etiópia, Eritreia, Coreia do Norte, enchentes, STF, Sérgio Moro, Lula, Bolsonaro, vacinação, COVID-19, Brasil, Austrália
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar