09:30 20 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    1230
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil acompanha as notícias mais importantes desta segunda-feira (1º), na qual Rodrigo Maia pode abrir pedido de impeachment contra Bolsonaro em seu último dia na presidência da Câmara, Mianmar sofre golpe militar e Israel estende lockdown, mesmo com campanha de vacinação acelerada.

    Sem vacina, professores do Rio de Janeiro pedem greve

    Nesta segunda-feira (1º), professores da rede pública do Rio de Janeiro devem iniciar greve contra o retorno das aulas presenciais em escolas municipais e estaduais. A categoria demanda que profissionais da educação dos grupos de risco sejam vacinados contra a COVID-19 antes do retorno das aulas presenciais. As aulas serão mantidas em formato remoto. Neste domingo (31), o Brasil registrou mais 1.065 mortes e 27.597 casos de COVID-19. Ao todo, são 224.534 mortes e 9.202.791 diagnósticos de COVID-19, segundo consórcio entre secretarias estaduais de saúde e veículos de imprensa. 

    Garoto empina pipa no piscinão de Ramos, no Rio de Janeiro, 31 de janeiro de 2021
    © REUTERS / Pilar Olivares
    Garoto empina pipa no piscinão de Ramos, no Rio de Janeiro, 31 de janeiro de 2021

    Maia ameaça aceitar impeachment contra Bolsonaro em seu último dia de mandato

    O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ameaçou abrir pedido de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro em seu último dia de mandato, nesta segunda-feira (1º). A ameaça veio após o DEM abandonar a candidatura de Baleia Rossi (MDB-SP), à presidência da casa. Rossi tem o apoio de Maia e de ampla frente de partidos para derrotar Arthur Lira (PP-AL), candidato apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro. Sem o apoio formal do DEM, Baleia não teria votos suficientes para se eleger na câmara. O Partido dos Trabalhadores (PT) também reagiu à debandada do DEM, ao cogitar a retirada do apoio à candidatura de Rodrigo Pacheco (DEM-MG), à presidência do Senado.

    Manifestante usa máscara com ilustração do rosto de Marielle Franco, em ato contra o presidente Jair Bolsonaro, São Paulo, 31 de janeiro de 2021
    © REUTERS / Amanda Perobelli
    Manifestante usa máscara com ilustração do rosto de Marielle Franco, em ato contra o presidente Jair Bolsonaro, São Paulo, 31 de janeiro de 2021

    Junta militar assume o poder em Mianmar e prende Aung San Suu Kyi

    Nesta segunda-feira (1º), as Forças Armadas de Mianmar tomaram o poder na capital do país, Naypyidaw. A primeira conselheira de Estado, Aung San Suu Kyi, o presidente do país, Win Myint, e demais membros do partido Liga Nacional pela Democracia foram presos. A região da capital está parcialmente cortada da Internet, segundo relatos ouvidos pela Sputnik. O partido venceu as eleições gerais no país, realizadas em novembro do ano passado. De acordo com as Forças Armadas, o pleito teria sido fraudado. A junta militar prometeu realizar novas eleições após período de um ano do estado de emergência, que teve início hoje.

    • A líder política laureada com o prêmio Nobel da Paz, Aung San Suu Kyi, ocupava o cargo de primeira conselheira de Estado de Mianmar desde 2016. Filha do líder da independência do país, general Aung San, ela passou quase duas décadas em prisão domiciliar durante o regime militar no país. No poder, Suu Kyi foi criticada por conivência à deportação em massa de membros da minoria étnica rohingya do país. No entanto, a líder e seu partido, a Liga Nacional pela Democracia, ainda contam com apoio interno significativo da sociedade mianmarense.
    Soldado do Exército de Mianmar na frente da sede da prefeitura de Yangon, Mianmar, 1º de fevereiro de 2021
    © REUTERS / Stringer
    Soldado do Exército de Mianmar na frente da sede da prefeitura de Yangon, Mianmar, 1º de fevereiro de 2021

    Biden deve receber republicanos na Casa Branca para debater pacote de ajuda

    Nesta segunda-feira (1º), senadores do Partido Republicano devem comparecer à reunião na Casa Branca para debater pacote de recuperação econômica estimado em US$ 1,9 trilhão (cerca de R$ 10 trilhões). Anteriormente, os líderes do partido de oposição enviaram carta a Biden pedindo ajustes e cortes no plano, considerado essencial para recuperar a economia dos EUA e evitar que milhões de pessoas fique sem auxílio emergencial em meio à pandemia de COVID-19. Os EUA são o país mais atingido pelo coronavírus mundialmente, com mais de 26 milhões de casos e 441 mil mortes pela doença, informou a Universidade Johns Hopkins (EUA).

    Sede do executivo norte-americano, a Casa Branca, coberta de neve, Washington, EUA, 31 de janeiro de 2021
    © REUTERS / Cheriss May
    Sede do executivo norte-americano, a Casa Branca, coberta de neve, Washington, EUA, 31 de janeiro de 2021

    À frente na vacinação, Israel prorroga lockdown para conter COVID-19

    Nesta segunda-feira (1º), o governo israelense prorrogou o lockdown imposto no país para conter a pandemia da COVID-19 até o dia 5 de fevereiro, informou o gabinete do primeiro-ministro do país, Benjamin Netanyahu. Israel é um dos países com campanha de vacinação contra a COVID-19 mais avançada, com cerca de 24% da população inoculada. No entanto, a queda nas infecções esperada para meados de janeiro ainda não se concretizou. Neste domingo (31), o ministério da Defesa do país informou que vai enviar cinco mil doses de vacina contra a doença para que a Autoridade Palestina imunize agentes da Saúde. O país é alvo de críticas por parte da comunidade internacional por não fornecer imunizantes à população palestina.

    Mais:

    Reino Unido tem de escolher entre Estados Unidos e União Europeia, diz Macron a The Guardian
    Aung San Suu Kyi e outros políticos de partido governante são detidos em Mianmar
    MRE: ações dos EUA destinadas a encorajar protestos são parte da estratégia de contenção da Rússia
    Tags:
    Aung San Suu Kyi, Jair Bolsonaro, Câmara dos Deputados, rio de janeiro, vacinação, COVID-19, pandemia, greve, Rodrigo Maia, Brasil, Mianmar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar