00:49 24 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    1272
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil acompanha as principais notícias desta quinta-feira (12), na qual Biden consolida sua equipe de transição para a Casa Branca, dezenas são presos em protestos na Armênia e eleições municipais de Macapá são adiadas por causa do apagão.

    Brasil retoma testes com vacina CoronaVac

    Na quarta-feira (11), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a retomada de testes com a vacina produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a empresa chinesa Sinovac, CoronaVac. O sistema de dados do Ministério da Saúde também voltou a funcionar, e o estado de São Paulo divulgou seu boletim diário sobre a COVID-19. O Brasil registrou mais 564 mortes e 47.724 novos casos de COVID-19, totalizando 163.406 óbitos e 5.749.007 diagnósticos da doença, informou o consórcio ente secretarias estaduais de saúde e veículos de imprensa.

    Governador de São Paulo, João Doria (à esquerda), e diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas (à direita), mostram dose da vacina CoronaVac, São Paulo, 9 de novembro de 2020
    © AP Photo / Andre Penner
    Governador de São Paulo, João Doria (à esquerda), e diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas (à direita), mostram dose da vacina CoronaVac, São Paulo, 9 de novembro de 2020

    TSE adia eleições em Macapá devido ao apagão

    Na quarta-feira (11), o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, adiou as eleições municipais da capital do Amapá, atendendo a pedido do Tribunal Regional Eleitoral do estado (TRE-AP). O primeiro e segundo turno das eleições, previstos para serem celebrados no próximo domingo (15) e no dia 29 de novembro, estão suspensos. Sem data prevista para o pleito, o TRE-AP informa que o adiamento deve se estender "até o restabelecimento regular da energia elétrica" em Macapá.

    Em Macapá, em meio a um apagão no estado do Amapá, população sofre com falta de água e desabastecimento, em 7 de novembro de 2020
    © Folhapress / Fotoarena / Maksuel Martins
    Em Macapá, em meio a um apagão no estado do Amapá, população sofre com falta de água e desabastecimento, em 7 de novembro de 2020

    Sem reconhecimento de Trump, Biden nomeia assessor e fala com líderes estrangeiros

    Na quarta-feira (11), o provável vencedor das eleições norte-americanas, Joe Biden, telefonou para os líderes do Japão, Coreia do Sul e Austrália, reafirmando seu compromisso com os principais aliados dos EUA na Ásia. Mesmo sem o reconhecimento oficial de derrota eleitoral pelo atual presidente do país, Donald Trump, Biden consolida sua equipe de transição ao nomear seu assessor, Ron Klain, como futuro chefe de gabinete da Casa Branca.

    Presidente dos EUA, Donald Trump, durante celebrações do Dia do Veterano, em Arlington, Virginia, EUA, 11 de novembro de 2020
    © REUTERS / Carlos Barria
    Presidente dos EUA, Donald Trump, durante celebrações do Dia do Veterano, em Arlington, Virginia, EUA, 11 de novembro de 2020

    Presidente da Ucrânia está hospitalizado com COVID-19, diz mídia local

    Nesta quinta-feira (12), o presidente da Ucrânia, Vladimir Zelensky, foi internado em função de complicações da COVID-19, informou a mídia local, conforme reportou a agência Reuters. O líder ucraniano foi diagnosticado com a doença no início da semana, conforme a segunda onda de infecções avança sobre o país. A Ucrânia bateu recorde de casos diários de COVID-19, reportando 11.057 diagnósticos da doença e 198 óbitos, informou o ministro da Saúde, Maksim Stepanov. Ao todo, o país registra mais de nove mil óbitos e 500 mil casos de COVID-19.

    Trabalhadores do setor de restaurantes protestam contra medidas de combate à COVID-19, na capital ucraniana Kiev, 11 de novembro de 2020
    © REUTERS / Valentyn Ogirenko
    Trabalhadores do setor de restaurantes protestam contra medidas de combate à COVID-19, na capital ucraniana Kiev, 11 de novembro de 2020

    Dezenas de pessoas são presas em protestos na Armênia

    Na quarta-feira (11), dezenas de pessoas foram presas durante protestos na capital da Armênia, Erevan, informou correspondente da Sputnik. As manifestações foram organizadas por 17 partidos de oposição em repúdio ao primeiro-ministro de país, considerado culpado por alegada derrota militar para o Azerbaijão na região contestada de Nagorno-Karabakh. Um acordo de cessar-fogo mediado pela Rússia está em vigor desde segunda-feira (9) e a missão de paz liderada por Moscou foi estacionada na região contestada. A Rússia forneceu informações sobre o acordo durante reunião a portas fechadas do Conselho de Segurança da ONU, em Nova York, EUA, informou fonte diplomática russa à Sputnik.

    Ataque na Arábia Saudita tem como alvo diplomatas ocidentais

    Na quarta-feira (11), atentado à bomba em evento para comemorar o fim da Primeira Guerra Mundial deixou dois feridos na cidade de Jeddah, na Arábia Saudita. Diplomatas da França, EUA, Reino Unido, Itália e Grécia participavam do evento. Autoridades sauditas confirmaram o ataque, e informaram que vão proceder com as investigações. As embaixadas dos países citados emitiram comunicado conjunto repudiando o "ataque covarde". Em 29 de outubro, segurança do consulado francês em Jeddah sofreu ataque a faca. Anteriormente, declarações do presidente francês, Emmanuel Macron, sobre caricaturas do profeta Maomé geraram indignação no mundo islâmico.

    Mais:

    Exército Brasileiro está pronto para 'guerra' contra EUA após 'pólvora' de Bolsonaro? Confira memes
    Inteligência tcheca alerta sobre possibilidade de 3ª guerra mundial
    'Concordar sobre todos os assuntos é impossível': presidência russa do BRICS apresenta resultados
    Tags:
    apagão, ataques, Arábia Saudita, protestos, Armênia, Nagorno-Karabakh, eleições, COVID-19, pandemia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar