15:13 27 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    0 282
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil está de olho nas notícias mais relevantes desta segunda-feira (12), marcada pelo recorde de queimadas no Amazonas, pela volta de Trump aos comícios e pelo esforço da China para testar cidade inteira para COVID-19 em cinco dias.

    Média de mortes por COVID-19 tem número mais baixo desde maio no Brasil

    Neste domingo (11), o Brasil registrou mais 270 mortes e 12.139 casos de COVID-19, segundo consórcio entre secretarias estaduais de saúde e veículos de imprensa. A média móvel dos últimos sete dias ficou em 590 óbitos diários, a menor desde o dia 10 de maio. Práticas adotadas pelos brasileiros para prevenir a COVID-19, como o uso de máscaras e maior cuidado com a higiene, contribuíram para quedas expressivas na ocorrência de outras doenças respiratórias, reportou o Estadão. De acordo com a Fiocruz, os casos de síndromes respiratórias graves causadas pelo vírus sincicial respiratório (VSR) recuaram 76,4% neste ano, quando comparados ao mesmo período do ano passado.

    Enfermeira coleta sangue de morador para teste de COVID-19 na comunidade de Santa Marta, no Rio de Janeiro, 9 de outubro de 2020
    © REUTERS / Pilar Olivares
    Enfermeira coleta sangue de morador para teste de COVID-19 na comunidade de Santa Marta, no Rio de Janeiro, 9 de outubro de 2020

    Amazonas registra recorde histórico de queimadas em 2020

    Neste ano, o número de queimadas no estado do Amazonas foi o maior registrado pela série histórica, revelaram dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Até este domingo (11), o estado já havia registrado 15.700 focos ativos. O recorde anterior havia sido batido em 2005, com 15.644 casos. Além disso, a Amazônia Legal registrou desmatamento recorde. A Amazônia foi o bioma mais afetado pelas queimadas em 2020, concentrando 45,6% dos casos nacionais.

    Vegetação queimada no município de Apuí, estado do Amazonas, 11 de agosto de 2020
    © REUTERS / Ueslei Marcelino
    Vegetação queimada no município de Apuí, estado do Amazonas, 11 de agosto de 2020

    Alegando imunidade à COVID-19, Trump vai retomar agenda de campanha

    Nesta segunda-feira (12), o presidente dos EUA e candidato à reeleição, Donald Trump, vai retomar agenda de campanha, com comício em aeroporto na Flórida. Neste domingo (11), Trump declarou em entrevista ao canal Fox News que está totalmente curado da COVID-19 e que está imune ao vírus, ainda que estudos não tenham sido conclusivos sobre a criação de imunidade em pacientes recuperados da doença. "A palavra imunidade tem um significado, tem um brilho protetor. Então agora você tem um presidente que não precisa ficar escondido no porão, como o seu opositor", disse Trump, em referência ao candidato pelo Partido Democrata à presidência dos EUA, Joe Biden, que aparece na frente nas pesquisas de intenção de voto.

    Presidente norte-americano, Donald Trump tira máscara protetora durante comício na Casa Branca, Washington, Estados Unidos, 10 de outubro de 2020
    © REUTERS / Tom Brenner
    Presidente norte-americano, Donald Trump tira máscara protetora durante comício na Casa Branca, Washington, Estados Unidos, 10 de outubro de 2020

    Correspondente reporta noite calma na capital de Nagorno-Karabakh

    Na madrugada desta segunda-feira (12), não houve bombardeio à capital de Nagorno-Karabakh, Stepanakert, relatou correspondente da Sputnik no local. Sirenes de alerta de ataques aéreos não foram ouvidas desde a noite de domingo (11). No entanto, a iluminação da cidade não foi ligada para dificultar ataques de drones e a população preferiu manter-se refugiada em bunkers subterrâneos. No domingo (11), líder da república não reconhecida de Nagorno-Karabakh, Araik Arutyunyan, disse que o cessar-fogo entre Armênia e Azerbaijão não estava sendo totalmente cumprido. O ministro da Defesa do Azerbaijão, Zakir Gasanov, por sua vez, afirmou que a cidade azeri de Ganja havia sido atacada no domingo (11). O Ministério da Defesa da Armênia negou as informações.

    Mulher chora após míssil atingir prédio na cidade de Ganja, no Azerbaijão, 11 de outubro de 2020
    © REUTERS / Umit Bektas
    Mulher chora após míssil atingir prédio na cidade de Ganja, no Azerbaijão, 11 de outubro de 2020

    Presidente do Quirguistão mantém estado de emergência

    Nesta segunda-feira (12), o presidente do Quirguistão, Soonarbai Zheenbekov, reimpôs estado de emergência na capital do país, Bishkek, informou porta-voz da presidência à Sputnik. A medida foi adotada uma vez que o parlamento do país não debateu a implementação de estado de emergência a tempo. O novo decreto impôs estado de emergência até o dia 19 de outubro. A medida foi imposta após grave crise política eclodir devido à divulgação dos resultados de eleições parlamentares conduzidas em 4 de outubro.

    Habitantes da capital do Quirguistão, Bishkek, durante estado de emergência, 10 de outubro de 2020
    © REUTERS / Mariya Gordeyeva
    Habitantes da capital do Quirguistão, Bishkek, durante estado de emergência, 10 de outubro de 2020

    China vai testar mais de 9 milhões de pessoas em 5 dias após pequeno surto de COVID-19

    Nesta segunda-feira (12), a Prefeitura de Qingdao informou que realiza campanha para testar os mais de nove milhões de habitantes da cidade para a COVID-19. A medida foi adotada após seis casos ativos e seis casos assintomáticos de COVID-19 serem detectados em hospital da cidade, usado para tratar casos importados da doença. Nos próximos três dias, os habitantes dos distritos próximos ao hospital serão testados e cinco dias serão necessários para testar toda a cidade. Até agora, 144 mil agentes de saúde e pacientes da cidade foram testados, e 11.862 resultados negativos foram registrados, informou a comissão de saúde de Qingdao.

    Mais:

    Para evitar 2ª onda de COVID-19, Reino Unido quer lockdown de 3 estágios
    Sérvia exibe armas da Rússia e da China em exercício militar 'para deter qualquer agressor'
    Especialista comenta exibição de armas estratégicas por Pyongyang (FOTOS)
    Tags:
    Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Amazonas, China, COVID-19, pandemia, Nagorno-Karabakh, Armênia, Azerbaijão, Quirguistão, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar