04:58 25 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    1210
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil acompanha as notícias mais relevantes desta segunda-feira (21), na qual os EUA devem atingir marca de 200 mil mortes por COVID-19, o MT vai solicitar ajuda da Força Nacional para combater queimadas no Pantanal e líderes mundiais comemoram os 75 anos das Nações Unidas.

    EUA devem atingir marca de 200 mil mortes por COVID-19

    Nesta segunda-feira (21), os EUA devem atingir a triste marca de 200 mil mortes pela COVID-19. Com cerca de 331 milhões de habitantes, o número de óbitos pela doença nos EUA é o dobro do registrado na Índia, cuja população ultrapassa um bilhão de habitantes. Neste domingo (20), o Brasil registrou mais 330 mortes e 15.915 novos casos de COVID-19, totalizando 136.895 óbitos e 4.544.262 pacientes infectados pelo novo coronavírus, informou o consórcio entre secretarias estaduais de saúde e veículos de imprensa.

    Trabalhadores usam máscaras protetoras em construção na capital da Índia, Nova Deli, 19 de setembro de 2020
    © REUTERS / Adnan Abidi
    Trabalhadores usam máscaras protetoras em construção na capital da Índia, Nova Deli, 19 de setembro de 2020

    Mato Grosso pedirá Força Nacional para combater queimadas no Pantanal

    Nesta segunda-feira (21), o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), solicitará formalmente ao Ministério da Justiça o envio da Força Nacional para combater as queimadas no Pantanal, informou o Estado de São Paulo. Queimadas já devastaram cerca de 15% da área do bioma e consumiram cerca de 20% de sua vegetação. Somente neste ano, quase três milhões de hectares foram destruídos pelas chamas, um aumento de 190% quando comparado ao mesmo período do ano passado, informou o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). De acordo com o portal G1, inquérito em andamento na Polícia Federal investiga a possibilidade de origem criminosa dos incêndios.

    Voluntário combate chamas no Pantanal, no Mato Grosso, 13 de setembro de 2020
    © AFP 2020 / Mauro Pimentel
    Voluntário combate chamas no Pantanal, no Mato Grosso, 13 de setembro de 2020

    EUA vão impor sanções contra entidades ligadas ao Irã

    Nesta segunda-feira (21), os EUA vão sancionar 12 pessoas e entidades ligadas aos programas nucleares, de mísseis e de armamentos convencionais do Irã, informou fonte do governo norte-americano à Reuters. Em medida controversa, os EUA restauraram unilateralmente pacote de sanções da ONU contra Teerã. O instrumento está previsto no acordo nuclear iraniano, do qual Washington não faz parte. Neste domingo (20), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, criticou os países europeus por não apoiarem Washington na restauração das sanções: "[Os europeus] não querem a volta da venda de armas para o Irã, mas não levantam um dedo", disse o secretário durante entrevista ao canal Fox News.

    Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo durante negociações de paz do Afeganistão, em Doha, no Catar, 11 de setembro de 2020
    © AFP 2020 / Karim Jaafar
    Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo durante negociações de paz do Afeganistão, em Doha, no Catar, 11 de setembro de 2020

    ByteDance será dona de 80% do TikTok Global, diz comunicado da gigante chinesa

    Nesta segunda-feira (21), a empresa chinesa ByteDance confirmou que manterá controle sobre 80% do TikTok Global, que vai comandar as operações do aplicativo nos EUA. Segundo a empresa, informações de que investidores dos EUA se tornariam donos majoritários do TikTok são "rumores". A declaração esclarece que a norte-americana Oracle vai realizar controles de segurança sobre os dados do TikTok nos EUA, mas não terá acesso ao algoritmo do aplicativo. Neste sábado (19), acordo entre a ByteDance e as norte-americanas Oracle e Walmart foi divulgado e aprovado pelo presidente dos EUA, Donald Trump.

    Presidente dos EUA, Donald Trump durante comício em Fayetteville, Carolina do Norte (EUA), 19 de setembro de 2020
    © REUTERS / Tom Brenner
    Presidente dos EUA, Donald Trump durante comício em Fayetteville, Carolina do Norte (EUA), 19 de setembro de 2020

    Europa e Israel restabelecem medidas de distanciamento social para conter COVID-19

    Nesta segunda-feira (21), cerca de um milhão de pessoas ficará sob novo regime de quarentena na região metropolitana de Madri, capital da Espanha. O Reino Unido, por sua vez, atingiu "ponto de inflexão" e pode precisar de nova quarentena, caso os habitantes não cumpram as recomendações do governo para conter o vírus, informou o ministro da Saúde, Matt Hancock. Em Israel, dezenas de pessoas foram presas ao furar o lockdown para protestar contra o governo do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, neste domingo (20). Efetivo adicional de mil policiais foi mobilizado para garantir a imposição do lockdown, disse o porta-voz da polícia israelense, Mikhail Zingerman, à Sputnik.

    Israelenses furam o lockdown e realizam ato contra o governo do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, em Jerusalém, 20 de setembro de 2020
    © REUTERS / Ronen Zvulun
    Israelenses furam o lockdown e realizam ato contra o governo do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, em Jerusalém, 20 de setembro de 2020

    Líderes mundiais vão se reunir para comemorar os 75 anos das Nações Unidas

    Nesta segunda-feira (17), líderes mundiais vão se reunir virtualmente para comemorar os 75 anos da criação da Organização das Nações Unidas (ONU). Durante a reunião, os líderes devem adotar declaração para expressar o compromisso com o multilateralismo e com a agenda da organização. O evento, realizado no âmbito da Assembleia Geral da ONU, terá início às 10h00 no horário de Brasília. Nesta terça-feira (22), o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, realizará discurso anual na assembleia por videoconferência.

    Mais:

    EUA ameaçam punir quem se opuser ao restabelecimento de sanções contra o Irã
    Trump e novo premiê japonês conversam sobre 'Indo-Pacífico livre e aberto'
    EUA oferecem à Rússia renovação do Tratado START por menos de 5 anos
    Tags:
    ONU, quarentena, israel, protestos, sanções, Irã, queimadas, EUA, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar