21:47 20 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    3300
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil está de olho nas notícias mais importantes desta terça-feira (4), na qual Bolsonaro vetou a indenização aos profissionais de saúde pela COVID-19, o rei emérito da Espanha segue para o exílio e relatório secreto da ONU aponta para o desenvolvimento de ogivas nucleares de pequeno porte na Coreia do Norte.

    Presidente veta indenização aos profissionais de saúde

    Na madrugada desta terça-feira (4), foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) o veto presidencial ao projeto de lei que previa uma indenização de R$ 50 mil a trabalhadores da área da saúde incapacitados pelo novo coronavírus. De acordo com Jair Bolsonaro, o projeto é contrário ao interesse público e inconstitucional, uma vez que cria "despesa continuada em período de calamidade". Na última semana, o Brasil registrou uma média de 995 mortes diárias causadas pelo novo coronavírus. Segundo país mais atingido pela doença no mundo, o Brasil registra 2.751.665 casos de COVID-19 e 94.702 vítimas fatais.

    Agente de saúde após encaminhar paciente com suspeita de COVID-19 no hospital HRAN de Brasília, 3 de agosto de 2020
    © AP Photo / Eraldo Peres
    Agente de saúde após encaminhar paciente com suspeita de COVID-19 no hospital HRAN de Brasília, 3 de agosto de 2020

    Ministro da Justiça afasta responsável por dossiê sobre opositores

    Nesta terça-feira (4), o ministro da Justiça, André Mendonça, exonerou do cargo o diretor de Inteligência da Secretaria de Operações Integradas (Seopi), Gilson Libório, conforme o Diário Oficial da União (DOU). A exoneração foi feita após revelação do portal Uol de que a Seopi elaborou um dossiê sigiloso sobre 500 servidores públicos opositores do presidente Jair Bolsonaro e defensores de causas consideradas antifascistas, como a desmilitarização da polícia. Nesta segunda-feira (3), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou em entrevista ao Roda Viva que o escândalo do dossiê fragiliza cada vez mais a posição do ministro da Justiça.

    Ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, durante a cerimônia de posse no Palácio do Planalto, 29 de abril de 2020
    Ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, durante a cerimônia de posse no Palácio do Planalto, 29 de abril de 2020

    Envio de tropas ao Oriente Médio foi o maior erro da história dos EUA, disse Trump

    O presidente dos EUA e candidato à reeleição, Donald Trump, afirmou em entrevista ao canal HBO que o envio de tropas dos EUA ao Oriente Médio foi o maior erro cometido na história do país. "Nós eliminamos o Daesh [organização terrorista proibida na Rússia e demais países] [...] 100% daquele califado [...] nós removemos o [general iraniano] Soleimani, o al-Baghdadi [ex-líder do Daesh] [...] Eu fiz muitas coisas que nenhum outro presidente fez", alegou Trump. Ainda assim, "a decisão sobre o envio de tropas ao Oriente Médio e interferências nos assuntos [da região] foi o maior erro cometido na história do nosso país", reiterou o presidente norte-americano em entrevista transmitida na noite desta segunda-feira (3).

    Risco de 2ª onda de COVID-19 traz de volta quarentena e multas ao redor do mundo

    Nesta terça-feira (4), o estado australiano de Victoria voltou a mobilizar as Forças Armadas e a impor multas de até A$ 20.000 (cerca de R$ 75.000) para quem violar a quarentena reimposta no estado. De acordo com o premiê de Victoria, Daniel Andrews, um terço dos novos infectados pela COVID-19 não observavam o isolamento social. A capital das Filipinas, Manila, voltou também ao regime de lockdown após nova alta no número de casos de COVID-19 colocar o sistema de saúde da cidade em risco de colapso. Por sua vez, o governador do estado norte-americano de Nova Jersey, Phil Murphy, anunciou a reimposição de restrições a reuniões em ambientes fechados.

    Pedestre caminha entre agentes de segurança na capital das Filipinas, Manila, 4 de agosto de 2020
    © REUTERS / Eloisa Lopez
    Pedestre caminha entre agentes de segurança na capital das Filipinas, Manila, 4 de agosto de 2020

    Acusado de corrupção, rei emérito da Espanha Juan Carlos ruma para o exílio

    Nesta segunda-feira (3), o rei emérito da Espanha, Juan Carlos, informou em carta ao seu filho e atual rei, Felipe VI, que irá para o exílio, em meio a denúncias de corrupção. Juan Carlos, que abdicou a favor do filho, está sendo investigado por ter recebido 100 milhões de euros (cerca de R$ 627 milhões) em uma conta na Suíça, como comissão para a concessão a empresas espanholas de contratos para gerenciamento de obras de infraestrutura na Arábia Saudita. O atual rei e filho de Juan Carlos, Felipe VI, suspendeu o repasse da pensão anual ao seu pai e abdicou de sua herança, a fim de "garantir a integridade da monarquia". O vice-primeiro-ministro espanhol, Pablo Iglesias, qualificou o exílio de Juan Carlos de "indigno de um ex-chefe de Estado" que deveria "responder pelos seus atos perante a Espanha e seu povo".

    Manifestante protesta contra a monarquia espanhola, em Madri, Espanha, 25 de julho de 2020
    © REUTERS / Sergio Perez
    Manifestante protesta contra a monarquia espanhola, em Madri, Espanha, 25 de julho de 2020

    Pequim vai retaliar caso jornalistas chineses tenham que deixar os EUA, informa jornal

    O editor-chefe do jornal chinês Global Times, Hu Xijin, declarou nesta terça-feira (4) que Pequim retaliará, caso jornalistas chineses sejam forçados a deixar os EUA. Segundo Hu, "o lado chinês está se preparando para o pior cenário possível", uma vez que "os EUA não estão renovando os vistos de jornalistas chineses". A provável resposta de Pequim atingirá "jornalistas norte-americanos baseados em Hong Kong", disse o editor-chefe do jornal ligado ao governo. Em fevereiro, cerca de 60 jornalistas chineses deixaram os EUA após Washington classificar veículos de mídia chineses como agentes governamentais. Em março, a China retirou credenciais de imprensa de jornalistas norte-americanos de edições como o New York Times e o Wall Street Journal que trabalhavam em Pequim.

    Manifestante segura bandeira americana durante protesto pró-democracia em um shopping em Hong Kong, 21 de julho de 2020
    © AP Photo / Kin Cheung
    Manifestante segura bandeira americana durante protesto pró-democracia em um shopping em Hong Kong, 21 de julho de 2020

    Coreia do Norte 'provavelmente' desenvolveu pequenas ogivas nucleares, diz mídia

    A Coreia do Norte pode ter desenvolvido dispositivos nucleares de pequeno porte para as ogivas de seus mísseis balísticos, informou a Reuters, após ter acesso a um relatório confidencial produzido pelas Nações Unidas. O relatório, apresentado ao Comitê do Conselho de Segurança da ONU para Gerenciamento das Sanções contra Pyongyang, foi produzido por um painel independente de especialistas. De acordo com o relatório, a Coreia do Norte "mantém o seu programa nuclear, incluindo a produção de urânio altamente enriquecido e a construção de um reator nuclear experimental de água leve", citou a agência de notícias.

    Tags:
    Coreia do Norte, China, Donald Trump, Austrália, Filipinas, monarquia, Espanha, dossiê, EUA, COVID-19, pandemia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar