07:51 29 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    2271
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil acompanha as notícias mais relevantes desta sexta-feira (10), marcada pela concessão de prisão domiciliar a Queiroz e sua esposa, pelo processo do estado da Califórnia contra a administração Trump e pelo possível suicídio do prefeito de Seul.

    Região Sul tem 2º pior boletim diário de mortes por COVID-19

    Nesta quinta-feira (9), a Região Sul do Brasil voltou a bater recorde em número de mortes pelo novo coronavírus, ao registrar 45 óbitos, de acordo com dados do consórcio de veículos de imprensa e secretarias estaduais de saúde. A pandemia continua acelerando na região, com destaque para o estado do Rio Grande do Sul, que teve variação positiva de 77% no número de óbitos na última semana. O Brasil registrou 42.907 casos de COVID-19 e 1.199 mortes nas últimas 24 horas, totalizando 1.759.103 casos e 69.254 vítimas fatais.

    Membros da brigada médica do Exército brasileiro atendem índio Yanomami, na terra indígena de Surucucu, em Roraima, 9 de julho de 2020
    © AFP 2020 / Nelson Almeida
    Membros da brigada médica do Exército brasileiro atendem índio Yanomami, na terra indígena de Surucucu, em Roraima, 9 de julho de 2020

    Esposa de Queiroz deve se apresentar à Justiça para usufruir de prisão domiciliar

    A esposa de Fabrício Queiroz e ex-assessora de Flávio Bolsonaro, Márcia de Aguiar, precisa se apresentar à Justiça para usufruir da prisão domiciliar concedida pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), nesta quinta-feira (9). Suspeita de envolvimento em esquema de "rachadinha" no gabinete do então deputado estadual Flávio Bolsonaro, Márcia está foragida há três semanas. Nesta quinta-feira (9), o STJ concedeu prisão domiciliar a Fabrício Queiroz, que faz tratamento para câncer, e para sua esposa, por "presumir que sua presença ao lado dele seja recomendável para lhe dispensar as atenções necessárias", de acordo com a decisão judicial.

    Com país dividido, EUA batem novo recorde, com mais de 60.500 novos casos de COVID-19

    Nesta quinta-feira (10), os EUA bateram novo recorde ao registrar mais de 60.500 novos casos de COVID-19 em 24 horas, indicou a Universidade Johns Hopkins (EUA). De acordo com o conselheiro da Casa Branca Anthony Fauci, o país precisa "pausar o processo de abertura", que teria "atropelado todas as recomendações": "Não é assim que se faz. Precisamos repensar e fazer [a reabertura] de uma outra forma." No entanto, Fauci disse acreditar que "não será necessário voltar a um fechamento extremo" para conter a COVID-19. Os EUA são o país mais atingido pelo novo coronavírus, com 3.118.075 casos e 133.291 vítimas fatais.

    Homem usa máscara protetora no bairro do Harlem, em Nova York, EUA, 9 de julho de 2020
    © REUTERS / Shannon Stapleton
    Homem usa máscara protetora no bairro do Harlem, em Nova York, EUA, 9 de julho de 2020

    Califórnia quer processar Trump por ameaça de revogar vistos de estudantes estrangeiros

    O estado norte-americano da Califórnia quer processar a administração Trump por esta ameaçar revogar os vistos para estudantes estrangeiros, caso as instituições de ensino adotem regime de aulas on-line, em função da pandemia de COVID-19. "Essa política [...] ameaça agravar a propagação da COVID-19 e exilar centenas de milhares de universitários estrangeiros estudando nos EUA", argumentou procurador do Estado da Califórnia. A política foi interpretada como uma pressão indevida do governo federal para que as universidades voltem a conduzir cursos presenciais.

    Prefeito de Seul é encontrado morto após deixar bilhete pedindo desculpas 'a todos'

    Nesta sexta-feira (10), o prefeito de Seul, Park Won-soon, foi encontrado morto, após deixar bilhete de despedida em seu gabinete. A Polícia Metropolitana da capital sul-coreana informou ter utilizado drones e cães farejadores para encontrar o corpo de Park Won-soon, que governava a cidade desde 2011. Recentemente, o prefeito havia sido acusado de abuso sexual por membros de seu gabinete. Em carta de despedida, ele pede "desculpas a todos" e "à minha família, para a qual eu só causei dor". Ativista e defensor da igualdade de gênero, Park Woon-soon era cotado para ser o próximo presidente da Coreia do Sul. 

    Policiais levam o corpo do prefeito de Seul, Park Won-soon, encontrado após operação de busca na capital da Coreia do Sul, 10 de julho de 2020
    © REUTERS / Kim Hong-Ji
    Policiais levam o corpo do prefeito de Seul, Park Won-soon, encontrado após operação de busca na capital da Coreia do Sul, 10 de julho de 2020

    Irmã do líder norte-coreano descarta reunião com EUA e promete 'surpresa'

    Nesta sexta-feira (10), Kim Yo-jong, chefe de gabinete e irmã do líder norte-coreano, descartou a possibilidade de nova reunião entre Washington e Pyongyang, assegurando que "tudo correrá bem se [os EUA] nos deixarem em paz". Ela reiterou que "isso não significa necessariamente que a desnuclearização [da Coreia do Norte] não seja possível", dizendo que "coisas surpreendentes podem acontecer", informou a KCNA. Anteriormente, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, havia dito estar "bastante esperançoso" em relação à retomada das negociações sobre a desnuclearização da Coreia do Norte.

    Mais:

    Inteligência artificial prevê mais de 1.600 mortes diárias por COVID-19 no Brasil
    China usa sanções dos EUA para conquistar independência do dólar
    EUA e Rússia finalizam planos de intercâmbio de segurança espacial no final de julho
    Tags:
    Coreia do Norte, COVID-19, Seul, Coreia do Sul, corrupção, Brasil, pandemia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar