13:17 02 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    3300
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil está acompanhando as notícias mais relevantes desta segunda-feira (15), marcada pela apuração do ataque ao STF, pelo início da reabertura de fronteiras na Europa e pela detecção de novo foco de propagação da COVID-19 em Pequim.

    Brasil ultrapassa as 43 mil mortes por coronavírus, aponta consórcio

    De acordo com dados do consórcio de veículos de imprensa e secretarias estaduais de saúde, o Brasil registrou 598 novas mortes por COVID-19 entre sábado (13) e domingo (14), atingindo 43.389 mortes pela doença. O número de casos aumentou em 17.086, totalizando 867.882. As regiões Nordeste e Sudeste são as mais afetadas da federação, com mais de 300 mil casos confirmados em cada uma. O Brasil é o 2º país com maior número de infectados e óbitos por COVID-19 mundialmente, atrás somente dos EUA.

    PGR inicia procedimento preliminar para apurar ataque contra Supremo

    Na noite deste domingo (14), o procurador João Paulo Lordelo acatou o pedido do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, e abriu procedimento para apurar ato de manifestante pró-Bolsonaro, Renan da Silva Sena, que atirou fogos de artifício no prédio do STF. Segundo Toffoli, Sena deve ser responsabilizado "por ataques e ameaças à instituição deste Supremo Tribunal Federal e ao Estado Democrático de Direito". No dia 29 de maio, Sena já havia sido indiciado por agredir profissionais de saúde, durante manifestação da categoria em Brasília. Após publicação de vídeo no qual empurrava e xingava enfermeiras, Sena foi exonerado de cargo terceirizado que ocupava no Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos.

    Manifestantes pró-Bolsonaro fazem ato na frente do Congresso Nacional, em Brasília, 13 de junho de 2020
    © REUTERS / Adriano Machado
    Manifestantes pró-Bolsonaro fazem ato na frente do Congresso Nacional, em Brasília, 13 de junho de 2020

    Manifestações nos EUA continuam após nova morte de afro-americano nos EUA

    Neste domingo (14), a polícia da cidade de Atlanta usou bombas de efeito moral para dispersar manifestantes que protestavam contra a violência policial, após mais um homem negro ter sido morto por ação da polícia na cidade, no dia 13 de junho. Manifestantes atearam fogo ao restaurante onde Rayshard Brooks foi baleado por policiais, informou o corpo de bombeiros da cidade, neste domingo (14). A morte de Brooks ocorreu em meio à onda de protestos nos EUA, em reação à morte de George Floyd, vítima também de violência policial. Leia mais sobre os protestos em memória de Rayshard Brooks

    Pessoas observam fogo em restaurante da rede Wendy's, em Atlanta (EUA), aonde homem negro foi assassinado pela polícia, 13 de junho de 2020
    © REUTERS / Elijah Nouvelage
    Pessoas observam fogo em restaurante da rede Wendy's, em Atlanta (EUA), aonde homem negro foi assassinado pela polícia, 13 de junho de 2020

    Europa começa a reabrir fronteiras, mas trânsito livre de turistas ainda deve demorar

    Nesta segunda-feira (15), diversos países europeus iniciam o processo de reabertura de suas fronteiras com demais países da zona Schengen. A zona permite o livre trânsito de pessoas entre 22 países da União Europeia mais Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça. No entanto, as medidas de reabertura ainda estão longe de permitir o livre trânsito dos 420 milhões de habitantes da zona. A Espanha, por exemplo, só permitirá a entrada de turistas estrangeiros após 21 de junho, enquanto o Reino Unido irá continuar exigindo uma quarentena de duas semanas aos recém-chegados no país.

    China declara lei marcial em Baoding, após detecção de novos casos na capital, Pequim

    Nesta segunda-feira (15), as autoridades chinesas declararam a imposição da lei marcial na cidade de Baoding, localizada a 140 quilômetros da capital, Pequim. A medida foi adotada após a detecção de novo foco de infecções pelo novo coronavírus, no mercado de alimentos de Xinfadi, na capital chinesa. Pequim registrou 36 novos casos de COVID-19 no dia 14 de junho, o maior número diário desde o fim de março. "O risco da epidemia se espalhar é muito grande", disse o porta-voz do governo da capital chinesa, Xu Hejiang, nesta segunda-feira (15). "Por isso precisamos adotar medidas resolutas".

    Pessoas com máscaras protetoras em estação de metrô da capital chinesa, Pequim, 15 de junho de 2020
    © REUTERS / Tingshu Wang
    Pessoas com máscaras protetoras em estação de metrô da capital chinesa, Pequim, 15 de junho de 2020

    Extensão de acordo para reduzir produção de petróleo é medida 'lógica', diz empresário russo

    Nesta segunda-feira (15), o diretor-executivo da empresa russa Gazprom Neft, Alexandr Dyukov, declarou que a extensão do acordo entre os membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEC) e aliados é um passo 'lógico', uma vez que ainda há grande desequilíbrio entre a oferta e demanda mundial da commodity. "Ainda há estoque excessivo no mercado [...] como estamos somente começando a sair da quarentena, acredito que a extensão do [acordo para] redução da produção por mais um mês é lógica", disse Dyukov ao canal russo Rossiya 24.

    Mais:

    'Não somos policiais do mundo': Trump anuncia término da era de 'guerras sem fim' dos EUA
    Irmã de Kim Jong-un ameaça Coreia do Sul com ação militar e promete 'panorama trágico'
    Sistemas de mísseis russos Tor derrubaram 45 drones de terroristas na Síria
    Tags:
    pandemia, COVID-19, manifestações, STF, EUA, Brasil, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar