14:17 02 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    1321
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil acompanha as notícias mais relevantes desta quarta-feira (10), marcada por novo adiamento do julgamento da chapa Bolsonaro-Mourão, pelo alerta sobre o impacto da chegada do inverno na pandemia de COVID-19 e pela declaração do secretário-geral da OTAN contra a Huawei.

    Governo retoma publicação de dados da COVID-19, mas consórcio vê divergências

    Após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), o Ministério da Saúde voltou a divulgar dados consolidados da COVID-19. No entanto, o consórcio de veículos de imprensa e secretarias de saúde registrou 91 óbitos a mais por COVID-19 nas últimas 24 horas do que o governo federal. De acordo com os dados do consórcio, o Brasil registra 742.084 casos de COVID-19 e 38.497 vítimas fatais, 1.185 delas confirmadas nas últimas 24 horas. A região Norte inspira preocupação, uma vez que concentra 12 das 20 cidades com maior taxa de mortalidade do país.

    Ministro pede vistas e adia julgamento sobre cassação da chapa Bolsonaro-Mourão

    Nesta terça-feira (9), o julgamento da chapa Bolsonaro-Mourão no Supremo Tribunal Eleitoral (TSE) foi novamente adiado, após o ministro Alexandre de Moraes pedir vistas do processo, isto é, pedir mais tempo para analisar os autos. Antes do pedido, havia três votos a favor e dois contra a reabertura das investigações. O TSE analisa se a chapa se beneficiou de ataques virtuais à página "Mulheres Contra Bolsonaro", que reunia mais de 2,7 milhões de pessoas. Hackers mudaram o nome da página para "Mulheres com Bolsonaro 17" e fizeram publicações positivas sobre o então candidato. 

    Presidente Jair Bolsonaro e seu vice, Hamilton Mourão, usando máscaras protetoras durante cerimônia no Palácio do Planalto, Brasília, 9 de junho de 2020
    © REUTERS / Adriano Machado
    Presidente Jair Bolsonaro e seu vice, Hamilton Mourão, usando máscaras protetoras durante cerimônia no Palácio do Planalto, Brasília, 9 de junho de 2020

    OPS alerta sobre risco da chegada do inverno para pandemia de COVID-19 na América do Sul

    Nesta terça-feira (9), a diretora da Organização Pan-americana de Saúde (OPS), Carissa Etienne, alertou que a chegada do inverno na América do Sul pode dificultar os esforços para conter a pandemia de COVID-19. "Não temos dados que mostrem que a temperatura ou a umidade influenciem a propagação da COVID-19, mas sabemos que elas aumentam a incidência de infecções respiratórias", o que pode agravar a pressão nos sistemas de saúde dos países da região. A diretora recomendou que os países intensifiquem as campanhas de vacinação contra a gripe.

    Pacientes em hospital de campanha montado em ginásio da cidade de Santo André, na grande São Paulo, 9 de julho de 2020
    © AP Photo / Andre Penner
    Pacientes em hospital de campanha montado em ginásio da cidade de Santo André, na grande São Paulo, 9 de julho de 2020

    Secretário-geral da OTAN alerta para 'aproximação' da China do Ocidente

    Nesta quarta-feira (10), o secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), Jens Stoltenberg, disse em entrevista à rádio BBC que o Ocidente não deve ignorar a ascensão da China, que estaria aumentando a sua presença em regiões como o Ártico e a Antártica. Neste contexto, o secretário recomendou que Londres reveja a sua decisão de permitir que a gigante de telecomunicações chinesa Huawei opere redes de 5G no Reino Unido. O Conselho Nacional de Segurança Cibernética do Reino Unido está analisando o impacto que as sanções norte-americanas terão na capacidade da empresa chinesa de construir a rede 5G do país.

    Europa demanda plano para se preparar para próxima pandemia

    Em carta assinada por líderes como a chanceler alemã Angela Merkel e o presidente francês Emmanuel Macron, as principais economias de Europa solicitaram à União Europeia que formule um plano de combate a futuras pandemias, após a resposta caótica da UE aos desafios impostos pelo novo coronavírus. Para os líderes, a falta de coordenação na distribuição de equipamentos médicos no início da pandemia contribuiu para que a Europa seja o continente mais afetado pela COVID-19 até agora, com mais de 185 mil vítimas fatais da doença.

    Agentes de saúde fazem passeata por melhores condições de trabalho na cidade de Nantes, França, 9 de julho de 2020
    © REUTERS / Stephane Mahe
    Agentes de saúde fazem passeata por melhores condições de trabalho na cidade de Nantes, França, 9 de julho de 2020

    China rejeita proposta de diálogo trilateral sobre controle de armas, diz enviado dos EUA

    O enviado especial dos EUA para assuntos de controle de armas, Marshall Billingslea, informou que a China rejeitou convite para diálogo trilateral com Washington e Moscou sobre o controle de armamentos. "A China informou que não tem intenções de participar de negociações trilaterais. Deveria reconsiderar", escreveu o enviado especial. De acordo com o SIPRI, Pequim tem um arsenal nuclear estimado em 290 ogivas, comparado com 6.185 ogivas de Washington e 6.500 de Moscou. O vice-ministro russo das Relações Exteriores, Sergei Ryabkov, pediu "propostas positivas" a Washington, alertando que a insistência em incluir a China pode prejudicar a manutenção do regime internacional de controle de armas.

    Mais:

    Povo pede mais auxílio, governo oferece menos e oportunistas se aproveitam
    Posição do governo do Brasil diante da pandemia pode aumentar perdas econômicas, diz especialista
    Trump tenta se afastar de 'negacionista' Bolsonaro, diz analista
    Tags:
    Tribunal Superior Eleitoral, General Mourão, Jair Bolsonaro, OTAN, Huawei, COVID-19, pandemia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar