21:15 15 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    3325
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil acompanha as notícias mais relevantes desta quarta-feira (3), marcada pela abertura de inquérito do MPF sobre a subutilização de recursos públicos no combate à COVID-19, pelo aceno de Boris Johnson a moradores de Hong Kong e pela nova doutrina nuclear publicada por Moscou.

    Brasil registra pior boletim diário de óbitos por COVID-19

    Nesta terça-feira (2), o Brasil registrou o pior boletim diário de número de mortes por COVID-19 de sua história, com 1.262 óbitos confirmados em 24 horas pelo Ministério da Saúde. O país registra 555.383 casos de COVID-19 e 31.199 vítimas fatais. São Paulo também registrou números recorde, com 327 óbitos em 24 horas e 6.999 novos casos. Questionado por apoiadora, que pediu ao presidente uma palavra de conforto às vítimas da pandemia, Jair Bolsonaro declarou que lamenta "todos os mortos, mas é o destino de todo mundo".

    MPF investiga subutilização de recursos para combate à COVID-19 pelo governo Bolsonaro

    O Ministério Público Federal (MPF) abriu inquérito para investigar o baixo investimento de dinheiro público em ações de combate à COVID-19 por parte do governo federal. De acordo com estudo, o Ministério da Saúde investiu somente 6,8% dos recursos disponíveis para ações de combate à pandemia. Dos R$ 11,74 bilhões disponíveis, o Ministério da Saúde teria usado somente R$ 2,59 bilhões, dos quais apenas R$ 804,68 milhões foram efetivamente pagos, informou o portal UOL. O MPF investiga os motivos da subutilização de recursos disponíveis e se há ineficiência por parte do governo federal no combate à pandemia.

    Mulher tem temperatura corporal detectada por câmera, na estação central do metrô de Brasília, 2 de junho de 2020
    © REUTERS / Adriano Machado
    Mulher tem temperatura corporal detectada por câmera, na estação central do metrô de Brasília, 2 de junho de 2020

    Manifestantes entram em confronto com a polícia em Nova York

    Manifestantes em Washington, Los Angeles e Nova York violaram o toque de recolher e mantiveram os protestos, que já duram há oito dias, em memória de George Floyd, assassinado pela polícia norte-americana em 25 de maio. Em Nova York, que prolongou o toque de recolher instaurado pela primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial, 40 pessoas foram presas após confronto com a polícia. O prefeito da cidade, Bill de Blasio, disse à CNN que os protestos foram "muito mais calmos", um dia após lojas de luxo serem saqueadas em Manhattan.

    Milhares de manifestantes protestam contra a morte de George Floyd, na cidade de St. Paul, no estado norte-americano de Minnesota, 2 de junho de 2020
    © AP Photo / Jim Mone
    Milhares de manifestantes protestam contra a morte de George Floyd, na cidade de St. Paul, no estado norte-americano de Minnesota, 2 de junho de 2020

    Primeiro-ministro britânico diz que não irá 'abandonar o povo de Hong Kong'

    Nesta quarta-feira (3), o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, declarou que seu país "não irá abandonar o povo de Hong Kong" e considera "providenciar uma alternativa", fornecendo passaportes especiais e cidadania britânica a moradores da região autônoma, caso a nova lei de segurança nacional passe a vigorar em Hong Kong. Cerca de 350 mil moradores da região têm passaporte especial britânico e mais 2,5 milhões poderão adquiri-lo, escreveu Johnson em artigo publicado no jornal The Times. O ministro britânico das Relações Exteriores informou ter consultado os países dos "cinco olhos", grupo de cooperação na área de inteligência que compreende o Reino Unido, EUA, Austrália, Nova Zelândia e Canadá, para coordenar a concessão dos passaportes.

    Morador de Hong Kong mostra passaportes britânicos em centro comercial da região autônoma, 1º de junho de 2020
    © REUTERS / Tyrone Siu
    Morador de Hong Kong mostra passaportes britânicos em centro comercial da região autônoma, 1º de junho de 2020

    Testes em Wuhan revelam pacientes assintomáticos incapazes de propagar COVID-19

    Após testar 9,9 milhões dos 11 milhões de moradores da cidade chinesa de Wuhan, as autoridades confirmaram a detecção de 300 casos assintomáticos da doença que não são capazes de propagar o vírus, apontou professor da Universidade de Ciência e Tecnologia de Huazhong. Escovas de dentes, máscaras, telefones e maçanetas de porta tocadas pelos pacientes assintomáticos não revelaram traços do vírus. A cidade de Wuhan, na qual o novo coronavírus foi descoberto, iniciou uma campanha em 14 de maio para testar todos os 11 milhões de habitantes da cidade para o novo coronavírus.

    Criança é testada para o novo coronavírus, na cidade de Wuhan, na China, 16 de maio de 2020
    © REUTERS / Aly Song
    Criança é testada para o novo coronavírus, na cidade de Wuhan, na China, 16 de maio de 2020

    Ministros da Defesa da Rússia e EUA conversam após Rússia anunciar nova doutrina nuclear

    Nesta terça-feira (2), o presidente da Rússia, Vladimir Putin, assinou a nova doutrina de dissuasão nuclear do país, que mantém o caráter defensivo do uso de armas atômicas por Moscou. Após a assinatura, o ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu, conversou por telefone com seu homólogo norte-americano, Mark Esper, ocasião na qual expressou preocupação quanto à erosão dos principais tratados de controle de armas firmados entre Moscou e Washington. O ministro convidou Esper para a parada do Dia da Vitória em Moscou, que assinala o fim da Segunda Guerra Mundial e que será realizada excepcionalmente no dia 24 de junho.

    Mais:

    Moro tem pedido negado para atuar como advogado e receberá salário de ministro por 6 meses
    Por que bandeiras de grupos de extrema-direita da Ucrânia foram usadas em manifestação na Paulista?
    Putin: dissuasão nuclear existe para que inimigo saiba que agressão contra Rússia terá retaliação
    Tags:
    Reino Unido, Hong Kong, Manaus, protestos violentos, protestos, eua, pacientes, COVID-19, pandemia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar