23:25 07 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    0 281
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil acompanha as principais notícias desta terça-feira (26), na qual o Brasil ultrapassa os EUA em número de mortes diárias por COVID-19, a OMS alerta para risco de segundo pico de infecções e o Afeganistão mantém raro cessar-fogo.

    Brasil ultrapassa os EUA em número de mortes diárias

    De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil registra 374.898 casos de COVID-19 e 23.473 vítimas fatais. Nas últimas 24 horas foram registrados 807 óbitos, número diário superior ao dos EUA, país mais afetado pela COVID-19 mundialmente, com 620 mortes. O estado de São Paulo registra agora a taxa de 13,7 casos fatais de COVID-19 a cada 100 mil habitantes, taxa superior à que a Espanha registrava quando impôs lockdown no país, informou a Fundação Seade. O Brasil é o segundo país mais afetado no mundo pela COVID-19, segundo a Universidade Johns Hopkins (EUA).

    Prazo do auxílio de R$ 600 pode ser ampliado

    Nesta terça-feira (36), mais 7,6 milhões de pessoas devem receber o auxílio de R$ 600, informou a Caixa Econômica Federal. Os pagamentos serão feitos a novos beneficiários, que receberão a primeira parcela, e àqueles que receberam o primeiro pagamento em 30 de abril. Os líderes dos partidos com representação na Câmara dos Deputados negociam a apresentação de projeto de lei para estender o prazo de pagamento dos repasses, reportou o G1. Sem perspectiva de arrefecimento da pandemia, o auxílio, pago para autônomos, trabalhadores informais e famílias duramente afetadas pela COVID-19, pode ser mantido por mais tempo.

    Família de índios da tribo Kambeba, em posto de saúde na vila de Três Unidos (AM), 21 de maio de 2020
    © REUTERS / Bruno Kelly
    Família de índios da tribo Kambeba, em posto de saúde na vila de Três Unidos (AM), 21 de maio de 2020

    'Segundo pico' de infecções imediata é risco real, diz OMS

    Países que estão observando uma queda nas infecções pelo novo coronavírus correm o risco de enfrentar um "segundo pico imediato" de infecções à medida que retiram as medidas de isolamento social, disse o diretor do departamento de emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS), Mike Ryan, nesta segunda-feira (26). "Precisamos estar conscientes do fato de que a doença pode escalar a qualquer momento", disse. A OMS também anunciou uma "pausa temporária" na realização de testes com o medicamento hidroxicloroquina, usado contra a malária, por razões de segurança. Leia mais sobre a decisão da OMS

    Diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS), Mike Ryan, durante entrevista de imprensa em Genebra, na Suíça, 3 de maio de 2020
    © REUTERS / Denis Balibouse
    Diretor-executivo da Organização Mundial da Saúde (OMS), Mike Ryan, durante entrevista de imprensa em Genebra, na Suíça, 3 de maio de 2020

    Procurador venezuelano quer classificar partido de Guaidó como 'organização terrorista'

    O procurador-geral da Venezuela, William Saab, solicitou à Suprema Corte do país que classifique o partido do líder da oposição Juan Guaidó, o Vontade Popular, como "organização terrorista", em função da sua participação na tentativa de invasão do país, no dia 3 de maio. Documentos obtidos pelo jornal Washington Post mostram que a equipe de Guaidó negociou um contrato com a empresa privada de segurança Silvercorp EUA, que teria coordenado a tentativa de invasão marítima. Guaidó é reconhecido pelos EUA e mais 50 países como presidente interino da Venezuela. Cerca de 25 mercenários foram presos pelas autoridades venezuelanas por ligação com a tentativa de invasão, incluindo dois cidadãos norte-americanos.

    Ministro do Comércio da China recusa encontro com colega australiano em meio à crise

    O ministro do Comércio da China, Zhong Shan, recusou encontro com seu homólogo australiano, Simom Birmingham, após Pequim impor tarifas de 80,5% sobre a cevada produzida na Austrália. "Desde o estabelecimento de relações diplomáticas entre a China e a Austrália, o caso da cevada australiana é o primeiro no qual a China lança uma investigação de defesa comercial contra a Austrália", disse Zhong. "No mesmo período, a Austrália lançou 100 investigações de defesa comercial contra a China, três delas somente neste ano", argumentou. As relações entre Pequim e Camberra se deterioraram após a Austrália liderar o pedido de investigação internacional sobre as origens do novo coronavírus, que a China considera parte de esforço para responsabilizá-la pela pandemia.

    Mulheres usam máscaras protetoras pouco antes da abertura do Congresso Nacional do Povo, em Pequim, na China, 25 de maio de 2020
    © REUTERS / Thomas Peter
    Mulheres usam máscaras protetoras pouco antes da abertura do Congresso Nacional do Povo, em Pequim, na China, 25 de maio de 2020

    Líder de Hong Kong diz que lei de segurança não afetará liberdades civis

    Nesta terça-feira (26), a líder de Hong Kong, Carrie Lam, disse que as leis de segurança nacional propostas por Pequim não prejudicarão os "direitos e liberdades" da cidade e pediu que os cidadãos analisem o texto do projeto. "Não precisamos nos preocupar", mas sim "entender por que Hong Kong precisa desse projeto de lei neste momento", disse Lam. O comandante da guarnição militar chinesa em Hong Kong, Chen Daoxiang, disse em entrevista ao canal estatal local que os militares estão preparados para defender a soberania chinesa sobre o território e a segurança da cidade. No domingo (24), protestos contra a legislação foram registrados em Hong Kong, apesar das medidas de isolamento social impostas na cidade.

    Fiéis comemoram o fim do Ramadã, durante o feriado de Eid al-Fitr, em Banda Aceh, na Indonésia, 24 de maio de 2020
    © REUTERS / Agência Antara
    Fiéis comemoram o fim do Ramadã, durante o feriado de Eid al-Fitr, em Banda Aceh, na Indonésia, 24 de maio de 2020

    Cessar-fogo: governo do Afeganistão deve libertar mais 900 prisioneiros

    As autoridades de Cabul, capital do Afeganistão, declararam nesta terça-feira (26) que irão libertar mais 900 prisioneiros do Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e demais países), reportou a AFP. Nesta segunda-feira (25), 100 prisioneiros ligados à organização já haviam sido libertados. A medida procura manter o cessar-fogo iniciado pelo Talibã, o segundo em 19 anos de violência, em observância à celebração do Eid al-Fitr, que marca o fim do mês sagrado do Ramadã. O presidente afegão, Ashraf Ghani, disse estar pronto para começar as negociações para pôr fim à prolongada guerra que assola o país.

    Mais:

    'Populismo de Bolsonaro está levando o Brasil ao desastre', diz Financial Times
    Chegada de navios iranianos à Venezuela seria início do fim do 'império' dos EUA?
    Barroso assume o TSE e cita adiamento das eleições em caso de risco à saúde pública
    Tags:
    Afeganistão, Austrália, China, OMS, pandemia, Brasil, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar