15:23 09 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    0 281
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil está de olho nas notícias mais importantes desta quarta-feira (20), marcada pelo pior boletim diário de número de mortes por COVID-19 no Brasil, pelo início do "megaferiado" em São Paulo e pela troca de farpas entre Taiwan e China.

    Brasil tem maior número de óbitos em 24 horas

    De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil tem 271.628 casos de COVID-19 e 17.971 óbitos, 1.179 confirmados somente nas últimas 24 horas, o maior número registrado pelo país. A doença passou a ser a principal causa de mortes no Brasil, que registra um óbito pelo novo coronavírus a cada 73 segundos, reportou o portal UOL. Os estados de São Paulo e Rio de Janeiro também reportaram números diários recorde de mortes por COVID-19, com 324 e 227, respectivamente. Começa hoje (20) o "megaferiado" decretado no estado de São Paulo para tentar frear a propagação do novo coronavírus. O Brasil é o terceiro país com maior número de casos mundialmente, de acordo com a Universidade Johns Hopkins (EUA).

    Coveiros preparam enterro de vítima do novo coronavírus, no Rio de Janeiro, 18 de maio de 2020
    © REUTERS / Ricardo Moraes
    Coveiros preparam enterro de vítima do novo coronavírus, no Rio de Janeiro, 18 de maio de 2020

    Empresas do Reino Unido pressionam pelo fim da 'MP da grilagem'

    Nesta quarta-feira (20), a Câmara dos Deputados deve votar o projeto de lei 2.633, que legaliza a posse por autodeclaração de terras federais ocupadas na Amazônia. O texto substitui a Medida Provisória 910, conhecida como "MP da grilagem" que caducou nesta terça-feira (19). As principais redes de supermercados do Reino Unido enviaram carta ao Senado brasileiro nesta quarta-feira (20), expressando "preocupação" com o projeto. As redes britânicas Tesco, Asda, Waitrose e empresas como a Burguer King UK alertam que a eventual aprovação do projeto de lei "colocará em risco a nossa capacidade de buscar fornecedores no Brasil".

    Economia dos EUA pode sofrer maior retração desde a Segunda Guerra Mundial

    Nesta quarta-feira (20), a Ecritório Orçamentário do Congresso (CBO, na sigla em inglês), publicou um relatório que antecipa uma queda de 37,7% na atividade econômica norte-americana no segundo trimestre de 2020, em relação ao mesmo período do ano passado. "A pandemia e as medidas de distanciamento social levaram a uma séria retração econômica [...] é a maior queda na atividade econômica desde a Segunda Guerra Mundial", escreveu o órgão. A queda pode levar a uma retração anual de até 5,6% do PIB. Os níveis de desemprego no segundo trimestre podem atingir 15,8%, com recuperação no final de 2020.

    Moradora da cidade de Chelsea leva comida para casa, no estado de Massachusetts, EUA, 19 de maio de 2020
    © REUTERS / Brian Snyder
    Moradora da cidade de Chelsea leva comida para casa, no estado de Massachusetts, EUA, 19 de maio de 2020

    Presidente de Taiwan toma posse e rejeita proposta de reunificação da China

    Nesta quarta-feira (20), a presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, tomou posse de seu segundo mandato consecutivo no país, após vitória eleitoral em janeiro de 2020. A presidente declarou que seu país não aceita a proposta chinesa de reunificação sob o modelo "um país, dois sistemas". O modelo, implementado em Hong Kong, garante alto nível de autonomia regional às regiões que voltem a ficar sob a soberania de Pequim. Em resposta, a China reiterou que não reconhece a independência de Taiwan e que a reunificação do país é "uma inevitabilidade histórica". "Temos capacidade suficiente para defendermos nossa integridade territorial", declarou o Escritório para Assuntos de Taiwan do governo chinês.

    Comerciante chinês abre sua loja no mercado de antiguidades de Panjiayuan, em Pequim, China, 19 de maio de 2020
    © AP Photo / Tingshu Wang
    Comerciante chinês abre sua loja no mercado de antiguidades de Panjiayuan, em Pequim, China, 19 de maio de 2020

    Melhora no comércio chinês é 'insustentável' sem controle da pandemia, diz ministério

    Nesta quarta-feira (20), o ministro da Indústria e Tecnologia da Informação da China, Miao Wei, disse que a recuperação do comércio internacional chinês é "insustentável", caso a pandemia não seja controlada mundialmente. Os investidores reagiram positivamente aos números do comércio exterior publicados pela China no início do mês de maio. No entanto, o ministro sugeriu cautela: "Apesar dos nossos números de importação e exportação em renminbi de janeiro a abril [de 2020] terem apresentado um aumento moderado, acho que, se a pandemia global não for colocada sob controle de forma eficiente, isso é insustentável".

    Vendedora de máscaras e protetores faciais fala com cliente em Nova York, EUA, 19 de maio de 2020
    © REUTERS / Brendan Mcdermid
    Vendedora de máscaras e protetores faciais fala com cliente em Nova York, EUA, 19 de maio de 2020

    Conselho de Segurança da ONU se reúne hoje para debater Venezuela

    Nesta quarta-feira (20), o Conselho de Segurança da ONU deve reunir-se para debater a tentativa fracassada de invasão marítima da Venezuela, ocorrida em 3 de maio. A reunião, convocada pela Rússia, também deve tratar do envio, pelo Irã, de combustível ao país sul-americano e do regime de sanções econômicas imposto a Caracas. Os EUA consideram responder ao envio iraniano e negaram qualquer ligação com a tentativa de invasão da Venezuela, feita com apoio de uma empresa de segurança privada baseada na Flórida. O Conselho de Segurança busca retomar os trabalhos, após ser alvo de críticas por não ter sido capaz de aprovar uma resolução para responder à crise do novo coronavírus.

    Mais:

    EUA dão ordem de zarpar a diversos submarinos no Pacífico como mensagem para China, diz mídia
    Angolano morre esfaqueado em SP após discussão sobre auxílio emergencial para imigrantes
    Analista: Bolsonaro usa apoio econômico como barganha para flexibilizar isolamento
    Tags:
    Taiwan, China, eua, Brasil, COVID-19, pandemia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar