00:03 14 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    13290
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil está acompanhando as notícias mais importantes desta quinta-feira (30), na qual a Alemanha baniu o Hezbollah, a economia francesa sofreu retração recorde e Haftar anunciou cessar-fogo na Líbia durante o mês religioso do Ramadã.

    Coronavírus no Brasil

    De acordo com as secretarias estaduais de Saúde, o Brasil confirmou 79.685 casos de COVID-19 e 5.513 vítimas fatais. No entanto, o aumento do número de mortes em casa sugere que os números não refletem a real situação epidemiológica do país. O novo ministro da Saúde, Nelson Teich, disse ao Senado que não sabe quando o Brasil alcançará o pico da epidemia e que o perigo de uma segunda onda de infecções é "real".

    Agente funerário usa equipamento de proteção pessoal na cidade de Manaus (AM), 29 de abril de 2020
    © REUTERS / Bruno Kelly
    Agente funerário usa equipamento de proteção pessoal na cidade de Manaus (AM), 29 de abril de 2020

    Alemanha bane o Hezbollah e conduz operações policiais em mesquitas

    Nesta quinta-feira (30), a Alemanha classificou o grupo libanês Hezbollah como organização terrorista e baniu as atividades do grupo em seu território, informou o Ministério do Interior. Nesta manhã, a polícia alemã conduziu operações em mesquitas para aplicar a diretiva do ministério. De acordo com o governo, cerca de 1.050 pessoas no país são afiliadas das correntes extremistas do grupo libanês. A União Europeia considera a ala militar do Hezbollah como uma organização terrorista, mas não estende a classificação à ala política do grupo.

    Trump diz que China fará tudo para que ele perca as eleições de novembro

    O presidente Donald Trump disse que o novo coronavírus é uma prova de que a China fará "tudo o que puder" para que ele perca as eleições presidenciais dos EUA, marcadas para novembro deste ano, reportou a Reuters. Trump voltou a pedir uma investigação internacional sobre a resposta da China à pandemia de COVID-19. O vice-ministro chinês das Relações Exteriores, Le Yucheng, disse que seu país se "opõe de forma veemente" a qualquer investigação "politizada" que tenha como objetivo "estigmatizar" a China.

    Mulher usando máscara e luvas faz exercícios no parque Jingshan, em Pequim, na China, 30 de abril de 2020
    © REUTERS / China Daily
    Mulher usando máscara e luvas faz exercícios no parque Jingshan, em Pequim, na China, 30 de abril de 2020

    Economia da França sofre maior retração desde 2ª Guerra mundial

    Nesta quinta-feira (30), o Instituto Nacional de Estatísticas e Estudos Econômicos da França divulgou uma queda de 5,8% no Produto Nacional Bruto no primeiro trimestre, a maior desde o fim da Segunda Guerra Mundial. De acordo com o Instituto, a retração foi motivada pela redução na demanda do consumidor francês, estimada em 6,1%, e pela contração de 11,4% nos investimentos das empresas. O governo francês estima que a economia irá retrair 8% em 2020 e alerta que, apesar da flexibilização da quarentena prevista para o dia 11 de maio, o aumento do desemprego e falências deve continuar.

    Funcionário do metrô de Nantes desinfeta vagão, na França, 29 de abril de 2020
    © AFP 2020 / Loic Venance
    Funcionário do metrô de Nantes desinfeta vagão, na França, 29 de abril de 2020

    Haftar anuncia cessar-fogo na Líbia durante o mês do Ramadã

    O Exército Nacional Líbio (ENL), comandado pelo marechal Khalifa Haftar, irá cessar as hostilidades durante o Ramadã, mês sagrado no calendário religioso islâmico, informou o porta-voz da organização, major-general Ahmad Mismari. Além do Ramadã, o cessar-fogo tem o objetivo de "responder a pedidos de nações amigas" pelo fim das hostilidades. Na segunda-feira (27), Haftar havia abandonado acordos internacionais e anunciado que tomaria o controle do país, gerando forte reação internacional.

    Mural do artista Eduardo Kobra chamado Coexistência, em Itu, na grande São Paulo, 25 de abril de 2020
    © AFP 2020 / Nelson Almeida
    Mural do artista Eduardo Kobra chamado "Coexistência", em Itu, na grande São Paulo, 25 de abril de 2020

    Mercado de ações opera em alta na Ásia após declaração sobre tratamento contra COVID-19

    Os mercados asiáticos estão operando em alta, após o médico conselheiro da Casa Branca, Anthony Fauci, declarar que a droga remdesivir será adotada nos EUA para tratamento da COVID-19. Testes preliminares teriam provado que a droga reduz o tempo de tratamento em 30%, disse Fauci. A notícia repercutiu positivamente e a bolsa de valores da Austrália registrou alta de 1,4%, e a de Xangai de 1%, melhores níveis das últimas sete semanas.

    Mais:

    Ciro Gomes pede renúncia de Bolsonaro por política 'genocida' contra COVID-19
    Drone dos EUA borda fronteira da Rússia em voo espião de 7 horas, diz mídia
    Indicadores de violência devem aumentar no Brasil durante a quarentena, diz ex-instrutor do BOPE
    Tags:
    Alemanha, Hezbollah, França, cessar-fogo, Brasil, Líbia, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar