07:36 25 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    2191
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil está acompanhando as matérias mais relevantes desta quinta-feira (2), marcada pelo anúncio de MP do governo brasileiro para reduzir jornada e salários, e pela reação dos preços do petróleo às declarações de Trump, enquanto o mundo se aproxima da marca de 1 milhão de casos de COVID-19.

    Coronavírus no Brasil e no mundo

    As secretarias estaduais de saúde registraram 6.931 casos de coronavírus em todo o Brasil e 224 vítimas fatais. O estado de São Paulo concentra o maior número de casos, com 2.981 infectados. O Brasil é o 17º país mais atingido pela COVID-19 no mundo, de acordo com a Universidade Johns Hopkins (EUA). No mundo, já são 937.783 casos confirmados da doença e 47.261 vítimas fatais. Os países com maior número de casos são os EUA, Itália e Espanha.

    Coveiros usando roupas protetoras enterram pessoa falecida por causas desconhecidas, em São Francisco Xavier, no estado do Rio de Janeiro, 1º de abril de 2020
    © REUTERS / Ian Cheibub
    Coveiros usando roupas protetoras enterram pessoa falecida por causas desconhecidas, em São Francisco Xavier, no estado do Rio de Janeiro, 1º de abril de 2020

    Governo anuncia MP para reduzir jornada e salários

    O governo federal anunciou uma medida provisória que irá permitir a redução da jornada de trabalho, com redução de salário. Cerca de 24,5 milhões de trabalhadores devem ser afetados pela medida, que custará aproximadamente R$ 51 bilhões aos cofres públicos. A redução salarial pode ser de 25%, 50% ou de 70% e vigorar por 90 dias. O congresso, por sua vez, deve votar o "orçamento de guerra" na Câmara nesta sexta-feira (03).

    Coronavírus nos EUA

    O número de americanos que solicitam seguro-desemprego deve bater recorde pela segunda semana consecutiva, reportou a Reuters. Na semana passada, 3,3 milhões de trabalhadores pediram o benefício. Mais de 80% da população dos EUA está em quarentena, um aumento de 30% em relação à semana passada. O presidente Donald Trump considera suspender os voos domésticos para zonas mais afetadas, enquanto o Pentágono anuncia que se prepara para fornecer ao governo 100 mil sacos mortuários para uso civil.

    Homem fantasiado de homem-aranha tenta distrair crianças em quarentena, no Reino Unido, 1º de abril de 2020
    © REUTERS / Phil Noble
    Homem fantasiado de homem-aranha tenta distrair crianças em quarentena, no Reino Unido, 1º de abril de 2020

    Preços do petróleo em alta após declarações de Trump

    Os preços do petróleo estão em tendência de alta nesta quinta-feira (02), após o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciar que a Arábia Saudita e a Rússia estão próximas de chegar a um acordo sobre o volume de produção. "Eu acho que eles vão solucionar a questão nos próximos dias", disse Trump, acrescentando que teve "ótimas" conversas com o príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman, e com o presidente russo, Vladimir Putin.

    Coreia do Norte afirma não ter nenhum caso de COVID-19

    Nesta quinta-feira (02), o diretor do departamento anti-epidemias da Coreia do Norte, Pak Muong Su, informou que o país não tem casos de COVID-19. "Nenhuma pessoa está infectada pelo novo coronavírus no nosso país por enquanto", disse Pak à Associated Press. Dentre as medidas adotadas por Pyongyang estão a "quarentena de todos os que chegaram do exterior, desinfecção de bens importados e fechamento de fronteiras".

    • A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou, nesta quarta-feira (01), que o número de casos mundialmente se aproxima de 1 milhão e que praticamente todos os países do mundo já registraram casos de COVID-19.
    • Em fevereiro, o Ministério das Relações Exteriores da Rússia informou haver enviado, por solicitação do governo de Pyongyang, 1.500 kits de testes à Coreia Norte, em função "do risco persistente" representado pela COVID-19.
    Pedestres caminham de máscaras protetoras na capital da Coreia do Norte, Pyongyang, 1º de abril de 2020
    © AP Photo / Chsa Song Ho
    Pedestres caminham de máscaras protetoras na capital da Coreia do Norte, Pyongyang, 1º de abril de 2020

    Europa irá lançar aplicativo de rastreamento para combate à COVID-19

    Cientistas europeus anunciaram apoio ao lançamento de aplicativos para rastrear pessoas que tenham estado em contato com pacientes de COVID-19. Um grupo de especialistas europeus de oito países estão desenvolvendo a ferramenta, que gera polêmica em função de poder violar as garantias de privacidade. A cidade de Moscou já anunciou o lançamento de um aplicativo para rastrear pessoas em quarentena obrigatória. Pesquisadores dos EUA, por sua vez, utilizam dados de localização de usuários do Facebook para avaliar a eficácia das políticas de distanciamento social.

    Ajuda humanitária russa para os EUA

    A ajuda humanitária mútua entre Rússia e EUA em momento de crise é inédita e deve continuar no futuro, declarou nesta quinta-feira (2) Morgan Ortagus, funcionário do Departamento de Estado dos EUA. Na quarta-feira (1º), a Rússia enviou aos EUA uma aeronave de carga An-124 com respiradores, máscaras, óculos protetores, entre outros suprimentos médicos. O embaixador da Rússia em Washington, Anatoly Antonov, confirmou o envio da ajuda humanitária e disse estar seguro de que, no futuro, os EUA poderão retribuir a ajuda à Rússia, que também combate o novo coronavírus. 

    Mais:

    EUA: COVID-19 é uma oportunidade de trabalhar em conjunto com Rússia
    COVID-19: Brasil recebe 500 mil testes, mas falta líder 'com a cabeça no lugar', diz sanitarista
    'Brasil teve que parar', diz Trump após conversa com Bolsonaro sobre coronavírus
    Tags:
    ajuda humanitária, Medida Provisória, Brasil, petróleo, EUA, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar