16:33 29 Março 2020
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    3332
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil está acompanhando as matérias mais relevantes dessa terça-feira (10), marcada pelo pânico nos mercados financeiros, por nova alta recorde do dólar e pelas suspeitas de que Trump possa ter sido infectado pelo coronavírus.

    Preços do petróleo desabam

    Os preços do petróleo sofreram queda acentuada ontem, gerando queda nas bolsas de valores de todo o mundo. Os preços do petróleo subiram pouco mais de US$ 1 (R$ 4,7) nesta madrugada. As chances de uma recuperação rápida dos preços parecem remotas, uma vez que o coronavírus diminuiu a demanda global por petróleo. Aumentam os temores de uma nova recessão global.

    Ibovespa tem maior queda desde 1998

    As ações da bolsa brasileira Ibovespa caíram mais de 12% nesta segunda-feira (9), a maior queda registrada desde 1998. O Banco Central interviu no câmbio para tentar segurar o dólar, mas a moeda norte-americana bateu novo recorde e fechou a RS 4,72. O governo conta com reservas internacionais, avaliadas em cerca de US$ 330 bilhões (R$ 1,5 trilhão), para acalmar os mercados. No entanto, somente na última semana já utilizou cerca de US$10 bilhões (R$47 bilhões) para tentar segurar a alta do dólar.

    30 casos de coronavírus no Brasil             

    O Brasil confirmou 30 casos de coronavírus no território nacional, com o Rio de Janeiro registrando 5 novos casos somente na tarde de ontem. O Ministério da Saúde informou que há 930 casos suspeitos. Em viagem aos EUA, o presidente Jair Bolsonaro disse que o "poder destruidor" da doença é "superdimensionado".

    O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, gesticula em discurso para a comunidade brasileira residente em Miami, na Flórida, em 9 de março de 2020
    © REUTERS / Marco Bello
    O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, gesticula em discurso para a comunidade brasileira residente em Miami, na Flórida, em 9 de março de 2020

    Itália impõe quarentena nacional e china progride

    A Itália impôs uma quarentena nacional sem precedentes, que deve restringir o movimento de 60 milhões de cidadãos. Por outro lado, a situação na China parece progredir. O presidente chinês Xi Jinping realizou visita oficial à cidade de Wuhan, epicentro da propagação do coronavírus. Com a aparente recuperação chinesa, a bolsa de Xangai opera em alta nesta terça-feira (10). Saiba mais sobre a visita

    Presidente da China, Xi Jinping, visita pacientes e médicos no hospital Huoshenshan, em Wuhan, em 10 de março de 2020
    © AP Photo / Xinhua / Xie Huanchi
    Presidente da China, Xi Jinping, visita pacientes e médicos no hospital Huoshenshan, em Wuhan, em 10 de março de 2020

    Trump infectado?

    Temores de que o presidente dos EUA, Donald Trump, estaria infectado com o coronavírus estão dominando a mídia norte-americana. O presidente teve contato com congressistas que participaram de conferência ao lado de pessoa infectada pelo vírus. Os congressistas estão em quarentena. A Casa Branca informou, no entanto, que "o presidente não realizou teste de coronavírus", uma vez que "ele não tem nenhum sintoma".

    Ministro russo garante petróleo 'competitivo'

    Nesta terça-feira (10), o Ministro da Energia da Rússia, Aleksandr Novak, reagiu à queda vertiginosa nos preços do petróleo e afirmou que as empresas russas vão manter suas ações disponíveis no mercado. Para o ministro, a "indústria de petróleo russa tem margem suficiente para se manter competitiva" em qualquer situação de preços.

    Mais:

    Como queda do petróleo está afetando economia brasileira e internacional?
    Xi Jinping vai a Wuhan inspecionar medidas que estão sendo tomadas contra novo coronavírus
    'Se preparem': médicos italianos advertem Europa sobre o impacto de coronavírus nos hospitais
    Tags:
    Xi Jinping, Bolsonaro, Donald Trump, Brasil, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar