22:12 09 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    3272
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil está de olho nas matérias mais importantes desta manhã de segunda-feira (9), marcada pela maior queda nos preços do petróleo desde 1991, pela contínua propagação do coronavírus e por lançamento de mísseis pela Coreia do Norte.

    Preços do petróleo têm maior queda desde a Guerra do Golfo

    Os preços do petróleo recuaram 31% entre domingo (8) e segunda-feira (9), após a Arábia Saudita cortar o valor do barril e iniciar uma verdadeira guerra de preços. A decisão saudita foi tomada após a reunião entre a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e a Rússia não ter chegado a consenso sobre cortes na produção, para ajustar a oferta em meio à propagação do coronavírus.

    Coreia do Norte lança 3 mísseis de curto alcance

    A Coreia do Sul informou que seu vizinho do norte disparou três mísseis de curto alcance, nesta segunda-feira (9). Os mísseis percorreram uma distância de 200 quilômetros e voaram a uma altitude máxima de 50 quilômetros. O chefe de Estado-Maior das Forças Armadas da Coreia do Sul realizou uma reunião de emergência para discutir o lançamento, que é o segundo em uma semana. Leia mais sobre os lançamentos.

    Bolsonaro segue agenda de compromissos nos EUA

    O presidente Jair Bolsonaro se encontra em visita oficial aos Estados Unidos, e deve reunir-se hoje com o senador republicano Marco Rubio. Após o encontro, o presidente irá participar de um seminário empresarial no estado norte-americano da Flórida. Durante o fim de semana, o presidente brasileiro se reuniu com seu homólogo norte-americano, Donald Trump, e assinou acordos de cooperação militar com os EUA.

    • No jantar entre os dois líderes, realizado neste sábado (7), Trump fez elogios ao brasileiro, mas evitou se comprometer a não impor novas tarifas ao alumínio brasileiro.
    • No domingo (8), Jair Bolsonaro assinou um acordo para pesquisa, desenvolvimento, teste e avaliação de armamentos, que consolida a posição do Brasil como aliado militar extra-OTAN dos EUA.

    Brasil confirma 25 casos de coronavírus

    Novos pacientes são identificados no Rio de Janeiro, Minas Gerais e Alagoas. O estado de São Paulo, que tem o maior número de pacientes, confirmou mais três casos. 21 casos foram importados, mas o país já registrou 4 casos de contaminação interna. De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil ainda tem 663 casos suspeitos de COVID-19.

    Itália impõe restrições severas para conter o coronavírus

    O número de casos de coronavírus ao redor do globo já totaliza 107 mil. A Itália impôs restrições severas no norte do país, consideradas as medidas de maior envergadura adotadas para conter o vírus fora da China. A boa notícia é que Pequim não reportou nenhum novo caso de COVID-19 fora da província de Hubei, epicentro da propagação do vírus. As autoridades chinesas, no entanto, pedem para que a população não reduza a vigilância.

    Agentes de saúde fazem a desinfecção de edifícios na região de Lazio, na Itália, em 8 de março de 2020
    © AP Photo / Cecilia Fabiano
    Agentes de saúde fazem a desinfecção de edifícios na região de Lazio, na Itália, em 8 de março de 2020

    Manifestações numerosas e violência marcam o Dia Internacional da Mulher na América Latina

    Centenas de milhares de mulheres realizaram manifestações nas principais cidades da América Latina, protestando contra a desigualdade de gênero e o feminicídio, neste domingo (8). Em Santiago do Chile, a marcha reuniu 150 mil pessoas. São Paulo reuniu 10 mil pessoas na avenida Paulista, debaixo de chuva. Na Cidade do México, um grupo de homens anti-aborto entrou em confronto com as manifestantes.

    Mais:

    Cidadão alemão é 1ª vítima fatal do novo coronavírus no Egito
    Encontro na Flórida: Trump diz que EUA amam Bolsonaro, mas não faz promessa sobre tarifas
    Preço do barril de petróleo cai mais de 30%
    Tags:
    Coreia do Norte, Itália, Jair Bolsonaro, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar