01:03 25 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    • Soldado talibã e ex-prisioneiro posa para foto na base aérea de Bagram, na província de Parwan, Afeganistão, 23 de setembro de 2021
    • Veículos militares na base aérea de Bagram, na província de Parwan, Afeganistão, 23 de setembro de 2021
    • Homem caminha pelo corredor da prisão da base aérea de Bagram, na província de Parwan, Afeganistão, 23 de setembro de 2021
    • Soldado do Talibã entra em um helicóptero na base aérea de Bagram, na província de Parwan, Afeganistão, 23 de setembro de 2021
    • Soldado talibã armado e ex-prisioneiro gesticula na base aérea de Bagram, na província de Parwan, Afeganistão, 23 de setembro de 2021
    • Soldados do Talibã na base aérea de Bagram, na província de Parwan, Afeganistão, 23 de setembro de 2021
    • Objetos no chão na base aérea de Bagram, na província de Parwan, Afeganistão, 23 de setembro de 2021
    • Soldados islamistas posam para foto em uma cela da prisão na base aérea de Bagram, na província de Parwan, Afeganistão, 23 de setembro de 2021
    • Vista da base aérea de Bagram, na província de Parwan, Afeganistão, 23 de setembro de 2021
    • Quadro branco na parede da prisão na base aérea de Bagram, na província de Parwan, Afeganistão, 23 de setembro de 2021
    • Soldado talibã armado e ex-prisioneiro em um helicóptero militar na base aérea de Bagram, na província de Parwan, Afeganistão, 23 de setembro de 2021
    • Uniforme do exército dos EUA abandonado entre outras coisas no chão da base aérea de Bagram, na província de Parwan, Afeganistão, 23 de setembro de 2021
    • Tabela de basquete na base aérea de Bagram, na província de Parwan, Afeganistão, 23 de setembro de 2021
    • Soldado talibã armado e ex-prisioneiro perto de aparelhos de ginástica na base aérea de Bagram, na província de Parwan, Afeganistão, 23 de setembro de 2021
    © REUTERS / WANA
    Soldado talibã e ex-prisioneiro posa para foto na base aérea de Bagram, na província de Parwan, Afeganistão, 23 de setembro de 2021.

    Em agosto deste ano os EUA deixaram a base aérea de Bagram na província afegã de Parwan, após 20 anos da presença norte-americana.

    O Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) ficou com centenas de unidades de equipamento especial e peças abandonados pelos EUA na base aérea.

    Testemunhando perante o Comitê de Serviços Armados do Senado nesta terça-feira (28), o secretário de Defesa, Lloyd Austin, afirmou que manter a base aérea de Bagram significaria "continuar a guerra no Afeganistão".

    O chefe do Comando Central dos EUA, Kenneth McKenzie, disse que a decisão de deixar a base aérea de Bagram estava relacionada ao número de tropas dos EUA no Afeganistão. Quando o número desceu para menos de 2.500 soldados, os Estados Unidos perderam a capacidade de defender a base.

    McKenzie adicionou que ficar na base de Bagram não teria ajudado os esforços de evacuação.

    Mais:

    Macron crê que Europa tem de ter 'capacidade de nos defender' sem os EUA
    Mídia revela vontade dos EUA de usar bases militares da Rússia na Ásia Central
    Biden é acusado de mentir sobre retirada do Afeganistão após depoimento de generais no Congresso
    Saída dos EUA e da OTAN do Afeganistão foi feita sem pensar nas consequências, diz Lavrov
    Tags:
    EUA, Afeganistão, Talibã, base aérea, veículo blindado, prisão, helicóptero
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar

    Mais fotos