20:22 23 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    1180
    Nos siga no

    A chanceler alemã Angela Merkel em janeiro de 2021 rejeitou uma conversa telefónica com Joe Biden, o qual quis fazer sua primeira chamada como presidente dos EUA a ela, o que "seria um sinal para a estabilidade transatlântica".

    Joe Biden tomou posse como presidente norte-americano em 20 de janeiro, e pretendia ter a primeira conversa no cargo com Angela Merkel. No entanto, a chanceler alemã rejeitou sua proposta, segundo o jornal The Wall Street Journal.

    "Após a mudança para a Casa Branca em janeiro, o presidente Biden decidiu que sua primeira chamada a um líder estrangeiro seria a Angela Merkel, o que significaria um sinal de estabilidade transatlântica após a época de instabilidade de Trump", conforme a mídia.

    "A chanceler da Alemanha tinha outros planos. Ela rejeitou o convite para a chamada na tarde daquela sexta-feira porque deveria partir para sua casa de campo nos arredores de Berlim", indica o jornal, citando os conselheiros de Biden.

    Merkel rejeitou o gesto simbólico dos Estados Unidos e pediu a seus assistentes que combinassem outra reunião, revela a mídia.

    Como resultado, os líderes falaram na segunda-feira, 25 de janeiro, quando a chanceler alemã voltou ao trabalho. O premiê do Canadá Justin Trudeau foi o primeiro com quem Biden falou após a posse, no sábado, 23 de janeiro.

    Anteriormente, foi informado que Angela Merkel não tentará ser reeleita e pretende deixar a política. A eleição federal para o Bundestag (parlamento da Alemanha) ocorrerá em 26 de setembro, para formar o novo governo e escolher o novo, ou a nova, chanceler.

    Mais:

    Biden diz que EUA não procuram 'nova Guerra Fria' em referência à China, na Assembleia da ONU
    Europa tem de aumentar esforços contra China, diz ministro do Japão
    EUA devem ter 'cenário de divisão' para a Síria, afirma vice-chanceler da Rússia
    Tags:
    EUA, Alemanha, Joe Biden, Angela Merkel, política, presidente
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar