03:34 24 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    31418
    Nos siga no

    Um aumento de gastos militares por parte dos países europeus deve ter como foco fortalecer a OTAN, na opinião de Jens Stoltenberg, secretário-geral da Aliança Atlântica.

    A Europa não deve criar uma nova força de defesa comum, pois isso não ajudaria a fortalecer a OTAN, disse na sexta-feira (10) Jens Stoltenberg, secretário-geral da Aliança Atlântica.

    "A OTAN vem exigindo há anos mais esforços financeiros dos aliados europeus para suas despesas militares, a fim de ter uma melhor capacidade de ação, e eu saúdo o fato de que os europeus estão investindo mais", afirmou o alto responsável em entrevista à emissora RTBF.

    De acordo com Stoltenberg, qualquer tentativa de reforço militar deve ser realizada com o objetivo de fortalecer a OTAN, de forma a os países se unirem para conter a Rússia e a China.

    "Os Estados Unidos aumentaram sua disposição de estar presente na Europa nos últimos anos, e a OTAN é vital para a defesa da Europa. 80% dos gastos da OTAN com a defesa vêm de aliados não pertencentes à UE. A Noruega no norte, a Turquia no sul e depois, naturalmente, no oeste, os Estados Unidos, o Reino Unido e o Canadá", apontou o secretário-geral da OTAN, em resposta a uma pergunta sobre uma suposta concentração de forças dos EUA na Ásia, em detrimento da Europa.

    "Qualquer tentativa de dividir ou enfraquecer os laços entre a Europa e a América do Norte não só enfraquecerá a OTAN, mas também dividirá a Europa. Devemos, portanto, estar unidos entre a América do Norte e a Europa", defendeu ele.

    Desde 2014 que os países europeus da OTAN acordaram uma meta não vinculativa para aumentar seus gastos militares para ao menos 2% de seu PIB. A partir de 2018, Emmanuel Macron e Angela Merkel, chefes de Estado da França e Alemanha respetivamente, e outros políticos na Europa, também têm proposto frequentemente a formação de um Exército europeu, mas a OTAN tem sido referida como o obstáculo principal.

    Mais:

    Bela adormecida: projeto para alcançar autonomia militar da UE segue em 'sono profundo', diz mídia
    Think tank insta Washington a pôr fim ao 'erro estratégico' de frustrar ambições de defesa europeia
    Ex-general alemão revela 'calcanhar de Aquiles' da OTAN em caso de conflito com Rússia
    OTAN aponta Rússia como maior ameaça por não poder combater eficazmente China e terrorismo islâmico
    Tags:
    Rússia, China, OTAN, Jens Stoltenberg, exército europeu, América do Norte, Europa, Ásia, Canadá, Reino Unido, Noruega, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar