16:29 31 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    0 41
    Nos siga no

    Armin Laschet, candidato ao governo alemão nas eleições de setembro, foi visto em um episódio duvidoso no sábado (17), e várias pessoas o criticaram por isso.

    Armin Laschet, líder da União Democrata Cristã (CDU, na sigla em alemão) e candidato único da aliança CDU/União Social Cristã (CSU, na sigla em alemão) da Baviera nas eleições alemãs de setembro, recebeu muitas críticas por ter dado uma risada em uma coletiva de imprensa no sábado (17), na qual o presidente Frank-Walter Steinmeier discutiu as consequências desastrosas das recentes inundações no país.

    Falando na cidade de Erftstadt, Renânia do Norte-Vestfália, uma das comunidades mais atingidas pelas enchentes, Steinmeier lamentou que "muito se perdeu e não será facilmente substituído. Mas a maior perda é a sentida por aqueles que perderam parentes nas cheias. Estamos de luto com as pessoas que perderam amigos e conhecidos e membros da família. Seu destino despedaçou nosso coração".

    No entanto, durante os comentários Laschet, que também é o ministro-presidente da Renânia do Norte-Vestfália, pôde ser visto em segundo plano rindo de alguma coisa enquanto fala com um colega.

    ​Armin Laschet, o candidato posicionado para suceder à chanceler alemã Angela Merkel nas eleições de setembro na Alemanha, foi captado rindo enquanto o presidente Steinmeier expressou solidariedade com as vítimas das enchentes mortíferas

    As imagens se espalharam rapidamente na mídia nacional e on-line, com os opositores da CDU nas próximas eleições atacando Laschet por sua aparente conduta inapropriada.

    Falando no sábado (18) ao jornal Bild, Lars Klingbeil, secretário-geral do Partido Social Democrata, atacou Laschet por seu comportamento "desprovido de decência e ultrajante", sugerindo que o caráter de uma pessoa pode ser visto em tempos de crise, e que aquele que "sorri" em tais situações "se desqualifica a si mesmo".

    Michael Theurer, vice-presidente do grupo parlamentar do Partido Democrata Livre, também criticou Laschet, dizendo que "dizer bobagem por aí sem máscara" enquanto o presidente discutia um assunto tão sério era inadequado, e que o líder da CDU deveria pedir desculpas imediatamente.

    No sábado (17) à noite, Armin Laschet admitiu que lamentava seu comportamento.

    Agradeço ao presidente federal por sua visita. O destino das pessoas afetadas está próximo de nossos corações e já ouvimos falar sobre isso em muitas conversas. Por isso, lamento ainda mais a impressão que surgiu de uma conversa. Isto foi inapropriado, e eu lamento.

    Bild defendeu o político da CDU, referindo que ele estava suficientemente longe de Steinmeier para não poder ouvir os detalhes de seu discurso. No entanto, o jornal reconheceu que a coletiva de imprensa não era um local apropriado para piadas.

    Os alemães vão às urnas em 26 de setembro de 2021 para eleger todos os 598 membros do Bundestag, um novo governo e um novo chanceler. A atual chanceler e ex-líder da CDU, Angela Merkel, que tem servido em seu cargo desde 2005, prometeu renunciar após a eleição, e é esperado que a bancada de CDU/CSU de Laschet forme o novo governo, se conseguir formar uma coalizão.

    Mais:

    Pelo menos 59 mortos e dezenas de desaparecidos na Alemanha enquanto tempestades assolam Europa
    Secretário de Saúde do Reino Unido se demite após romance em meio a regras de distanciamento social
    Presidente do PT: paz entre Ciro e Lula 'passa por pedido de desculpas' do pedetista
    Tags:
    União Social Cristã da Baviera, União Social Cristã, União Democrata Cristã, Frank-Walter Steinmeier, Renânia do Norte-Vestfália, Partido Social Democrata da Alemanha (SPD), Partido Social Democrata, Twitter, CSU, CDU, Alemanha, Bild
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar