05:58 16 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    3141
    Nos siga no

    Os juízes de crimes de guerra da Organização das Nações Unidas (ONU) sustentaram nesta terça-feira (8) uma condenação de genocídio e prisão perpétua contra o general sérvio Ratko Mladic.

    Mladic havia sido condenado em julgamento de um tribunal inferior, mas apelou do veredicto e da sentença, mas a alta corte rejeitou todos os fundamentos de seu recurso.

    Após a nova decisão, enviado russo às Nações Unidas, Gennady Kuzmin, afirmou que o "veredicto divulgado contra Ratko Mladic é a continuação da abordagem politizada adotada pelo Tribunal Penal Internacional com a [antiga] Iugoslávia". A declaração foi dada durante uma reunião do Conselho de Segurança da ONU sobre a questão.

    "Tornou-se uma mancha vívida sobre a reputação do IRMCT [Mecanismo Residual Internacional para Tribunais Criminosos] agora", acrescentou Kuzmin.

    A Rússia insiste fortemente em um exame médico completo e independente para determinar se Mladic manteve sua função cognitiva, disse ainda o embaixador.

    "Um exame e certificação independentes, incluindo se ele [Mladic] manteve sua função cognitiva, ainda não foram realizados [...] Nós insistimos fortemente que este tipo de exame seja conduzido", disse Kuzmin durante a reunião do conselho.

    Comentando a decisão, a presidente da Sérvia, Zeljka Cvijanovic, disse que o IRMCT confirmou sua postura antissérvia com a sentença de prisão perpétua de Mladic.

    O presidente dos EUA, Joe Biden, por sua vez, disse que é bem-vinda a decisão "histórica".

    Ex-líder militar sérvio da Bósnia Ratko Mladic sentado na sala do tribunal em Haia, Holanda, terça-feira, 8 de junho de 2021
    © AP Photo / Peter Dejong
    Ex-líder militar sérvio da Bósnia Ratko Mladic sentado na sala do tribunal em Haia, Holanda, terça-feira, 8 de junho de 2021

    Guerra da Bósnia

    Atualmente com 78 anos, Mladic liderou as forças sérvias da Bósnia durante a Guerra da Bósnia (1992-1995). O general foi preso pelas autoridades sérvias em 2011 depois de fugir da Justiça Internacional por 16 anos.

    Em 2017, Mladic foi condenado em 2017 sob a acusação de genocídio, crimes contra a Humanidade e crimes de guerra, incluindo o terrorismo da população civil da capital da Bósnia, Sarajevo, durante um cerco de 43 meses, e a morte de mais de 8.000 homens e meninos muçulmanos na cidade de Srebrenica em 1995.

    Em agosto de 2018, os advogados de Mladic apresentaram uma queixa contra a sentença e as primeiras audições de apelação foram realizadas dois anos depois. Os advogados e a família de Mladic enfatizavam repetidamente que o Tribunal Penal Internacional para a antiga Iugoslávia não fornecia informações sobre a condição de saúde do general, enquanto os médicos de Haia não forneciam tratamento adequado.

    Mais:

    Conflito foi 'premeditado' pelo Hamas, diz embaixador de Israel na ONU
    EUA rejeitam resolução da França na ONU para cessar-fogo em Gaza depois de posicionamento de Israel
    Alta comissária da ONU diz que ataques na Faixa de Gaza poderão ser considerados 'crimes de guerra'
    ONU pede ajuda financeira para assistir 1 milhão de pessoas em Gaza
    Tags:
    Rússia, ONU, Rakto Mladic, Tribunal Penal Internacional para a ex-Iugoslávia, Iugoslávia, Sérvia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar