13:17 18 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    102747
    Nos siga no

    O Ministério da Defesa do Reino Unido rejeitou as alegações da Rússia de que o destróier britânico HMS Dragon teria se envolvido em um incidente no entorno da Crimeia em outubro do ano passado.

    No início desta semana, Vladimir Kulishov, primeiro vice-diretor do Serviço Federal de Segurança da Rússia (FSB, na sigla em russo), contou à Sputnik que o destróier HMS Dragon entrou ilegalmente nas águas territoriais russas em 13 de outubro, perto da península da Crimeia.

    Segundo Kulishov, em resposta ao pedido de saída das águas russas, o capitão do navio britânico relatou problemas de comunicação. O navio militar do Reino Unido foi então empurrado para águas neutras pelos esforços conjuntos da Marinha Russa e das Forças Aeroespaciais.

    "A Marinha da Federação da Rússia não impediu a passagem do HMS Dragon. Ele navegou sem incidentes, exercendo o nosso direito de passagem inocente com base na Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar", disse um representante do Ministério da Defesa do Reino Unido ao jornal britânico The Telegraph.

    O representante também acrescentou que o navio se dirigia do porto de Odessa, na Ucrânia, para Batumi, na Geórgia, através de águas que o Reino Unido se recusa a reconhecer como russas, uma vez que Londres não reconhece a península da Crimeia como parte da Rússia.

    Mais:

    Reino Unido quer instar aliados da OTAN a enfrentar Rússia
    Ministérios das Relações Exteriores do Reino Unido e da Polônia convocam embaixadores russos
    Reino Unido propõe ao G7 criação de mecanismo para conter 'propaganda e desinformação' da Rússia
    Tags:
    incidente, Ministério da Defesa, Marinha Real britânica, Crimeia, Rússia, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar