22:36 23 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    6225
    Nos siga no

    Líderes da União Europeia (UE) vão discutir o endurecimento de sanções contra Belarus em cúpula prevista para ocorrer nesta segunda-feira (24). 

    As autoridades bielorussas são acusadas de desviar um voo da Ryanair, que viajava entre a Grécia e a Lituânia. O avião da companhia pousou no aeroporto de Minsk, onde Roman Protasevich, fundador do canal Nexta do Telegram, foi detido. 

    A aeronave fez um pouso de emergência devido a uma ameaça de bomba, que mais tarde se revelou falsa. As autoridades bielorrussas abriram uma investigação sobre o incidente. Protasevich é considerado um extremista pelas autoridades de Belarus. 

    O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, "condenou" nos "termos mais fortes o pouso forçado". 

    "Apelo às autoridades de Belarus para que libertem imediatamente o passageiro detido e garantam plenamente os seus direitos. Os líderes da UE vão discutir este incidente sem precedentes amanhã durante o Conselho Europeu. O incidente não ficará isento de consequências", disse Michel, segundo publicado pela agência AFP. 

    Após o pouso, o voo, que partiu de Atenas, seguiu para Vilnius, capital da Lituânia. 

    Entretanto, não é a primeira vez que algo assim acontece. Em 2013, o avião com o então presidente da Bolívia Evo Morales foi obrigado a aterrissar no aeroporto de Viena, por suspeita de presença do ex-agente da CIA Edward Snowden a bordo. O avião seguia de Moscou rumo à Bolívia, quando França, Portugal, Itália e Espanha fecharam seu espaço aéreo para avião. Depois de todos os passageiros terem passado pelo controle de passaporte no aeroporto de Viena, revelou-se que Snowden não estava a bordo.

    Belarus está sob os holofotes internacionais desde agosto do ano passado, após a vitória de Aleksandr Lukashenko nas eleições presidenciais. O triunfo eleitoral gerou uma onda de protestos internos e críticas de países da UE, que questionam a lisura da votação. O bloco europeu decidiu então impor sanções contra Minsk. 

    Mais:

    Em Minsk, polícia prende diversos manifestantes em protesto com milhares de pessoas
    Polícia bielorrussa prende cerca de 250 manifestantes durante protesto em Minsk
    OTAN treina ataques contra Rússia e Belarus em voos recentes de seus bombardeiros, diz Minsk
    Tags:
    Ryanair, Europa, UE, Aleksandr Lukashenko, Bielorrússia, Belarus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar