01:34 24 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    COVID-19 no mundo em meados de maio (35)
    5250
    Nos siga no

    O secretário-geral da ONU disse que a organização apela a seus funcionários para se vacinarem com a Sputnik V. Além disso, Guterres falou da necessidade de dobrar os volumes de produção das vacinas contra a COVID-19.

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, afirmou que a organização apela a seus funcionários para se vacinarem com o imunizante russo Sputnik V, caso tenham essa possibilidade. Atualmente, a ONU espera a aprovação desta vacina russa pela Organização Mundial da Saúde.

    "Claro que apelamos aos funcionários da ONU que trabalham em países que realizam a vacinação com a Sputnik V para se vacinarem com esta vacina", informou Guterres em entrevista a agências de notícias russas.

    "Em primeiro lugar, muitos funcionários da ONU já receberam a vacina Sputnik, ou seja, na Federação da Rússia. E gostaríamos de poder usá-la nós mesmos, mas estamos aguardando a aprovação da Organização Mundial da Saúde, o que, na perspectiva do trabalho da ONU, é necessário", disse Guterres, quando perguntado se a ONU ainda estava considerando a proposta da Rússia de usar a vacina Sputnik V para o pessoal da organização.

    Produção das vacinas

    O secretário-geral da ONU disse que é necessário aumentar os volumes de produção das vacinas contra a COVID-19 no mundo. Guterres chamou de "grande erro" o assim chamado "nacionalismo de vacinas".

    "O nacionalismo de vacinas é um grande erro. É claro para mim que a produção das vacinas no mundo deve ser dobrada para atender todas as necessidades e, para isso, precisamos da cooperação de diferentes países, capazes de produzir vacinas", afirmou Guterres.

    "É por isso que propus criar um grupo de trabalho de emergência do G20 para desenvolvimento do plano global de vacinação", acrescentou Guterres.

    O plano mencionado prevê a combinação de capacidades de todos os países e empresas para produção das vacinas, coordenação, a possibilidade de licenciamento dos imunizantes para outros fabricantes. Guterres propôs a criação do plano global em fevereiro.

    Além disso, o secretário-geral da ONU avisou sobre a possibilidade de surgirem mutações do novo coronavírus resistentes às vacinas, em caso de propagação ativa da infecção em países pobres, dizendo que está preocupado com a situação atual.

    "Estou muito preocupado com a situação atual. Alguns países estão vacinando rapidamente sua população. Mas ainda temos vários países que não receberam uma única dose e, em mundo em desenvolvimento, em geral, vemos uma lacuna dramática em relação à vacinação", afirmou Guterres.

    A ONU promove a iniciativa COVAX para distribuir de maneira eficaz os imunizantes em países em desenvolvimento. Além de falta de fundos, existem problemas de entrega devido às restrições de exportação pelos vários países, segundo o secretário-geral.

    Tema:
    COVID-19 no mundo em meados de maio (35)

    Mais:

    Epidemiologista alerta para 3ª onda de COVID-19 até junho após relaxamento de restrições no Brasil
    Índia corre risco de registrar 1 milhão de novos casos da COVID-19 por dia, diz especialista
    EUA exigem integração de Taiwan na OMS, levando a críticas da China sobre 'atividades separatistas'
    COVID-19: frequência da variante de Manaus cresce mais que 10 vezes em Portugal em 1 mês; entenda
    Tags:
    vacina, vírus, novo coronavírus, António Guterres, ONU, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar