06:59 19 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    Mundo vs. pandemia do coronavírus no início de maio de 2021 (63)
    0 03
    Nos siga no

    A farmacêutica alemã BioNTech declarou nesta quinta-feira (6) que a proteção da patente das vacinas contra a COVID-19 não está impedindo a produção ou o fornecimento do imunizante desenvolvido com a Pfizer.

    "As patentes não são o fator limitante para a produção ou fornecimento de nossa vacina. Elas não aumentariam a produção e fornecimento global de doses de vacina no curto e médio prazo", disse a empresa à agência AFP em um comunicado, em uma rejeição tácita de um apelo dos Estados Unidos para renunciar às proteções de patentes para vacinas contra a COVID-19.

    ​Em vez disso, eram questões que iam desde a instalação de locais de fabricação até o fornecimento de matérias-primas e a disponibilidade de pessoal qualificado que estavam atrasando o processo.

    "Se algum desses requisitos não for atendido, a qualidade, segurança e eficácia da vacina não podem ser garantidas pelo fabricante e nem pelo inovador. Isso pode colocar em risco a saúde dos vacinados", alertou a empresa.

    Destacando os mínimos detalhes que podem prejudicar a produção, a empresa sediada em Mainz disse que se algumas das "matérias-primas limitadas e importantes" não forem usadas da maneira mais eficiente, isso pode levar à fabricação de menos doses de vacina.

    Tema:
    Mundo vs. pandemia do coronavírus no início de maio de 2021 (63)

    Mais:

    COVID-19: vacina da Pfizer/BioNTech é segura e eficaz em adolescentes, dizem farmacêuticas
    Pfizer/BioNTech anunciam eficácia de 91,3% de sua vacina, sendo menor que declarada há 6 meses
    BioNTech sugere que coronavírus continuará se espalhando pelo mundo até meados de 2022
    Tags:
    patentes, vacina, COVID-19, pandemia, indústria farmacêutica, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar