20:06 07 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    Mundo vs. pandemia do coronavírus no início de maio de 2021 (43)
    0 30
    Nos siga no

    Anteriormente, os epidemiologistas haviam sugerido que a imunidade coletiva levaria muito mais tempo para ser alcançada do que o inicialmente esperado, já que diferentes regiões do globo experimentam diferentes progressos de vacinação.

    A BioNTech, uma empresa alemã de biotecnologia que desenvolveu em conjunto com a Pfizer uma vacina contra o coronavírus, presume que a pandemia global pode durar até 2022, já que alguns países enfrentam uma interrupção no fornecimento de vacinas.

    De acordo com a empresa, a interrupção no fornecimento de vacinas provoca uma desaceleração nos programas de vacinação em massa, limitando a perspectiva de alcançar a imunidade coletiva.

    Funcionários trabalham na produção da fábrica da Allergopharma em Reinbek perto de Hamburgo, iniciando a produção da vacina Pfizer/BioNTech contra a COVID-19, em 30 de abril de 2021.
    © REUTERS / CHRISTIAN CHARISIUS
    Funcionários trabalham na produção da fábrica da Allergopharma em Reinbek perto de Hamburgo, iniciando a produção da vacina Pfizer/BioNTech contra a COVID-19, em 30 de abril de 2021

    O CEO da BioNTech, Ugur Sahin, citado pelo The Wall Street Journal, afirmou que a doença mortal continuará se países como a Índia continuarem a lutar contra um pico de COVID-19 sem precedentes e não trabalharem mais para garantir taxas de vacinação mais altas.

    "Precisamos garantir taxas de vacinação realmente altas em todo o mundo. Caso contrário, ninguém estará seguro", disse Sahin.

    O chefe da empresa farmacêutica sugeriu que "em meados de 2022, mesmo regiões com populações de alta densidade, como a Índia, alcançarão uma alta taxa de vacinação e imunidade de rebanho".

    "Veremos nos próximos 12 meses um número crescente de países industrializados, em desenvolvimento e de baixa renda atingindo esse tipo de imunidade de rebanho apenas com o aumento da capacidade de fabricação dos atores atualmente existentes e adicionando novos locais de fabricação", disse ele.

    A BioNTech, em cooperação com a Pfizer, se comprometeu a expandir sua "aliança de fabricação de mais 30 empresas a fim de produzir mais vacinas para abastecer países como a Índia".

    Tema:
    Mundo vs. pandemia do coronavírus no início de maio de 2021 (43)

    Mais:

    COVID-19: confirmada 1ª morte após administração da vacina Pfizer/BioNTech no Japão
    COVID-19: vacina da Pfizer/BioNTech é segura e eficaz em adolescentes, dizem farmacêuticas
    Pfizer e BioNTech afirmam que sua vacina é 94% eficaz contra infecções assintomáticas
    Pfizer/BioNTech anunciam eficácia de 91,3% de sua vacina, sendo menor que declarada há 6 meses
    Tags:
    vacinação, vacina, Pfizer, novo coronavírus, pandemia, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar