13:16 30 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    4182
    Nos siga no

    A Justiça da França absolveu nesta terça-feira (4) a principal líder da direita no país, Marine Le Pen, acusada de incitar o terrorismo ao publicar em suas redes sociais, em 2015, fotos de vítimas do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países).

    Candidata à presidência em 2022, Le Pen foi processada sob a acusação de fazer circular "mensagens violentas incitando o terrorismo ou a pornografia ou prejudicando gravemente a dignidade humana". 

    O júri reconheceu que havia "um propósito informativo" na divulgação das imagens, dizendo que sua publicização "faz parte de um processo de protesto político".

    A defesa de Marine Le Pen argumentou que publicações como estas "contribuem para o debate público", desde que não "banalizem" a violência.

    A promotoria, que se baseou na lei francesa contra a divulgação de discurso de ódio, havia pedido a imposição de uma multa equivalente a R$ 32.700.

    Le Pen divulgou as imagens depois que um jornalista francês fez uma comparação entre o Daesh e seu partido. Uma das fotos mostrava o corpo do jornalista americano James Foley decapitado pelo grupo extremista. Outra mostrava um homem com uniforme laranja atropelado por um tanque.

    "Daesh é isso!", escreveu Le Pen na ocasião. Para o tribunal, a divulgação dessas imagens foi uma resposta "coerente" de Le Pen a "um polêmico ataque".

    Nas pesquisas, segundo o Le Monde, Marine Le Pen é o principal nome de oposição ao presidente da França, Emmanuel Macron, para as eleições de 2022. Ela chegou nos últimos meses a 35% das indicações de voto, praticamente empatada com o atual chefe de Estado francês.

    Líder da direita francesa, Marine Le Pen (à direita), e o ex-estrategista da Casa Branca, Steve Bannon (à esquerda) durante um congresso partidário na região Norte da França, em Lille.
    © AP Photo
    Líder da direita francesa, Marine Le Pen (à direita), e o ex-estrategista da Casa Branca, Steve Bannon (à esquerda) durante um congresso partidário na região Norte da França, em Lille.

    Mais:

    Generais franceses advertem Macron sobre risco de colapso do país
    'Islamoesquerdismo' na França: Macron adere à agenda de extrema direita para derrotar Le Pen?
    Le Pen defende 'neutralização da escória' após onda de violência na França
    Tags:
    Estado Islâmico, Daesh, Daesh, Marine Le Pen, justiça, acusação, terrorismo, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar