12:34 05 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    0 10
    Nos siga no

    O acordo, que foi finalizado em 24 de dezembro de 2020, já havia sido ratificado pelo Parlamento do Reino Unido e entrou condicionalmente em vigor enquanto se aguarda a aprovação do Parlamento Europeu.

    O Parlamento Europeu ratificou nesta quarta-feira (28) o acordo sobre comércio e cooperação entre a União Europeia (UE) e o Reino Unido. Os legisladores do Parlamento Europeu endossaram o acordo de livre comércio por 660 votos a favor, cinco contra e 32 abstenções. A votação ocorreu na terça-feira (27), mas os resultados só foram anunciados na manhã desta quarta-feira (28).

    O documento agora deve ser aprovado pelos Estados-membros da UE para entrar em vigor oficialmente. O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, afirmou que aprovação do acordo é a "etapa final em uma longa jornada". No Twitter, o ex-primeiro-ministro belga Guy Verhofstadt comemorou o acordo.

    O Parlamento Europeu aprova o acordo de comércio e cooperação UE - Reino Unido! O primeiro acordo comercial da história a colocar barreiras e remover liberdades? Um fracasso para ambos os lados, mas melhor do que nada. Ainda acredito que um dia um jovem político ambicioso vai querer que o Reino Unido lidere na UE de novo!

    O acordo de comércio e cooperação foi necessário para regular as relações entre o Reino Unido e o bloco após o fim do período de transição pós-Brexit, que terminou em 1º de janeiro.

    Transição tumultuada

    Em um debate antes da votação, muitos legisladores do Parlamento Europeu lamentaram a saída do Reino Unido, que aderiu ao bloco em 1973, mas insistiram que ratificar o texto era a melhor opção para evitar interrupções econômicas e garantir a integridade do mercado único da UE.

    Pescador de navio de arrasto apanhando o máximo que pode no Canal da Mancha até ao final do período de transição pós-Brexit
    © AP Photo / Michel Spingler
    Pescador de navio de arrasto apanhando o máximo que pode no Canal da Mancha até ao final do período de transição pós-Brexit
    No início deste ano, a União Europeia acusou a Grã-Bretanha de violar a lei internacional depois que o governo do Reino Unido estendeu unilateralmente até outubro um período de carência para a não realização de verificações nas mercadorias que circulam entre a Irlanda do Norte e o resto do Reino Unido. A medida levou a UE a iniciar uma ação legal contra sua antiga nação-membro.

    A Irlanda do Norte faz parte do Reino Unido, mas permaneceu como parte do mercado único da UE para mercadorias após o Brexit, como uma forma de evitar verificações alfandegárias na fronteira do território com a Irlanda, membro da UE. Uma fronteira aberta com a Irlanda ajudou a sustentar o processo de paz que encerrou décadas de violência sectária na Irlanda do Norte.

    As relações entre a UE e o Reino Unido têm sido tensas desde que o período de transição do Brexit terminou em 1º de janeiro. Os dois lados discutiram sobre questões que vão desde o fornecimento das vacinas contra a COVID-19 ao pleno reconhecimento diplomático da UE no Reino Unido.

    Mais:

    Comissão Europeia afirma que situação das relações com Rússia muda constantemente
    União Europeia pretende enviar ajuda à Índia para deter avanço recorde da COVID-19 no país
    Agência Europeia de Medicamentos finaliza 1ª etapa do estudo da vacina Sputnik V
    Rússia acompanha com atenção envio de tropas dos EUA para exercícios militares na Europa
    Tags:
    União Europeia, União Europeia, Reino Unido, Parlamento Europeu, Irlanda do Norte, Boris Johnson
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar