08:52 24 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    1311
    Nos siga no

    A situação das relações entre União Europeia (UE) e Rússia muda constantemente e, por esta razão, ainda continuam os debates sobre as sanções que poderiam ser aplicadas contra Moscou, declarou nesta quinta-feira (22) um porta-voz da Comissão Europeia.

    "Seguimos observando porque a situação na próxima segunda-feira não será como a da última segunda […] Mas a UE já expressou sua solidariedade com a República Tcheca e condenou as ações da Rússia", disse o porta-voz da Comissão em entrevista coletiva.

    O porta-voz também comentou que, na reunião do Conselho de Relações Exteriores da UE celebrada nesta quinta-feira (22), não foi tomada qualquer decisão sobre sanções.

    "Não aprovamos nenhuma decisão […] Mas os debates continuam", assinalou o representante da Comissão Europeia.

    No sábado (17), o governo tcheco denunciou o suposto envolvimento da inteligência russa nas explosões que causaram duas mortes em um paiol de munições na localidade de Vrbetice, em 2014, e decidiu expulsar 18 funcionários da embaixada russa em Praga, que o governo tcheco acusou de serem agentes dos serviços secretos da Rússia.

    Moscou, por sua vez, rechaçou as acusações, que tachou de "absurdas", e as atribuiu à retórica antirrussa da República Tcheca e à "mão dos Estados Unidos", na qualidade de manipulador.

    No domingo (18), o Ministério das Relações Exteriores da Rússia respondeu à atitude de Praga ao declarar 20 diplomatas  tchecos como persona non grata, aos quais deu 24 horas para deixar o território russo.

    Hoje (22), o ministro das Relações Exteriores da República Tcheca, Jakub Kulhanek, anunciou que expulsaria mais diplomatas russos para que a composição da embaixada russa em Praga seja equivalente ao mesmo nível da embaixada tcheca em Moscou. 

    As relações entre Moscou e os países do Ocidente pioraram após o conflito interno na Ucrânia e a reincorporação da Crimeia à Federação da Rússia após um referendo realizado em março de 2014, no qual mais de 96% dos eleitores escolheram essa opção.

    Naquele mesmo ano, os Estados Unidos, a UE e outros países aprovaram vários pacotes de sanções contra a Rússia por seu suposto envolvimento na crise ucraniana, ao qual Moscou respondeu com um embargo alimentar.

    A UE, por sua vez, condiciona o levantamento das restrições ao cumprimento por parte do governo ucraniano e das milícias independentistas da região de Donbass dos acordos de Minsk, na Bielorrússia, que foram conseguidos com mediação de Rússia, Alemanha e França.

    Mais:

    Lavrov: UE 'destruiu' relações com a Rússia, mas Moscou segue aberta à cooperação
    EUA e UE chegam a acordo para coordenar ações em relação à Rússia
    Moscou: UE deve cuidar de seus problemas e não de alegadas ações da inteligência russa
    Tags:
    Comissão Europeia, República Tcheca, Rússia, sanções, relações diplomáticas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar